MT instalará 1ª usina de etanol à base de milho e cana do País

Publicado em 28/11/2011 07:00 869 exibições
O Estado do Mato Grosso lançou no último sábado (26) a pedra fundamental do prédio onde será instalada a primeira usina brasileira a processar cana-de-açúcar e milho em um mesmo complexo. Depois da conclusão das obras, prevista para 15 de fevereiro, a Usimat Flex espera dobrar o seu faturamento até 2013.

Localizada na cidade de Campos de Júlio, na microrregião do Parecis, no oeste do Mato Grosso, a Usimat Flex, que processa atualmente 600 mil toneladas de cana, e produz aproximadamente 48 milhões de litros de etanol, deverá investir nas obras para flexibilizar a produção de etanol da usina entre cana e milho, cerca de R$ 15 milhões.

De acordo com o diretor da Usimat Flex, Sérgio Barbieri, em fevereiro e março do ano que vem a planta vai processar as primeiras toneladas de milho. Entre março e dezembro de 2012, a usina voltará a produzir apenas etanol de cana-de-açúcar e, a partir de 2013, passará a processar simultaneamente milho e cana. Barbieri espera recuperar o que investiu na usina em cinco anos com a venda do etanol de milho como combustível automotivo. "Em 2012 nós vamos moer aproximadamente 30 mil toneladas de milho, para produzir 10 milhões de litros de etanol de cana. Iríamos moer mais, mas optamos por começar com menos, e aumentar gradativamente. Em 2013 a ideia é processar 100 mil toneladas de milho, para produzir 40 milhões de litros", garantiu o diretor, relembrando que o projeto, envolveu entidades de toda a cadeia produtiva do milho na região, e conta com a assessoria técnica da Novozymes Latin America, líder mundial na produção de enzimas.

O gerente de Vendas da Novozymes, Mário Cacho, que é quem assessora o projeto, conta que a ideia da usina flex surgiu em meados do ano passado, quando a oferta de milho no Estado do Mato Grosso estava elevada, fato que derrubou os valores do produto a abaixo de R$ 8 por saca. "O cenário era tão crítico que a Associação de Produtores de Soja e Milho do Mato Grosso (Aprosoja) nos procurou para que fizéssemos um estudo, para saber a viabilidade de instalar uma usina de etanol a base de milho no estado", lembrou o executivo.

Confira a íntegra da notícia no DCI

Fonte:
DCI

3 comentários

  • Ulrich Henriques Ribeiro São João Nepomuceno - MG

    Muito boa a iniciativa de se produzir etanol a partir de diferentes matrizes.

    0
  • Flavio Schirmann Formigueiro - RS

    Até que enfim alguem "descobriu" que cana e cereais são complementares (milho, arroz, sorgo), além do sorgo sacarino, na produção de alcool além de fornecer ração para ruminantes como produto agregante...

    0
  • Flávio Pompei Uberaba - MG

    Os EUA começaram a construir usinas em 2006 e já sã o maior produtor e o maior exportador de etanol. Como eles não "queimam" dinheiro, seguramente teremos muito que aprender com eles na área do etano do milho. Poucos se deram conta de que o subproduto do etanol do milho é uma ração altamente proteica e quase completa para o confinamento de gado. E é nesse subproduto que está a grande fonte de riqueza americana de longo prazo, que é a produção de proteína animal do "boi verde", que comerá essa ração de milho. O MT e o empreendedor Sérgio Barbieri estão "mirando na lebre e matarão um elefante" de oportunidades (maior do que a cana para o MT), parabéns!...

    0