Greve dos Caminhoneiros continua em pelo menos quatro estados nesta 5ª feira

Publicado em 26/02/2015 07:50 e atualizado em 26/02/2015 15:47
3936 exibições

O movimento que tem paralisado o Brasil nos últimos dias se mostra dividido após o avanço das negociações de representantes dos transportadores e do governo federal na noite da última quarta-feira (25). Enquanto o governo Dilma acredita no fim da greve, pelo menos quatro estados - Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso - ainda têm pontos de bloqueio. 

No G1: Entidades aceitam proposta, mas fim de protestos de motoristas não é certo

Sindicatos e associações que representam caminhoneiros aceitaram na noite desta quarta-feira (25) os termos do acordo proposto pelo governo para colocar fim aos protestos da categoria, que nos últimos dias promoveu bloqueios em rodovias por todo o país, gerando, inclusive, desabastecimento de produtos em algumas regiões.

Entretanto, o acordo não contou com o apoio de Ivar Luiz Schmidt, que se diz representante do Comando Nacional do Transporte, movimento que, segundo ele, é responsável por cerca de 100 pontos de bloqueio nas estradas.

Schmidt, que chegou a ser impedido de participar das negociações durante todo o dia na sede do Ministério dos Transportes, em Brasília, afirmou, no início da madrugada desta quinta (26), por telefone, que “continua tudo bloqueado.” De acordo com ele, os pontos de bloqueio, que até o momento restringiam apenas a passagem de caminhões transportando produtos não-perecíveis, podem passar a barrar inclusive carro de passeio. “[A manutenção dos bloqueios] É pro governo saber quem é a liderança que devem procurar”, disse Schmidt.

Leia a notícia na íntegra no site do G1

Veja a situação em cada estado

Paraná

Sob pena de multa, caminhoneiros continuam com bloqueios no Paraná

Mesmo sob pena de multa, alguns caminhoneiros ainda insistem em protestar e bloquear algumas rodovias federais do Paraná na manhã desta quinta-feira (26). Sem o transporte, cidades de todo o estado registram falta de alimentos, de combustível e muitos prejuízos. Na quarta (25), a Justiça proibiu que os caminhoneiros bloqueassem rodovias federais da região de Curitiba, de Foz do Iguaçu, Toledo, Guarapuava e Londrina. Os caminhoneiros que descumprirem a determinação estão sujeitos a multas que variam de R$ 1 mil a R$ 50 mil por hora.

Também há interdições em várias rodovias estaduais. Nesses trechos não foi imposta nenhuma determinação da Justiça. Apenas no sudoeste, também na quarta, um acordo entre prefeituras e o Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas (Sinditac) em Francisco Beltrão, permitiu que algumas estradas fossem liberadas por cinco horas. No entanto, depois desse prazo os trechos voltaram a ser bloqueados.

Leia a notícia na íntegra no site do G1 PR

Rio Grande do Sul

Mesmo com decisões da Justiça, rodovias seguem bloqueadas no RS

Mesmo após a Justiça Federal determinar que os caminhoneiros desocupem as rodovias bloqueadas em cinco regiões do Rio Grande do Sul, em pelo menos três delas a ordem ainda não foi cumprida. Entre elas estão a região de Camaquã (onde há vários bloqueios na BR-116), Palmeira das Missões (BR-468) e Santa Rosa (BR-472).

Conforme o último balanço de bloqueios divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) às 17h desta quarta-feira (25), os manifestantes cumpriram a decisão e liberaram os pontos onde havia bloqueios na BR-392 e na BR-116, na região de Pelotas, no Sul do estado, e na BR-285 e BR-153, na região de Passo Fundo, no Norte do estado.

Leia a notícia na íntegra no site do G1 RS

Santa Catarina

Caminhoneiros mantêm bloqueios em Santa Catarina pelo nono dia

Os caminhoneiros continuam com bloqueios nas rodovias catarinenses no nono dia de protestos. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), os manifestantes estavam em 19 pontos até as 6h30 desta quinta-feira (26).

Leia a notícia na íntegra no site do G1 SC

Mato Grosso

Justiça Federal de MT manda que caminhoneiros liberem rodovias

A Justiça Federal de Mato Grosso determinou na tarde desta quarta-feira (25) a liberação das rodovias interditadas pelos caminhoneiros há, pelo menos, sete dias e impede a realização de novos bloqueios. Segundo a decisão liminar do juíz Cesar Augusto Bearsí, da 3ª Vara Federal, deve ser feito o “imediato desbloqueio das estradas” sob pena de multa no valor de mil reais pelo descumprimento.

O pedido de liberação das vias foi feito pela Advocacia Geral da União (AGU), que tinha por objetivo suspender as manifestações nas rodovias. Os caminhoneiros impedem a passagem de veículos com cargas de alimentos perecíveis e de combustíveis pelas BRs 163, 364 e 070, nesta quarta-feira (25). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, até esta noite, os bloqueios ocorrem em dez trechos ao longo das duas rodovias. Porém, conforme a decisão, a AGU apontou interdições em 17 pontos.

Leia a notícia na G1 MT

Nortão: reunião entre sindicatos e caminhoneiros para liberar rodovia termina sem acordo

A reunião entre presidentes de Sindicatos Rurais em Lucas do Rio Verde, Sorriso, Sinop e demais cidades e caminhoneiros terminou sem acordo e eles voltam a se reunir nesta quinta-feira, por volta das 8h, em Lucas, para tentar sensibilizar os caminhoneiros e donos de transportadoras para liberar a passagem de carretas com óleo diesel, fertilizantes e ração.

O presidente do Sindicato Rural de Sorriso, Laércio Pedro Lenz, disse, ao Só Notícias, que “os líderes do movimento não quiseram assumir qualquer compromisso e pediram para conversarmos com um grupo maior de motoristas que estão no bloqueio e vamos fazer isso amanhã”.

Ainda segundo Lenz, o que os caminhoneiros de Lucas do Rio Verde, local onde o bloqueio é mais rigoroso, decidirem nos motoristas de Nova Mutum e Sorriso vão acatar.

Confira a notícia na íntegra no site do Só Notícias

Goiás 

Caminhoneiros liberam o tráfego na BR-153 após 12h de protesto

Os caminhoneiros que bloqueavam a BR-153, em Aparecida de Goiânia, liberaram as pistas da rodovia às 18h30 desta quarta-feira (25). Momentos depois do fim do protesto, uma oficial de Justiça esteve no local e notificou alguns dos líderes do movimento proibindo novas interdições. O ato integra a série de protestos que ocorrem em todo o país contra o preço dos combustíveis e o baixo valor do frete.

A decisão judicial foi expedida pelo juiz federal Alysson Maia Fontenele. Em caso de descumprimento, a multa é de R$ 1 mil por hora de interrupção do trânsito. Mesmo com a decisão judicial, alguns motoristas disseram que não deixarão o local. Uma outra ação movida pela Advocacia Geral da União (AGU), que pede a liberação das rodovias em todo estado, ainda está sendo avaliado pela Justiça Federal.

Veja a notícia na íntegra no site do G1 GO

Bahia

Caminhoneiros liberam Via Expressa após protesto por redução no diesel

A Via Expressa, pista que liga a BR-324 ao Porto de Salvador, foi liberada pelos caminhoneiros na tarde desta quarta-feira (25). Desde a tarde de terça-feira (24) que cerca de 50 caminhões estavam no local, em manifestação pela redução do preço do combustível e valorização do frete.

Também foram liberados nesta quarta os trechos interditados por caminhoneiros na região de Luís Eduardo Magalhães, oeste da Bahia. As retensões foram feitas na BR-242, na saída para Barreiras (km-880) e na saída para Tocantins (km-890), e na BR-020, na saída para Brasília (km-200).

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o desbloqueio ocorreu de forma pacífica em cumprimento à ordem judicial imposta pela Justiça Federal de Barreiras.

Veja a notícia na íntegra no site do G1 BA

Tags:
Fonte: G1

Nenhum comentário