Lula, hoje em Brasília: "o Blairo vai estar lá? Então eu vou almoçar lá com o Blairo..."

Publicado em 29/10/2013 16:35 e atualizado em 19/02/2014 13:23 1176 exibições
por Lauro Jardim, de veja.com.br (Reynaldo Rocha, no blog de Augusto Nunes, de veja.com.br)

É difícil a vida de quem busca prestígio político e ministério. Que o diga Gim Argello. Lula saía do plenário para almoçar no restaurante do próprio Senado, agora há pouco.

No meio do caminho, Gim irrompe entre o amontoado de jornalistas e, enfim, consegue chegar a Lula. Estanca entre as câmeras para garantir a foto com Lula e pede.

- Presidente, vamos almoçar com a gente ali na liderança do PTB.

Lula pensou e retrucou:

- Quem vai estar lá?

Gim citou alguns nomes, entre eles o de Blairo Maggi, e Lula se convenceu, dando o sinal verde:

- Ah, o Blairo vai estar lá? Então eu vou almoçar lá com o Blairo.

Nem precisa dizer que a turma que o acompanhava, como Ideli Salvatti, também mudou o rumo para sentar-se com Gim, Blairo Maggi e, claro, Lula.

(Atualização, às 16h43: Gim Argello acaba de entrar em contato para esclarecer que o convite foi feito no plenário.  Depois, ele só reafirmou-o para Lula)

Por Lauro Jardim
 

Ravióle, ginástica e críticas à imprensa


Lula: com a corda toda

Lula bebeu apenas água no almoço que teve hoje com a bancada do PTB (leia mais em Está servido?), mas estava com a corda toda.

Entre uma garfada e outra no ravióle de carne, Lula jurou que faz duas horas de ginástica por dia já há um ano e quatro meses. Com qual objetivo? Fala Lula:

- Em 2014, vou eleger a Dilma. Mas estou me preparando para 2018, se for preciso.

É uma afirmação típica de Lula. Sempre que tem oportunidade que não está aposentado, lança aos que o rodeiam a ideia de que ali, diante deles e em carne e osso, está a expectativa de poder futura.

Na conversa, dedicou-se também a um dos seus esportes favoritos, descer a borduna na imprensa, a qual chamou de despreparada e parcial em relação aos políticos.

Contou que recentemente assistia TV e, ao zapear, parou no SBT. Sem dar nomes, diz que viu uma jornalista de “vinte e poucos anos” criticar pesadamente o governo e os políticos. Em sua avaliação, as críticas não tinham embasamento algum.

Além da bancada petebista, apareceram alguns bicões no almoço: Lindbergh Farias, Vital do Rego e Renan Calheiros.

Por Lauro Jardim
 

Ele não desiste


Em busca de apoio

Em busca de apoio

José Serra não dá o braço a torcer e continua se comportando como se tivesse chances concretas de ser candidato a presidente no ano que vem. Na semana passada, Serra ligou e convidou Álvaro Dias a comparecer a uma palestra que ele dará no Paraná nos próximos dias.

Por Lauro Jardim


A voz por trás da voz


kakay1.jpg

Kakay: a voz por trás do Rei

O Globo de hoje transcreve uma frase dita por Roberto Carlos na entrevista ao Fantástico que não foi ao ar por causa da edição que enxugou os vinte minutos de conversa para os cinco minutos que foram ao ar. Era um exemplo dado pelo Rei com o objetivo de defender a privacidade dos biografados. Ei-la

- Imagine que um estuprador possa descrever todos os detalhes do abuso sexual que cometeu contra a vítima, aumentando ainda mais o sofrimento da família. Isso é justo?

O argumento, praticamente com as mesmas palavras, foi usado dias antes numa conversa entre o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que atua como consultor do Procure Saber, e um interlocutor. Também foi publicado no artigo que o advogado escreveu para a Folha de S. Paulo no dia 19. Kakay, aliás,  famoso em Brasília por cantar Roberto Carlos em festas e bares, é uma espécie de voz por trás da voz do Rei.

A frase de Kakay dita por Roberto confirma o óbvio. A partir de agora, inclusive nos vídeos que serão divulgados hoje (leia mais em Nova postura), os medalhões da MPB vão se pronunciar com os argumentos soprados pelos advogados.

É o que dentro do Procure Saber está sendo qualificado como uma segunda fase da luta do grupo, com mais profissionalismo e menos voluntarismo. Deixou-se  de lado o discurso só censura prévia e vão centrar baterias na privacidade.

Por Lauro Jardim
 

Atenção ao norte 


legenda

Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia

O governo está atento à seca que grassa no Norte e suas consequências para o fornecimento de energia. As hidrelétricas da região passaram de exportadoras de energia para o Nordeste, para importadoras da região Sudeste desde sexta-feira passada.

De acordo com dados do próprio governo, entre sexta-feira e ontem, o Norte importou 1 646 megawatts.

Por Lauro Jardim

 

Opinião

Reynaldo-BH: É preciso que as ruas sejam devolvidas aos seus verdadeiros donos

Bandidos! Na fantasia de mascarados, na covardia de não assumirem as identidades, no método e principalmente no ROUBO das ruas que nunca foram deles. Instrumentalizados desde o início. Não podemos esquecer que o tal Movimento Passe Livre, quando da primeira manifestação dirigida ao Governo Alckmin, usou punks para barbarizar e aterrorizar a população. O estratagema foi admitido pelos tais líderes do MPL.


Daí ao próximo passo, o caminho foi curto. Sai os punks e entram os bandidos covardes de cara tampada.

O ROUBO das ruas – que em junho e julho foram do povo – é mais um dos cometidos pelos nazifascistas da Era da Mediocridade. No Rio de Janeiro, atacam Sérgio Cabral e esquecem que as obras da Copa são de responsabilidade do Governo Federal.

Em SP, voltam às ruas contra Alckmin e elogiam Haddad pelo aumento extorsivo do IPTU que – será promessa? – financiará para todos o passe livre em ônibus, trens e metro na maior cidade da América Latina. Como se alguma conta pudesse suportar esta ridícula proposição.

Que fique claro: estes bandidos de preto, covardes com as caras cobertas são animais numa manada sem vontade própria nem capacidade de ruminar ideias. São frutos diretos (e diletos) do aparelhamento das manifestações por parte de quem era alvo das mesmas.

Não são contra o estado. São contra Estados da federação que são governados por partidos de oposição. Escolhem alvos secundários em substituição aos verdadeiros responsáveis. Alteram as palavras de ordem.

O povo nas ruas não pediu passe livre em transportes. A palavra de ordem era: “Não é pelos R$ 0,20!”, lembram-se? As manifestações eram contra a impunidade dos mensaleiros, pelo fim da ameaça ao Ministério Público, pela exigência de escolas e hospitais minimamente decentes e pela mudança do que vivemos.

A tentativa primeira (e primária) de se apoderar do movimento por parte do lulopetismo, resultou na expulsão sumária destes manifestantes. Na queima de bandeiras. No nojo declarado e explicitado.

A segunda tentativa está em curso e parece ter funcionado. Atemorizar o cidadão, tirando-o das ruas e das manifestações.

É preciso dar o nome às mulas desta carroça de criminosos. Além da violência física, da agressão vulgar, do vandalismo (que se transforma em furto de lojas), há o ROUBO das ruas. A violência maior.

Devolvam nossas ruas, bandidos mascarados. Juntem-se aos bandidos sem máscaras. Vão para as ruas, mas no subsolo das mesmas.

A terceira tentativa é buscar um cadáver. De preferência em SP, para que o Estado (e a PM) seja estigmatizado como selvagem e assassino. Pouco importa quem seja o assassinado. Contanto – na covardia que demonstram – não seja um deles. De preferência, um popular qualquer, um cidadão sem culpa. São bandidos. E covardes.

Não prego a violência em resposta à violência. EXIJO a aplicação da lei. Sem que a OAB vá defender bandidos em nome sabe-se lá de que. Que o Ministério Público lembre-se que o POVO foi às ruas para garantir a independência do Parquet Público e este não está usando a mesma para o que dele se espera.

Que a imprensa PARE de chamar bandidos de vândalos ou de manifestantes. São BANDIDOS. Em defesa do MEU DIREITO de manifestação, é preciso que as ruas sejam devolvidas aos verdadeiros donos: NÓS!
 

NA FOLHA: 

Lula homenageia Sarney e diz que ele foi tão importante quanto Ulysses para a Constituição

No período da montagem e promulgação da Constituição, Sarney era o presidente da República, Ulysses o presidente da Câmara dos Deputados e Lula um dos constituintes pelo PT, na época oposição ao governo.oração aos 25 anos da Constituição de 1988, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez nesta terça-feira (29) uma homenagem pública ao também ex-presidente José Sarney (PMDB-AP), dizendo que o peemedebista foi tão importante quanto Ulysses Guimarães (1916-1992) no processo de formulação da atual Carta Magna brasileira. Lula também criticou aqueles que "avacalham" a política, como a imprensa, e mandou recado a ex-senadora Marina Silva --que fechou aliança com o provável adversário de Dilma em 2014, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).
"Eu queria fazer reconhecimento de público. Ulysses Guimarães certamente foi o símbolo dessa Constituinte, coordenou com maestria numa situação muito difícil, em que o PMDB tinha 23 governadores e 306 constituintes, e que sozinho podia fazer o que queria. Eu tenho consciência que o senhor não teve facilidade, muito menos moleza. Quero colocar a sua presença na Presidência no período da Constituinte em igualdade de condições com o companheiro Ulysses Guimarães", discursou Lula no plenário do Senado.

Segundo o petista, o principal mérito de Sarney foi permitir que os constituintes fizessem livremente críticas a ele.

Tags:
Fonte:
veja.com.br + Folha

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário