Algodão colorido terá preço mínimo

Publicado em 25/02/2013 08:03
394 exibições
O projeto da Conab é começar o processo para esse tipo de fibra até abril
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) está levantando informações para estabelecer o custo de produção do algodão colorido e implantar a Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) para a cultura. O objetivo é promover a estabilização da cadeia produtiva assegurando a garantia de compra aos produtores da fibra. A previsão dos técnicos da Conab é que a PGPM do algodão colorido seja inserida até o mês de abril.

Para realizar o cálculo do custo de produção do algodão colorido no estado da Paraíba, técnicos da Conab visitaram municípios produtores na última semana. Na ocasião, eles se reuniram com agricultores e representantes de cooperativas agrícolas, da Embrapa Algodão e da Emater, além de agentes financeiros.

Entre as informações solicitadas estão a disponibilidade de sementes, área plantada no passado, área, produção e produtividade nos últimos cinco anos. Após a finalização do estudo, será enviada uma proposta de preço mínimo para os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Fazenda.

Durante o encontro com os profissionais da Embrapa Algodão o gerente de Fibras e Produtos Especiais e Regionais da Conab, Djalma Fernandes, explicou que a política de preço mínimo deve contribuir para alavancar a cadeia produtiva do algodão colorido. Com essa política o produtor terá um colchão, uma garantia mínima de preço e isso será muito bom, pois ele irá se sentir seguro para plantar, além de impulsionar a cadeia por meio dessa participação do governo, analisou.

Leia a reportagem na íntegra , no site Dinheiro Rural:
Tags:
Fonte: Dinheiro Rural

Nenhum comentário