Depois da Nidera, chinesa COFCO negocia compra da unidade de agronegócios da Noble holandesa

Publicado em 05/03/2014 09:45 2165 exibições
informações da Reuters internacional

A maior trading de grãos da China, a COFCO, está em negociações para comprar a divisão de agronegócios da Noble em um acordo que colocaria o valor da divisão em cerca de 1 bilhão de dólares, disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

A compra da unidade da Noble ajudaria a China a desenvolver uma poderosa trading de grãos, uma instituição que falta ao país. A trading chinesa Unipec já é uma das maiores compradoras de petróleo bruto do mundo.

A COFCO , que semana passada acertou a compra de uma fatia de 51 por cento na trading holandesa de grãos Nidera, está conduzindo uma avaliação de ativos na unidade da Noble, disseram as fontes que não quiseram ser nomeadas, pois o assunto ainda não é público.

O estágio exato em que as negociações estão ainda não é claro, disseram as fontes, avisando que um acordo sobre a unidade que comercializa e processa grãos pode ou não se concretizar. A estrutura final do acordo está sendo discutida.

A Noble disse em um comunicado que estava atualmente engajada em discussões com um consórcio sobre uma potencial joint venture acerca de sua unidade de agricultura, mas nenhum acordo vinculante foi fechado até o momento.

O comunicado da Noble não identificou a COFCO, que tem apoio estatal na China, como parte do consórcio.

As operações de grãos e óleos da Noble são focadas na América do Sul, Europa e Ásia.

Um porta-voz da COFCO disse que não estava ciente de discussões com a Noble.

O acordo da semana passada sobre a Nidera deu ao país mais populoso do mundo acesso direto a grãos e oleaginosas da América do Sul.

"A segurança de alimentos é uma prioridade para a China e veremos a COFCO perseguir mais aquisições de modo agressivo", disse uma pessoa familiarizada com a estratégia da companhia.

 

China quer mais investimento na agricultura para garantir oferta de produtos agrícolas (CRI)

O vice-ministro da agricultura da China, Niu Dun, afirmou hoje (5) que o fomento do investimento na agricultura é essencial para garantir a oferta agrícola do país.

Aos jornalistas, Niu Dun disse que a demanda de produtos agrícolas do país vai aumentar com a urbanização e a subida do padrão de vida da população. Por outro lado, a China não consegue ampliar continuamente a produção agrícola por falta de recursos devido à proteção ambiental, afirmou o vice-ministro.

Para Niu Dun, a China deve criar um sistema moderno de serviços agrícolas e isto só será possível através da inovação tecnológica e o aumento do investimento e dos subsídios no setor. O reforço dos subsídios é uma convenção internacional e que os países mais desenvolvidos investem mais neste setor, frisou o responsável.

No entanto, o vice-ministro acredita que, caso sejam adotadas estas medidas, é possível atender à demanda do povo entre 2030 e 2035, altura em que a população nacional deverá chegar a 1,5 bilhão.

Premiê chinês destaca crescimento econômico estável e saudável

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, destacou nesta terça-feira (4) que a China deve aprofundar as reformas e manter um crescimento econômico estável e saudável, pois o país ainda enfrenta uma situação complicada na economia.

A declaração foi dada em um painel de discussão entre os membros do 12º Comitê Nacional da Conferência Consultiva Política do Povo da Chinês (CCPPCh).

Na ocasião, Li Keqiang disse que a reforma iniciada no ano passado tem alcançado novos êxitos, com a diminuição da grande pressão econômica. Para ele, o país ainda enfrenta uma situação complicada na economia, mas deve se esforçar para manter o crescimento saudável e estável.

Tags:
Fonte:
Reuters + CRI

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário