Pragas: entidades advertem "olho vivo nas lavouras de algodão"

Publicado em 10/02/2015 09:10 114 exibições

Ter "olho vivo", vontade de aprender e muita disposição para o trabalho são algumas características fundamentais de um tipo de profissional cada vez mais valorizado nas lavouras de algodão e de produção de outras commodities agrícolas: o monitor de pragas, também conhecido como "pragueiro", embora atualmente algumas pessoas prefiram chamá-lo de monitor técnico de campo em face da diversidade de suas tarefas. "O monitor é imprescindível no atual sistema produtivo. A atuação dele vai definir a eficácia do trabalho de prevenção e controle de pragas, doenças, nematoides e plantas daninhas, evitando ou minimizando danos à lavoura", afirma o engenheiro agrônomo Márcio Souza, diretor de produção da empresa Girassol Agrícola.

Souza diz que o monitor – geralmente um técnico agrícola em início da carreira – precisa sentir "dor do dono", ou seja, cuidar da lavoura como se fosse sua e estar sempre em busca de mais conhecimento. "No atual sistema produtivo adotado em Mato Grosso, temos pragas comuns a todas as culturas e precisamos pensar no manejo de pragas de forma integrada", acrescenta o diretor, numa referência ao Manejo Integrado de Pragas (MIP). O monitor ainda precisa estar atento a sintomas de doenças em todos os estágios da lavoura e à presença de nematoides, e também fazer o manejo fenológico das plantas, determinando a necessidade de uso de reguladores de crescimento, entre outras ações.

Por isso a atualização desses profissionais é fundamental e deve ser constante, na avaliação de Souza, que faz questão que os monitores sob seu comando participem do treinamento que será oferecido pelo Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) e pela Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), com apoio financeiro do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), após o carnaval.

A Serra da Petrovina, tradicional região produtora de algodão no Sul de Mato Grosso, será a primeira a receber o Treinamento de Monitores de Pragas do Algodoeiro, no próximo dia 19. Durante um dia, o público-alvo de cada um dos sete Núcleos Regionais - formado por monitores de pragas, técnicos agrícolas, engenheiros agrônomos, gerentes de fazenda e produtores de algodão – receberá informações não só sobre monitoramento de pragas como bicudo, lagartas, mosca-branca e percevejos, como também sobre doenças, nematoides e plantas daninhas.

A programação será aberta às 7h30 com a palestra "Monitoramento de pragas do sistema de cultivo do algodoeiro e soja" do consultor Paulo Saran. Em seguida, o fitopatologista Rafael Galbieri, do IMAmt, falará sobre manejo de doenças e nematoides na cultura do algodoeiro. Também pesquisadores do IMAmt, Edson R. Andrade Junior abordará o tema plantas daninhas: identificação, monitoramento, controle e resistência; Eduardo Barros ficará responsável por falar sobre a situação do bicudo em Mato Grosso e Jacob Crosariol Netto trará informações sobre lepidópteros-praga e a importância da área de refúgio.

Novo aplicativo - O treinamento também será uma oportunidade para que monitores de praga e produtores conheçam melhor o aplicativo que o IMAmt está colocando à disposição dos associados da Ampa na safra 2014/15. Desenvolvido pela empresa Terras, em parceria com pesquisadores do IMAmt, o novo sistema de monitoramento de pragas do algodoeiro foi idealizado para auxiliar o cotonicultor nas ações de monitoramento e controle de pragas da cultura, oferecendo ainda vantagens como a padronização das vistorias em campo e a aplicação, de forma adequada e no tempo certo, dos inseticidas na lavoura.

"As ações de monitoramento de pragas dependem das informações dos monitores de campo e, além do sistema facilitar e dar precisão a essa coleta, elimina a demora na análise dos dados obtidos no campo, comum no método de amostragem tradicional. Essa agilidade é crucial diante de novas pragas que demandam rapidez no seu controle na lavoura", afirma Anderson Orsi, da Terras. Graças a uma parceria firmada entre o IMamt e a Terras, os associados da Ampa terão acesso ao uso gratuito dessa ferramenta por um ano.

Agenda - Segue a agenda do Treinamento, que será realizado no horário das 7h30 às 12 horas e de 13h às 17h30:
19 de fevereiro (quinta-feira) – Pedra Preta (Serra da Petrovina) - Auditório da Fazenda Torre 1, Br-364 km 125
20 (sexta-feira) - Primavera do Leste - Auditório do Hotel Tesla
21 (sábado) - Campo Verde - Auditório da Cooperfibra
26 (quinta-feira) - Sorriso - Auditório do Hotel Odara
27 (sexta-feira) - Campo Novo do Parecis - Auditório da Câmara Municipal
28 (sábado) - Sapezal - Auditório da Prefeitura Municipal

Tags:
Fonte:
Ampa

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário