Instituições do cacau se unem para pedir afastamento de servidor suspeito do crime da vassoura de bruxa

Publicado em 30/11/2016 13:06
97 exibições

As instituições representativas da cacauicultura baiana, Associação Produtores de Cacau - APC, Sindicato Rural de Camacan - SRC, Instituto Pensar Cacau - IPC, Movimento Somos Todos Cacau - STC, Sindicato Rural de Barro Preto - SRBP, Sindicato Rural de Ilhéus - SRI, União de Defesa da Propriedade - UDP e Cooperativa Agroindustrial de Cacau e Chocolate uniram-se para elaborar um documento pedindo o afastamento do servidor público da Ceplac, Sr. Eliezer Barros de Correia por ser um dos suspeitos de participação no crime da vassoura de bruxa.

De acordo com o documento elaborado e encaminhado pelas instituições, para o ministro, Blairo Maggi, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA, a conclusão do inquérito nº 169/2006, pela Polícia Federal, aberto em 2006, apontou que a introdução do fungo da vassoura de bruxa "decorreu de ato humano deliberado, não podendo ser atribuído a agentes naturais", e aponta o servidor como um dos suspeitos.

Leia a notícia na íntegra no site Mercado do Cacau

Fonte:
Mercado do Cacau

2 comentários

  • Dorcas Guimarães Espírito Santo Ibirataia - BA

    Os terroristas que introduziram e disseminaram a praga vassoura de bruxa no cacaual da Bahia continuam no poder, como esse citado, que continua recebendo dinheiro público, do suor do trabalhador brasileiro, Triste Brasil !!!

    0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      He! He! (risos). Mais um que vai ser afastado e, como castigo vai receber o salário integral sem precisar trabalhar...

      0
  • Dorcas Guimarães Espírito Santo Ibirataia - BA

    O maior crime de terrorismo biológico do planeta terra, continua incubado, envolvendo políticos poderosos do PT.

    0