Produção de etanol na safra 2019/2020 deve aumentar 7,1%, diz Unica; Bolsonro vai levar etanol à Índia

Publicado em 17/12/2019 22:13
253 exibições
Vendas para o mercado externo devem atingir 1,6 bilhões de litros

A produção de etanol na safra 2019/2020 deve atingir 33,1 bilhões de litros, o que representa uma expansão de 7,1% com relação à temporada passada (30,95 bilhões de litros). Deste valor, as projeções são de que 9,72 bilhões sejam de etanol anidro e 23,42 bilhões de litros sejam de etanol hidratado. Segundo a União da Agroindústria Canavieira do estado de São Paulo (Unica), que divulgou os dados hoje (17), na capital paulista, esse é um valor recorde no atual ciclo agrícola.

Com o aumento da produção de etanol, na Região Centro-Sul, a Unica espera que haja um incremento de 2,7 bilhões de litros na oferta do produto no mercado interno nesta safra, na comparação com o que foi oferecido no ciclo anterior. A expectativa é a de que as vendas do biocombustível no mercado brasileiro alcancem 33,5 bilhões de litros, dos quais 10,3 bilhões de litros de etanol anidro e 23,2 bilhões de litros de etanol hidratado.

Os dados mostram ainda que, com esses números, a participação em volume do etanol no consumo total de combustíveis líquidos deve chegar a 61,5% na safra de 2019/2020. De acordo com a Unica, a economia gerada em 2019 para os consumidores brasileiros com a utilização do combustível foi de R$ 3,4 bilhões. Além disso, foi alcançada uma redução de 80 milhões de toneladas de CO2 nas emissões de gases de efeito estufa.

O balanço aponta ainda que as vendas para o mercado externo devem atingir, na safra 2019/2020, 1,6 bilhão de litros. As importações devem totalizar 1,25 bilhão de litros neste ciclo.

Açúcar

Segundo o levantamento, pelo menos 34,29% da cana processada na safra 2019/2020 será destinada para a produção de açúcar, ante os 35,21% registrados no ciclo anterior. A produção de açúcar esperada para o final do ciclo é de 26,70 milhões de toneladas, uma alta de 0,72% na comparação com a oferta da safra 2018/2019.

Moagem

Os dados da Unica mostram que até o dia 1° de dezembro foram processados 575,29 bilhões de toneladas de matéria-prima na safra 2019/2020 no Centro-Sul do país.  O valor esperado para o final do ciclo agrícola é de 590 milhões de toneladas, 2,9% a mais do que na safra anterior.

Preços

Questionado sobre os preços do etanol, o presidente da Unica, Evandro Gussi, afirmou que o etanol é regulado pelo mercado, ou seja, temos uma demanda aquecida, oferta suficiente para garantir o consumo, mas essa é uma política regulada por preço. "Se você tem demanda mais aquecida, consequentemente tem-se preços que vão ter seu incremento". Segundo Gussi, se não existisse o etanol, o gasto do brasileiro por quilômetro rodado seria muito maior. "O etanol no fundo é o melhor balanço de redução do preço do combustível Ciclo Otto [gasolina e etanol hidratado] que o mundo conhece".

Brasil vai promover etanol em visita de Bolsonaro à Índia, diz Unica

SÃO PAULO (Reuters) - O etanol será um dos principais temas na agenda do presidente Jair Bolsonaro em viagem oficial à Índia em janeiro, disse nesta terça-feira a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), importante associação do setor.

O presidente da Unica, Evandro Gussi, afirmou que o Brasil vai discutir meios de apoiar a Índia no fortalecimento de seu programa de etanol, incluindo como aumentar a produção do biocombustível e sua mistura com gasolina, o que poderia reduzir estoques de açúcar no país asiático e dar força aos preços do açúcar.

"A Índia pode ter grandes benefícios econômicos e ambientais com um impulso a seu programa de etanol", disse Gussi, que estará na Índia com Bolsonaro durante a visita.

Segundo o chefe da Unica, o aumento na produção e mistura de etanol na Índia reduziria a necessidade de o governo subsidiar o setor de açúcar e também cortaria custos do país com importação de petróleo e gasolina.

A maior mistura de etanol à gasolina poderia ainda reduzir a poluição nas grandes cidades indianas, um problema crítico para o país, disse Gussi.

"Eu estive em Délhi durante a última crise de poluição deles. Era difícil respirar", afirmou.

A Unica estima que o uso de etanol no Brasil em 2019 levará a reduções totais de emissões de carbono de 80 milhões de toneladas.

O Brasil adiciona 27% de etanol à gasolina, enquanto 90% da frota de carros do país pode utilizar 100% de etanol hidratado devido a seus motores "flex".

"A Índia poderia reduzir significativamente a poluição com o etanol. Seria algo fácil para eles", disse ele.

Gussi afirmou que a Unica fará um "road show" em fevereiro para promover o etanol em outros países asiáticos, como Tailândia, China e Paquistão.

Atualmente, o governo brasileiro está questionando na Organização Mundial do Comércio (OMC) os subsídios fornecidos pela Índia ao setor açucareiro, afirmando que o apoio financeiro estatal, especialmente para as exportações do adoçante, afeta as regras comerciais e mantém os preços globais baixos.

Julio Maria Borges, especialista em açúcar e etanol da consultoria paulistana JOB, disse que o acréscimo da flexibilidade ao setor açucareiro indiano, com a possibilidade de que também se produza etanol, pode evitar a produção com prejuízos para alguns países --incluindo a própria Índia.

Ele afirmou em relatório que as exportações de açúcar do Brasil na atual temporada não teriam gerado dinheiro suficiente para que as usinas cobrissem custos e depreciação. As vendas de etanol, entretanto, cobririam tais custos e ainda gerariam ganhos de cerca de 15%.

Fonte: Agência Brasil

0 comentário