Com melhora de Dilma nas pesquisas, ações da Petrobras despencam

Publicado em 04/09/2014 16:45 787 exibições
Mesmo movimento de baixa é visto em outros papéis ligados ao governo, como os do Banco do Brasil e da Eletrobras

As ações do chamado "kit eleições", jargão usado pelo mercado financeiro para se referir às empresas estatais, registram forte desvalorização na BM&FBovespa nesta quinta-feira, pressionadas por especulações eleitorais. As ações ordinárias (ON, com direito a voto) da Petrobras chegaram cair 4,4%, enquanto os papéis do Banco do Brasil despencaram 3,1% na mínima do dia. Já as ações ordinárias da Eletrobras, estatal do setor elétrico, caíam mais de 3%. por volta de 15h45, o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, recuava 1,13%, para 61.138 pontos.

Assim como em outros pregões nos últimos meses, os movimentos na bolsa brasileira estão muito ligados ao cenário eleitoral. O avanço da presidente Dilma Rosuseff na última pesquisa eleitoral Datafolha, divulgada na quarta-feira, foi interpretado pelo mercado como uma possível continuidade da atual política econômica. O levantamento mostrou que Dilma oscilou um ponto para cima, para 35%, mas mantendo o empate técnico com a candidata do PSB, Marina Silva, cuja estimativa aponta para 34% das intenções de voto. Marina, contudo, venceria Dilma em um eventual segundo turno, com uma diferença de 7 pontos percentuais, contra 10 pontos percentuais no levantamento anterior, realizado no fim de agosto.

Não é novidade que o mercado financeiro está reagindo positivamente a uma mudança no governo federal. Nos últimos dois meses, quando começou a ficar clara a perspectiva de que a presidente Dilma não venceria em primeiro turno, o Ibovespa chegou a subir 22,77%. Desde março, as ações preferenciais (PN, sem direito a voto) da Petrobras subiram 56% e as ordinárias (ON, com direito a voto)  tiveram alta de 51%, mas todas as ações do "kit eleições" acumulam valorizações de dois dígitos nesses cinco meses. 

Em agosto, a Bovespa teve o melhor desempenho para o mês desde 2003, ao registrar valorização de 9,78%. Os papéis do chamado "kit eleições", composto por empresas estatais, tiveram uma contribuição importante para o avanço acumulado do mês. As ações preferenciais da Petrobras encerraram agosto com avanço acumulado de 22,25%, enquanto as ordinárias subiram 23,07%. O Banco do Brasil subiu 26,55%, enquanto a Eletrobras PN avançou 13,41% e ON ganhou 30,4%. O peso total dos papéis dessas estatais no índice é de 15%.

O site do “Volta, Lula”

Criatura e criador

Criatura e criador

Ainda há espaço para, legalmente, qualquer partido trocar o seu candidato a presidente. Talvez, por isso, a turma petista do Volta, Lula ainda resista. Em geral, atuando nas sombras. Mas desde ontem, uma parte dessa turma resolveu sair da toca. E botou no ar um site (veja aqui ).

Um dos textos agradece a Dilma, diz que sua missão “foi cumprida com louvor”, mas manda brasa:

- Queremos Lula candidato à (sic) presidente agora em 2014. A conjuntura destas eleições pedem medidas contundentes para garantir que o país continue crescendo e mudando para melhor. De acordo com a lei eleitoral, temos até o dia 15 de Setembro para trocar candidatos. Este movimento é para unir todos!! Lula é o maior líder que o Brasil já teve!! O país precisa de sua força e liderança.

Por Lauro Jardim 

Lula sinaliza volta em 2018, tropica e desaba no palco

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se desequilibrou e caiu no palco durante um comício do PT, em Salvador, na última terça-feira (02)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se desequilibrou e caiu no palco durante um comício do PT, em Salvador, na última terça-feira (02) (Margarida Neide/Agência A Tarde/VEJA)

Em discurso na Bahia ao lado do candidato do PT ao governo estadual, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sinalizou nesta quarta-feira que pretende voltar a disputar as eleições em 2018 e mandou um recado aos partidos de oposição: "Eles devem se preparar porque eu vou estar vivo. Eles ficam dizendo: 'Dilma vai ser reeleita para ficar mais quatro anos e depois vem um tal de Lula e vai ficar mais quatro?' É muito cedo para a gente discutir, mas uma coisa eu digo para vocês: em 2018 eu vou estar com 72 anos. Enquanto eu tiver forças para brigar por esse país, não vou permitir que aqueles que não fizeram nada pelo Brasil em 500 anos voltem", disse. No mesmo dia, aliados do ex-presidente lançaram um site, sem se identificar, para espalhar nas redes sociais o movimento Volta, Lula – já neste ano. “Temos até o dia 15 de setembro para trocar candidatos”, diz o site.

Durante o comício, Lula escorregou quando cumprimentava um militante petista e acabou desabando no palco – ele não se machucou.

Setubal, Marina e a mediocridade

Setubal: murmúrios na plateia

Setubal: murmúrios na plateia

Os convidados para a festa dos 90 anos do Itaú, realizada ontem à noite na Sala São Paulo,  ainda não se refizeram do choque e ouvir Roberto Setubal dizer em seu discurso:

- O Brasil está prestes a tomar um novo rumo com a eleição de Marina Silva para a presidência.

Mais: disse que  o Brasil não aguenta mais a mediocridade.

Numa tacada, descartou Aécio Neves, inicialmente o candidato natural do sistema financeiro, e decretou a eleição terminada.

Falta ainda, no entanto, muito chão pela frente. De qualquer maneira, é fato raro, raríssimo, um empresário de grande porte se posicionar em público tão enfaticamente.

Na plateia, boa parte da elite brasileira, além de petistas como Eduardo Suplicy.

Por Lauro Jardim

Populismo que depende da ignorância para viver

O PT usa e abusa da retórica da luta de classes, do ataque às “elites” e tudo mais. Mas a verdadeira luta de classes travada no país é aquela entre os mais esclarecidos e os mais ignorantes, vítimas dos oportunistas de plantão. A abertura da última pesquisa do Ibope por escolaridade revela a enorme concentração de intenção de votos em Dilma no grupo sem estudo, como era de se esperar:

Ibope legenda

Ibope escola

 

Ou seja, para quem completou até a quarta série apenas, metade pretende votar em Dilma, e somente 9% no tucano Aécio Neves. Para quem tem curso superior, é empate técnico. O que mostra como tem gente da tal “elite” que ainda cai no conto do vigário petista, talvez muitos universitários vítimas de intensa lavagem cerebral ideológica nas federais.

Mas é uma enorme diferença em relação aos de baixa escolaridade, com ampla vantagem de Dilma. Em outras palavras: o PT precisa da miséria e da ignorância como o poeta precisa da dor e o agricultor da chuva! É uma relação de dependência total. O que seria dos petistas sem tanta gente sem curso superior?

Alguém ainda estranha a falta de interesse do partido em investir de verdade na educação de qualidade?

Rodrigo Constantino

VEJAPesquisa Datafolha 3/9/2014

Tags:
Fonte:
veja.com

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário