Rabobank: perspectivas do Agronegócio no Brasil em 2020

Publicado em 17/01/2020 10:38
951 exibições

Em 2019, o agronegócio brasileiro foi profundamente afetado pelas repercussões da disputa comercial entre Estados Unidos e China e pelo surto de Peste Suína Africana (PSA) na China, segundo estudo sobre as perspectivas para o setor feito pelo Rabobank. Os impactos, positivos e negativos, desses eventos nos preços e fluxos comerciais são visíveis no desempenho das exportações brasileiras em 2019. 

Por exemplo, enquanto o valor das exportações brasileiras de carne aumentou 13% em relação a 2018, as receitas de exportação de soja caíram 21% em comparação com 2018, como resultado de menor volume e preços mais baixos.

Segundo o chefe da área de pesquisa da América do Sul do Rabobank, Andy Duff, a PSA e a disputa comercial EUA / China fizeram de 2019 um ano difícil para a soja, frequentemente visto como um barômetro para o agronegócio brasileiro em geral”.

No entanto, de acordo com o especialista, com esses eventos dominando as manchetes, o fato de o mesmo ano ter sido espetacular para o milho e algodão brasileiro pode ser facilmente ignorado. 

"Não apenas os preços locais eram bons, mas em 2019, o Brasil se tornou o segundo maior exportador mundial de algodão e consolidou sua posição como o segundo maior exportador de milho.”  

A influência da PSA e da disputa comercial EUA / China persistirá em 2020, segundo o relatório. Para o setor de proteína animal do Brasil, há a promessa de preços altos e forte demanda de exportação. Para o setor de soja, no entanto, qualquer recuperação nas receitas em 2020 é incerta, dependendo não apenas da evolução da PSA mas também das relações comerciais EUA / China - portanto, não é de admirar que a expansão esperada na área de soja em 2020 seja a mais tímida em anos.

Tags:
Fonte:
Rabobank

0 comentário