China: País tem pior seca em 63 anos e grande área agrícola afetada

Publicado em 18/08/2014 16:17 2980 exibições

Nesta segunda-feira (18), o governo da China emitiu uma comunicado de emergência por conta dos efeitos de uma das piores secas pela qual passa o país. O nordeste chinês, importante região de produção agrícola do país, sofre com a mais severa estiagem em 63 anos. Províncias como Liaoning e Jilin têm registrados os menores níveis de precipitações desde 1951. 

Segundo o comunicado do Ministério de Assuntos Civis e da Comissão Nacional para a Redução de Desastres, um grupo de trabalho está sendo enviado aos locais atingidos pela seca para que sejam feitos levantamentos da situação e para prestar assistência à população que tem sido afetada pela seca. 

Ainda de acordo com dados do governo chinês, até às 8h da manhã desta segunda-feira (horário local), cerca de 5,46 milhões de pessoas estavam sendo atingidas pela seca e dessas 1,7 milhão já necessitavam de assistência. 

A área de produção agrícola afetada pela estiagem já soma, ao menos, 1,42 milhão de hectares e esse número deverá ser ainda maior em 10 dias, segundo projeções de especialistas ouvidos pela mídia chinesa. Somente a região de Liaoning, Jilin e Inner Mongolia abrange cerca de 295,4 mil hectares (730 mil acres) e corresponde a 60% de toda a área agrícola que vem sofrendo com as condições adversas de clima.

Como base principal da produção de commodities da nação asiática, a província de Jilin vem registrando uma redução de 62% nas precipitações em relação a anos anteriores e, por conta disso, em alguns condados, as perdas nas lavouras chegam a 100%. 

Nos arredores de Liaoning a seca está se espalhando rapidamente e as áreas afetadas aumentaram 24 vezes em 15 dias para 1,62 milhão de hectares (4 milhões de acres). 

Menor produção de milho

De acordo com informações da agência Shangai JC Intelligence Co., a produção de milho da China deverá registrar uma redução pela primeira vez em cinco anos por conta dessa estiagem e chegar a 200 milhões de toneladas. A última projeção do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) para a safra 2014/15 foi de 222 milhões de toneladas. 

Com isso, os preços do milho no mercado interno chinês vêm passando por rallies na Bolsa de Dalian e incentivando os produtores de ração a optar por alguns grãos alternativos, como o trigo, por exemplo, para que a demanda possa ser atendida e os preços possam se manter estabilizados. 

A produção em seis províncias deverão ser expressivamente menores do que as projeções iniciais e, no local onde a safra foi mais afetada até esse momento já registra um potencial produtivo 12,2% menor. 

Por outro lado, as importações chinesas de milho estão mais travadas depois que o país rejeitou alguns carregamentos de milho que continham produto da variedade transgência MIR 162, a qual ainda não foi aprovada no país. Além disso, a China rejeitou ainda cargos do DDG proveniente do cereal, os quais continham traços da mesma transgenia, e o produto é importante componente da produção de alimentação animal. 

Veja abaixo algumas imagens do efeito da seca na China. As fotos são do site China Daily:

Matéria de Milho 3

Matéria de Milho 4

Matéria de Milho

Matéria de Milho 6

Matéria de Milho 5

Com informações da Bloomberg, do China Daily e da CCTV.com

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Eduardo Lima Porto Porto Alegre - RS

    A situação é realmente séria na China. Semana passada tive o privilégio que a amizade permite e recebi diretamente do Liones Severo uma análise gráfica da Bolsa de Dalian. Os preços indicativos para o Milho eram de USD 21,50/sc. O que está no meio do caminho entre os preços na origem e na ponta final? Logistica + Custos Financeiros + Ineficiência Estrutural + Incompetência do Agro Brasileiro de vender os seus produtos nos principais mercados do exterior. Continuamos COMPRADOS...quando é que nos tornaremos VENDEDORES?

    0
  • Virgilio Andrade Moreira Guaira - PR

    Mais dia menos dia a China passará a importar importantes quantidades de milho para melhorar a qualidade da alimentação do seu povo,, de soja então nem se fala ! E a Índia ?? Quando virarão importantes importadores de alimentos ?? Com soja e milho tão baratos,, seria uma boa hora de começar a importar !

    0