Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá registra novo recorde histórico

Publicado em 25/10/2012 08:40 406 exibições
Com mais de 14 milhões de toneladas, movimentação do complexo supera o total de 2011.
A exportação de granéis sólidos pelo Porto de Paranaguá atingiu recorde histórico na quarta-feira (24). A Divisão de Silo da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) divulgou a movimentação do Corredor de Exportação (Corex) que apontou que, do dia 1 de janeiro até as 7h desta quarta-feira, são 14.040.971 toneladas de grãos exportadas pelo complexo. Há 69 dias do final do ano, o total já supera o recorde histórico registrado em 2011: 14.014.392, durante todo o ano passado.

O total movimentado pelo Corredor até este dia é o maior da história do Porto de Paranaguá e é de 13,15% maior que a movimentação registrada no mesmo período em 2011. No ano passado, a exportação de soja, milho e farelo somou pouco mais de 12,4 milhões de toneladas.

Considerando apenas a movimentação do mês de outubro, até as 7h deste dia 24, já são quase 1,2 milhão de toneladas de grãos exportadas pelo Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá. Essa movimentação do mês também é maior que a registrada durante todo o mês de outubro de 2011, quando foram exportadas pouco mais de 1,1 milhão de toneladas. No mesmo período (de 24 dias), no ano passado, o total movimentado pelo complexo foi de cerca de 981 mil toneladas.

Segundo o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino, não é apenas um fator que faz o Porto registrar novo recorde na movimentação de grãos. “É uma soma de variantes: melhores preços das commodities, alta do dólar, quebra da safra norte-americana e recordes na lavoura paranaense. Começamos o ano com a procura pela soja brasileira e estamos fechando o ano com a busca aquecida pelo milho”, afirma.

Produtos – Este ano, até o dia 24, foram mais de 6,4 milhões de toneladas de soja exportada pelo Corex. Essa movimentação é 5,8% maior que a do produto no ano passado – pouco mais de 6 milhões de toneladas, de janeiro até o dia 24 de outubro de 2011.

Quanto ao farelo de soja exportado no período, este ano já são mais de 4,4 milhões de toneladas: quase 17% a mais que no ano passado, com pouco mais de 3,8 milhões de toneladas.

A exportação de milho pelo corredor, em 2012, está quase 55% maior que a registrada em 2011. Este ano, já são mais de 2,7 milhões de toneladas contra 1,7 milhão, no ano passado. “Além dos fatores externos, fatores internos contribuíram para o alcance de novos recordes. Este ano, por determinação do Governador do Estado, Beto Richa, efetuamos inúmeros ajustes operacionais”, comenta o superintendente.

Ele se refere a mudanças como melhores condições de atracação, redução dos tempos de manutenção preditiva e corretiva em quase 40% e reuniões permanentes os terminais privados do porto na busca por melhores índices de produtividade. “Tudo com o objetivo maior de buscar ganhos operacionais para atender as necessidades do campo, que vem quebrando recordes junto com o Porto”, afirma Dividino.

Expectativa – Geralmente, em condições normais, sem eventos extremos, o período de escoamento da safra é distribuído entre Janeiro e Setembro. Porém, caso a safra 2012/2013 mantenha o cenário de 2012 – considerando as adversidades como a necessidade de liberação de espaço nos armazéns do interior; períodos intensos de chuva entre maio e agosto; novos eventos de quebra da safra milho dos Estados Unidos; e risco de desabastecimento mundial – o período poderá concentrar-se entre fevereiro e junho, acumulando o período de escoamento.

“Para atender essa demanda do próximo ano, os sistemas de agendamento e programações eletrônicas – tanto de navios quanto de caminhões que chegam a Paranaguá – receberão novas funcionalidades na busca por ganhos operacionais e produtividade. Além disso, estaremos monitorando as produtividades dos embarques em tempo real, o que nos permitirá intervir sempre que a produção baixar”, conclui o superintendente da Appa.
Tags:
Fonte:
APPA

0 comentário