Preços internacionais favorecem exportação do agronegócio mineiro

Publicado em 20/09/2010 08:20
354 exibições
As exportações mineiras de café, no acumulado de janeiro a agosto de 2010, alcançaram uma receita de US$ 2,2 bilhões. Esta cifra equivale a um aumento de 26,33% na comparação com o valor obtido em igual período de 2009, informa o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

De acordo com análise da Superintendência de Política e Economia Agrícola da Secretaria (Spea) da Secretaria da Agricultura de Minas Gerais, o café, segundo produto no quadro das exportações gerais do Estado (abaixo apenas do minério de ferro), destaca-se com uma participação da ordem de 49,6% na receita total obtida pelas vendas externas do agronegócio.

Segundo o superintendente João Ricardo Albanez, um dos fatores favoráveis aos bons resultados do café no mercado externo nos oito meses analisados foi a melhoria do preço médio, que atingiu US$ 2,7 mil a tonelada, valor cerca de 20,0% superior ao obtido no acumulado de janeiro a agosto de 2009.

Ele observa que o preço médio fez a diferença também na comparação dos resultados da exportação de café em agosto último na comparação com agosto de 2009. A cotação alcançou US$ 2,9 mil a tonelada, alta de 22,0% sobre o valor médio obtido no mesmo período do ano passado. Já a receita no oitavo mês deste ano foi de US$ 389,8 milhões, ou cerca de 57,0% superior à registrada no mesmo período do ano passado.

O cenário das exportações mineiras do agronegócio neste ano é favorável também ao açúcar, que obteve uma receita 95,53% maior que no mesmo período de 2009, acrescenta Albanez. A receita foi de US$ 593,8 milhões, e o volume exportado alcançou 954,2 mil toneladas, crescimento de 37,64%. Esses números, ele explica, confirmam a conjuntura favorável para a comercialização externa do açúcar procedente de Minas.

Os dados da exportação de açúcar em agosto deste ano mostram também evolução na comparação com os resultados de agosto de 2009. A receita, de US$ 132,0 milhões, representou um aumento de 105,53%, e também neste caso foram de fundamental importância o crescimento do preço médio, que alcançou quase 30,0% (US$ 431,84 a tonelada), e o aumento dos embarques em 58,14% (305.732 toneladas).

Frango e bovinos
Albanez destaca ainda a carne de frango no contexto das exportações mineiras do agronegócio entre janeiro e agosto de 2010. A receita obtida com a comercialização da carne foi de 145,0 milhões, portanto 25,83% maior que o valor registrado no período anterior. De acordo com o superintendente, também no caso do frango a valorização do produto foi de fundamental importância para a evolução da receita. O preço médio da tonelada alcançou cerca de US$ 1,5 mil, equivalente a uma alta de quase 17,0% na comparação com o valor pago nos oito primeiros meses do ano passado.

Para o presidente da Associação dos Avicultores de Minas Gerais (Avimig), Antônio Carlos Vasconcelos Costa, uma das razões da alta nas exportações de frango foi o aumento dos embarques para a Rússia, onde o produto alcançou boa cotação. Ele considera que o resultado da comercialização da carne no mercado externo contrabalança o custo dos insumos indispensáveis à criação das aves. Por causa do custo de produção crescente, o empresário observa, a cotação atual do frango vivo (R$ 1,60 o quilo na granja) no mercado interno não cobre o custo de produção. Apesar da defasagem, o dirigente da Avimig acredita que haverá uma solução, principalmente se o governo federal atender ao pedido de realização de leilões de milho para Minas. Essa medida é necessária para que os produtores continuem estimulados a produzir frango para o consumo interno e exportação, enfatiza.

No caso da carne bovina, a receita de US$ 215,7 milhões representou aumento de 18,10%. Também neste segmento os negócios foram favorecidos pela melhoria do preço médio, que se aproximou de US$ 4,0 mil a tonelada, crescimento de 16,73%. Segundo Albanez, este percentual fez a diferença, porque o volume exportado de carne bovina por Minas Gerais nos oito meses deste ano teve aumento inferior a 2,0%.

Madeiras e sucos
O grupo madeiras e subprodutos também teve destaque nas exportações mineiras do agronegócio no acumulado de janeiro a agosto de 2010, com uma receita de US$ 503,9 milhões, equivalentes a uma evolução de quase 98,0% diante do valor registrado nos oito primeiros meses do ano passado. Embora o aumento do volume exportado no período tenha sido inexpressivo, o preço médio da tonelada alcançou US$ 656,0, uma evolução de 96,24% diante da cotação registrada nos primeiros oito meses de 2009.

Segundo o superintendente, as exportações mineiras de sucos e conservas alimentares têm registrado aumentos sucessivos, com base principalmente no aumento de volume. No período de janeiro a agosto deste ano, a receita alcançou US$ 83,0 milhões, equivalentes a uma alta de 2.160%. O volume comercializado nos oito primeiros meses de 2010 atingiu 126,8 mil toneladas, crescimento superior a 2.569,48% em relação aos embarques do acumulado dos primeiros oito meses do ano passado.
Tags:
Fonte: Agência Minas

Nenhum comentário