Produtores do Noroeste do RS investem em agroindústrias

Publicado em 13/11/2014 11:30 e atualizado em 09/03/2020 16:36 168 exibições

Exemplo de empreendedorismo e de busca de qualificação no meio rural, produtores do Noroeste gaúcho têm apostado na implantação e legalização de agroindústrias familiares, garantindo agregação de valor ao produto através da transformação da matéria-prima produzida. Desde 2012, 56 agroindústrias foram incluídas no Programa Estadual de Agroindústria Familiar na região administrativa de Santa Rosa, sendo 18 neste ano.  

Oito abatedouros de frango, três de bovinos e dois de suínos recebem acompanhamento da Emater/RS-Ascar na região. Também há uma agroindústria de cachaça, nove confeitarias, oito de conserva de hortigranjeiros, dez de derivados de leite, dez de doces de frutas e geleias, 13 de embutidos, nove de mandioca, seis de massa caseira, três de mel, duas de ovos, uma de peixes, duas de polpas e dez de queijos. Destacam-se as agroindústrias de melado, açúcar mascavo e rapaduras, que somam 32, e as de panificados, que chegam a 46.

Por meio do Programa da Agroindústria Familiar foi desencadeada uma série de medidas para facilitar a implantação e a legalização de agroindústrias familiares. Entre as propostas do programa estão oportunizar aos agricultores familiares linhas de crédito com juros mais baixos; ampliar a participação dos agricultores familiares no acesso a mercados institucionais por meio de programas como o de Aquisição de Alimentos (PAA) e de Alimentação Escolar (PNAE), além do crédito e garantia de mercados. São, ainda, instrumentos do Programa, a tributação, pesquisa e desenvolvimento, extensão rural, capacitação, licenciamento ambiental, certificação de qualidade do produto, entre outras.

Para tanto são oferecidos serviços de orientação para regularização sanitária e ambiental com a disponibilização de perfis de agroindústrias, layout de rótulos, entre outros.

Segundo a assistente técnica regional da Emater/RS-Ascar na área de Agroindústria, engenheira agrônoma Cleia dos Santos Moraes, o apoio às agroindústrias possibilita aos agricultores agregar valor aos seus produtos e se inserir em mercados garantidos para a agricultura familiar, sendo uma alternativa que, na região, tem atraído jovens na perspectiva do desenvolvimento de uma atividade viável e que garante renda. “Esse fomento às agroindústrias da região, que conta também com um Arranjo Produtivo Local – APL de agroindústrias familiares, tem instigado a participação de outras instituições nas diferentes cadeias produtivas, das quais cabe salientar as instituições de ensino e pesquisa, no desenvolvimento de tecnologias apropriadas para as necessidades dessas agroindústrias”, destaca.

O Programa de Agroindústria oferece também a seus beneficiários assistência técnica na elaboração e encaminhamento de projetos financeiros, sanitários e ambientais para implantação e legalização de agroindústrias familiares de origem animal, vegetal e bebidas, bem como cursos de boas práticas de fabricação, gestão de agroindústrias e processamento de alimentos.

Tags:
Fonte:
Emater RS

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário