Algodão: Baixa oferta de pluma de qualidade limita negócios

Publicado em 29/08/2012 11:03 418 exibições
As negociações envolvendo algodão em pluma permanecem em ritmo lento no mercado interno. Produtores consultados pelo Cepea seguem focados no cumprimento de contratos e na finalização da colheita. A escassez da pluma de qualidade superior ainda é o principal empecilho para os negócios. Para o pouco volume de algodão de qualidade superior e com testes de HVI disponível, vendedores estão firmes nos preços pedidos. Aqueles cotonicultores com necessidade de caixa imediato colocam à venda lotes pequenos, e ainda sem HVI, a preços inferiores. Com a baixa oferta, indústrias com necessidade de pluma para o curto prazo pagam prêmio sobre o valor do Indicador CEPEA/ESALQ, além do ágio do tipo especificado. Mesmo assim, agentes de indústrias não conseguem encontrar vendedores dispostos a negociar. Os poucos lotes disponibilizados para pronta-entrega são aqueles rejeitados por compradores que estão recebendo a pluma contratada antecipadamente. Entre 21 e 28 de agosto, o Indicador CEPEA/ESALQ com pagamento em 8 dias subiu 1,95%, fechando a terça-feira a R$ 1,659/lp. No mês, o Indicador acumula alta de 4,8%.
Tags:
Fonte:
Cepea

0 comentário