Força Nacional fará barreiras em área ocupada por índios nesta segunda-feira no MS

Publicado em 09/06/2013 19:50 416 exibições
Por enquanto, agentes seguem reconhecimento em Sidrolândia, MS. Moradores do município aprovam presença das tropas federais. Por Fabiano Arruda, Do G1 MS, em Sidrolândia.

 

Integrantes da Força Nacional em MS começam barreiras semana que vem (Foto: Fabiano Arruda/ G1 MS)Grupo de agentes da Força Nacional a caminho de região de conflito. (Foto: Fabiano Arruda/ G1 MS)

Agentes da Força Nacional que estão em Sidrolândia, a 70 km de Campo Grande, devem começar os trabalhos de barreira e revista policial a partir da próxima segunda-feira (10), conforme informou ao G1 neste sábado (8), o comandante da corporação, major Luiz Alvez.Os integrantes chegaram à região de conflito entre indígenas e produtores rurais na sexta-feira (7).

Por enquanto, os 110 agentes continuam fazendo o reconhecimento de área. O G1 não pode acompanhar a entrada dos agentes nas regiões de conflito, nesta manhã, por orientação da Força Nacional. A justificativa é de que o trabalho está em andamento.

Segundo Alvez, a função da Força Nacional em Sidrolândia é pacificar a área. "Existe uma preocupação mútua de índios e fazendeiros, por isso, a polícia quer dar tranquilidade para ambos os lados", explicou.

Ainda conforme o major, o patrulhamento de reconhecimento termina no domingo (9), e, a partir da segunda-feira, as tropas federais começarão fazer bloqueios tanto no asfalto, na rodovia, como também nos acessos às áreas de conflito. Sobre a atuação da Força Nacional em caso de reintegração de posse, o cumprimento da medida não será feito pelas tropas federais, de acordo com Alvez.

A permanência deles foi uma determinação do Ministério da Justiça, para evitar conflitos na área. Segundo o comandante da Força Nacional, essa ação será feita por grupos de 33 integrantes, em turnos de 24 horas. Ainda de acordo com Alvez, os policiais têm sido bem recebidos na região.

Integrantes da Força Nacional em MS começam barreiras semana que vem (Foto: Fabiano Arruda/ G1 MS)Moradores afirma que presença de Força Nacional ameniza clima de conflito. (Foto: Fabiano Arruda/ G1 MS)

O que pensam os moradores
Na manhã deste sábado, viaturas da Força Nacional que estavam estacionadas no centro deSidrolândia chamaram a atenção de moradores. O comerciante Antenor Ribeiro, 54 anos, disse ao G1 que a presença dos policiais é positiva.

Mapa arte Sidrolândia em MS (Foto: Editoria de Arte/G1)

"Acalma qualquer ânimo que possa estar exaltado. Por mais que a situação seja na zona rural, a cidade também fica mais tranquila, o clima fica mais tranquilo com a presença deles", afirma Ribeiro.

O tratorista Wesllen Ferreira, 31 anos, que mora na cidade há quatro meses e trabalha na área rural, aprova o reforço policial. Ele diz que antes da chegada da Força Nacional, a situação era de insegurança para os trabalhores de fazenda. "As pessoas estavam com medo. A Força Nacional trouxe mais tranquilidade para a região, reforça a segurança no campo e também na cidade", explica.

Suspensão da reintegração
Na quarta (5), o Tribunal Regional Federal 3ª Região (TRF), decidiu suspender a ordem de reintegração de posse, acatando um recurso da Advocacia Geral da União (AGU), feito por meio da procuradoria da Fundação Nacional do Índio (Funai).

A decisão, em caráter liminar, é do desembargador José Lunardelli e, segundo o presidente da Associação de Juízes Federais de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Paulo Cezar Neves  Junior, ainda será julgada pela 1ª Turma do TRF.

Na reintegração de posse da fazenda Buriti, ocorrida no dia 30 de maio, o índio terena Oziel Gabriel morreu baleado. Os índios chegaram a sair da propriedade, mas retornaram um dia depois.

Tags:
Fonte:
G1 MS

0 comentário