Na FOLHA: Gasolina e diesel estão mais caros no Brasil que no exterior

Publicado em 30/11/2014 20:09 e atualizado em 02/12/2014 06:54 1181 exibições
por Geraldo Samor e Rodrigo Constantino, de veja.com

O preço da gasolina está entre 20% e 24% mais caro no Brasil do que no exterior. No diesel, a diferença é de cerca de 15%. O cálculo compara o preço praticado no país e no golfo do México, principal referência internacional.

Os brasileiros estão pagando mais que os estrangeiros pelos combustíveis, porque o petróleo desabou no mercado internacional, mas a queda não foi repassada no país.

O governo foi na contramão e, após a reeleição da presidente Dilma, reajustou a gasolina em 3% e o diesel em 5%. O objetivo do reajuste é fortalecer as combalidas finanças da Petrobras.

De 2010 até outubro de 2014, a estatal subsidiou o consumidor brasileiro ao vender gasolina mais barata do que no exterior.

O governo resistia a reajustar a gasolina para não elevar ainda mais a inflação. No auge, a diferença desfavorável à Petrobras chegou a 30%.

  Editoria de Arte/Folhapress  
 

Conforme o CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura), a estatal acumulou perdas de R$ 51,4 bilhões no período pelo custo de oportunidade (o quanto poderia ter ganho se vendesse em outro mercado).

Agora, são os consumidores brasileiros que estão subsidiando a Petrobras. Com a atual diferença de preços, o ganho mensal da estatal é de R$ 607 milhões na gasolina e de R$ 1,059 bilhão no diesel.

É preciso ressaltar, no entanto, que nem tudo vai para a empresa, porque o custo do frete encarece o produto brasileiro em cerca de 10%.

Procurada, a Petrobras não deu entrevista.

VULNERABILIDADE

"A estatal está ganhando musculatura, mas depois de anos de perdas ainda falta muito", diz Fábio Silveira, diretor de pesquisa da consultoria GO Associados.

Segundo Adriano Pires, diretor do CBIE, uma desvalorização brusca do real pode anular a vantagem da Petrobras, pois encareceria os combustíveis em moeda local e elevaria o custo da dívida em dólar.

A queda do preço do petróleo também não favorece os investimentos da Petrobras. Os analistas já têm dúvida sobre qual é o patamar de preços que viabilizaria os altos investimentos no pré-sal.

Só nos últimos 30 dias, o preço do petróleo tipo Brent, referência para o mercado, caiu 15,7% para US$ 72,05 por barril. Um ano atrás, o barril era cotado a US$ 106,4.

A queda se acentuou na semana passada, quando a Opep, cartel dos países petroleiros, informou que não vai reduzir a produção. Nesta segunda (1º), o dia foi de recuperar parte das perdas, e os preços subiram 3,4%.

A derrocada do preço é consequência, sobretudo, da redução do consumo nos EUA com a maior utilização do gás de xisto. Investidores que aplicavam dinheiro em commodities também estão migrando para títulos da dívida americana na expectativa de que os juros subam. 

 

 

O petróleo desabou, mas a Petrobras ainda precisa de você

nymex

 

Com o petróleo desabando lá fora — no espírito da Black Friday, o WTI caiu 10% para US$66 — a Petrobras finalmente não precisa mais reajustar a gasolina na bomba, certo?

Infelizmente, errado.

É verdade que o ‘quase crash’ do petróleo nos últimos meses — de 110 dólares/barril para abaixo de 70 — ajudou a Petrobras, que, com seus preços congelados, costumava vender com prejuízo a gasolina que importava.  Fiquem estarrecidos:  com a queda do Brent, a gasolina no Brasil agora está quase 16% mais cara do que no mercado internacional.

Mas a Petrobras, ainda assim, precisa aumentar seus preços.

O problema é que, como a estatal é uma das mais endividadas do mundo e o real está se desvalorizando, a Petrobras precisará de mais reais nos próximos meses para pagar juros da sua dívida líquida, que chega a 240 bilhões de reais, e manter seu programa de investimentos.

Oitenta por cento da dívida da Petrobras são denominados em dólar ou euro. Apenas no segundo trimestre deste ano, a Petrobras pagou entre juros e amortizações de sua dívida 7,8 bilhões de reais. Neste ano, ela deve gastar mais de 35 bilhões de reais apenas para servir sua dívida. Com o real se desvalorizando, essa conta sobe.

“O problema deixou de ser a desafagem com os preços internacionais e passou a ser o câmbio,” diz Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infra Estrutura (CBIE), uma consultoria do setor de energia. “A empresa está tão alavancada e com uma necessidade de investimento tão alta e já comprometida que uma mudança mais brusca no câmbio pode ser fatal para sua capacidade de honrar sua dívida em 2015.”

Os cálculos são da Goldman Sachs.

Para cada 1% de aumento no preço da gasolina, a Petrobras gera mais 1,7 bilhão de reais de caixa por ano. Mas para cada 1% que o Real se desvaloriza, ela perde 1,4 bilhão de reais em sua geração de caixa anual. Ou seja, apenas para manter sua geração de caixa estável, a Petrobras teria que enxugar gelo e aumentar a gasolina cada vez que o real escorrega.

“Ou a Petrobras aumenta mais a gasolina, ou corta investimentos, ou toma mais dinheiro emprestado no mercado, mas com essa confusão da Lava Jato e dos balanços, ninguém sabe se ela ainda tem acesso,” diz um gestor. Um agravante deste quadro: se o Brasil perder seu grau de investimento ano que vem, a Petrobras perde junto, o que aumentaria o custo de novos empréstimos e limitaria ainda mais seu acesso ao mercado de capitais.

“Ela tem que fechar logo esse balanço e ir pro mercado levantar mais dinheiro, mas o custo desse dinheiro novo já subiu agora [pós-Lava Jato],” diz outro gestor que acompanha a empresa. “Cortar investimentos é quase impossível porque a maioria dos projetos se encontra no meio do caminho. Dá pra cortar uns 5% ou 10% talvez, só.”

tabela-petrobras-endividamento-vejamercados

Por Geraldo Samor

 

Petróleo pode quebrar a Rússia e respingar no Brasil

Vladimir PutinA queda do preço do petróleo, que se agravou nas últimas horas, torna ainda mais dramática a situação da Rússia, que precisa do barril negociando a 100 dólares para evitar uma recessão.

E se a coisa piorar um pouquinho, pode sobrar para o Brasil.

As vendas de petróleo e gás respondem por mais de dois terços das exportações da Rússia. Além do país estar perdendo receita com o barril barato, o acesso ao crédito também está secando como resultado das sanções do Ocidente, que tenta conter o neoimperialismo de Vladimir Putin.

No primeiro semestre deste ano, o preço médio do petróleo era de 110 dólares por barril. Ontem, o West Texas Intermediate (WTI) listado na bolsa de Chicago derreteu para menos de 70 dólares por barril depois que os membros da OPEP não chegaram a um acordo para cortar a produção. (Já não se fazem mais cartéis como antes.) O Brent — principal benchmark do mercado de petróleo — agora sai a 73 dólares.

Para compensar a perda de receita, a Rússia deixou o rublo andar. A moeda já se desvalorizou 31% em relação ao dólar em três meses, e negocia no nível mais baixo da história (veja gráfico abaixo).

O Brasil é sensível ao que acontece na Rússia. Em 1998, a “crise russa” contaminou os mercados emergentes e fez secar linhas de crédito para o Brasil.

Se os russos começarem a dar calote, o custo de tomar dinheiro no mercado internacional vai subir para empresas como a Petrobrás — assumindo que ela ainda tenha acesso ao mercado de dívida.

As empresas russas devem cerca de 500 bilhões de dólares em empréstimos internacionais. Deste total, 130 bilhões vencem até o fim de 2015.

No mês passado, a Standard & Poor’s manteve o rating da Rússia em BBB-, o nível mais baixo do grau de investimento. A perspectiva é negativa, o que significa que a Rússia está sujeita a umdowngrade em abril — a próxima revisão da nota agendada pela agência — ou antes.

A situação da estatal do petróleo, a Rosneft, é preocupante.

Com seu acesso a dólares limitado, a empresa pediu que o Kremlin saque de seus fundos soberanos e a ajude a honrar 30 bilhões de dólares em dívidas que vencem nos próximos 12 meses.

Segundo a Bloomberg, quando se compara o tamanho de sua dívida com seu lucro, a Rosneft é a segunda petroleira mais endividada do mundo.

A primeira é a Petrobrás.

rublo

Por Geraldo Samor

Com Dilma, país passou a celebrar mediocridade

Eis a grande “contribuição” de Dilma ao Brasil até agora: não criou a nossa mediocridade, mas com ela, o país passou a celebrar resultados medíocres! Isso mesmo: a atividade econômica “cresceu” 0,1%, tirando oficialmente o país do quadro de recessão técnica (dois trimestres consecutivos de queda), e isso passa a ser visto como um alento. Ufa, crescemos 0,1%!!!

Penso no filme “Entrando numa fria maior ainda”, em que o personagem de Robert De Niro, espantado ao ver que os pais de seu futuro genro guardavam todas as suas “conquistas” escolares, incluindo um sétimo lugar em alguma competição qualquer, atira: “Vocês celebram a mediocridade”. Sim, Jack Burns era o “vilão” da história, em um filme, afinal, “progressista”. Mas como negar a boa tirada?

É como vejo o Brasil de hoje, cada vez mais medíocre, e pior: achando a mediocridade cada vez mais aceitável. A jornalista Miriam Leitão, em sua coluna de hoje, disseca os dados do PIB e mostra como representam o esgotamento do modelo adotado pela presidente, assim como um final melancólico para o experimento da “nova matriz macroeconômica”:

Há magros, miúdos, motivos de ânimo nos dados da economia no terceiro trimestre. A feia palavra recessão saiu de cena, já que o PIB ficou em 0,1%. Indústria e investimento subiram um pouco. No geral, o quadro é desolador. A taxa de poupança é a mais baixa em 14 anos. O consumo das família provou que o modelo de crescer incentivando o endividamento se esgotou.

Trocando em miúdos: o país parou no ano de 2014. Não é culpa do mundo. É resultado das escolhas da política econômica que persistiu no erro com uma insistência que não se curvava nem aos fatos da vida. O ministro Guido Mantega, que ainda está no exercício de suas funções, achou que o país cresceria pelo consumo das famílias estimulado pelo endividamento. Ontem mesmo ele repetiu que um dos problemas é a baixa concessão de crédito por parte do sistema financeiro. Mas a verdade é que as famílias tomaram empréstimos, comprometeram seus orçamentos e agora pagam as contas. Orçamento não é elástico e, felizmente, as famílias sabem.

[...]

A taxa acumulada de crescimento nos últimos quatro trimestres desacelerou de 1,4% para 0,7%. A expectativa do mercado é que chegue ao final do ano com um crescimento de apenas 0,2%. Ao mesmo tempo, a inflação ficará em torno de 6,4%.

A nova matriz macroeconômica falhou: derrubou o crescimento e alimentou a inflação. A comemoração do miúdo 0,1% é seu melancólico final.

Eis o triste resultado de Dilma + Mantega após quatro anos. E o mais espantoso: os eleitores (ou as urnas eletrônicas) escolheram mais quatro anos… disso! Quem assim o fez realmente não se importa com a mediocridade. Deve ostentar na parede do quarto, todo feliz, aquele décimo lugar na corrida da escola, quando doze participavam da disputa.

Em sua coluna na Veja desta semana, J.R. Guzzo afirma que só trocando a própria Dilma o Brasil poderia melhorar de verdade, e diz, da forma mais cordial possível, que a limitação cognitiva de nossa presidente está por trás dos resultados lamentáveis:

Guzzo

Insatisfeitos ficamos todos nós, que esperamos mais do Brasil, que sabemos de seu potencial, que temos plena convicção de que perdemos inúmeras oportunidades incríveis que não voltarão mais. Nossa economia poderia estar crescendo, facilmente, uns 5% ao ano. Não está crescendo nada! Nossa inflação poderia estar, tranquilamente, na meta de 4,5% ao ano. Está acima de 6,5%, e há anos nesse patamar.

É muita mediocridade mesmo. E uma mediocridade que assusta ainda mais quando começa a ser enaltecida…

Rodrigo Constantino

O PT vai finalmente expulsar Dirceu?

O PT roubou só um “pouquinho”…

Ao ler a notícia hoje de que o Diretório Nacional do PT aprovou a expulsão de seus membros comprovadamente envolvidos em corrupção (mas não de imediato), fiquei com a sensação de déjà vu e fui me certificar de que não pegara um jornal de uma década atrás. Como assim? Eu poderia jurar que o estatuto do PT já contemplava tal expulsão para corruptos!

“Manifestamos a disposição firme e inabalável de apoiar o combate à corrupção. Qualquer filiado que tiver, de forma comprovada, participado de corrupção, deve ser expulso”, diz trecho. Bem, deixando de lado essa questão de que a coisa já era assim antes e não fica claro ao certo o que mudou, resta perguntar: então José Dirceu vai finalmente ser expulso do PT e não mais receber aplausos emocionados sob o grito de “guerreiro nacional”?

Quer comprovação maior do que ser condenado pelo STF após todos os devidos processos legais e chances quase inesgotáveis de apelação? “Se há algum envolvimento, quero saber se as denúncias são comprovadas ou não. Todos têm direito a defesa e contraditório. Reafirmo que se alguém estiver envolvido, não ficará no PT”, disse Rui Falcão, presidente do PT. Mais direito a defesa do que teve Dirceu, Delúbio e companhia? No entanto, não vamos esquecer que nem William Bonner nem Aécio Neves conseguiram arrancar de Dilma sequer sua opinião sobre a condenação dos companheiros…

Tudo isso é uma grande piada de mau gosto. As coisas que o PT fala, escreve e faz são para “inglês ver”, ou mais precisamente para “inocente útil brasileiro ver”. Todo o esforço do partido vai na direção de simular que os escândalos que arrastam os seus na lama se devem a fatores exógenos, ao sistema político, ao financiamento privado de campanha, e que ele faz de tudo para combater tal corrupção.

O pior é que ainda tem gente que acredita! Como escreve Guilherme Fiuza em sua coluna da “Época” desta semana, um tanto incrédulo, surge em meio às vozes que defendem Dilma e o PT para se sentir progressistas “o postulado central para tentar salvar o pescoço do governo: relativizar a corrupção da Petrobras”.

Pessoas que se acham sérias e não estão (ainda) a soldo do petismo repetem que o ocorrido na maior estatal do país foi algo “normal”, que sempre ocorreu antes. O foco dos petistas em debater a “reforma política” e proibir o financiamento privado de campanha visa justamente a essa tática: jogar para ombros alheios o que o partido fez, e tratar tudo como parte natural da política brasileira.

O mesmo recurso usado por Lula no mensalão ao falar de caixa dois, o que “todos fazem”. Um empresário que se disse tucano chegou ao absurdo de escrever em um artigo na Folha que hoje se rouba até menos na Petrobras que no passado. Música para os ouvidos dos petistas e dos inocentes úteis que desejam fechar os olhos para a realidade para preservar a sensação de defensores dos pobres e oprimidos (só porque apertaram 13 nas urnas). Diz Fiuza:

Vamos explicar aos ignorantes ou mal-intencionados (a esta altura, dá no mesmo): o PT não ficou igual aos outros; o PT não é corrupto como os outros, nem um pouco menos, nem um pouco mais; o PT é o único, sem antecessor na história do Brasil, que montou um sistema de corrupção no Estado brasileiro, de dentro do Palácio do Planalto, para enriquecer o partido e se eternizar no poder.

Como alguém ainda não se deu conta disso é, para mim, um espanto. José Dirceu, o ex-ministro de Lula e homem forte do ex-presidente, foi preso não por corrupção “apenas”, mas por montar um duto entre as estatais e o caixa do partido, privatizando o dinheiro dos “contribuintes” para alimentar o projeto autoritário de poder do PT. O mesmo se deu na Petrobras, sem nenhum tipo de receio da quadrilha após o mensalão vir à tona. Fiuza pergunta:

Deu para entender, queridos inocentes úteis? O roubo não é a velha esperteza de uns oportunistas com cargos na máquina. O roubo é um projeto político de poder. Que, aliás, graças a seres compreensivos como vocês, dá certo há 12 anos. [...] Vocês estão esperando o quê? Que um companheiro bata na sua porta informando-lhe com ternura que veio buscar suas calças?

Parece que é exatamente aquilo que alguns esperam. Fiuza é até obsequioso ao chamá-los de “inocentes úteis”. São aqueles que vão aplaudir as “mudanças” aprovadas no PT para, agora, expulsar os corruptos. Mas não imediatamente. Afinal, ninguém precisa ser tão duro assim com esses pobres heróis injustiçados, que tentam apenas melhorar a vida dos oprimidos em um sistema cruel que os obriga a desviar recursos públicos…

Rodrigo Constantino

 

PT repete “mensalão” e trata suspeito do “petrolão” como herói injustiçado

Vaccari. Fonte: GLOBO

Quem repete por aí que todos são iguais, banalizando os infindáveis escândalos de corrupção da era lulopetista, ignora ao menos duas diferenças básicas: primeiro, a magnitude da coisa, que atingiu patamares nunca antes vistos na história deste país; segundo, a reação do próprio PT, que se nega a cobrar investigações e punir os seus corruptos.

Foi assim no “mensalão”, quando mesmo depois de julgados e condenados em última instância, os corruptos da alta cúpula partidária foram tratados como heróis injustiçados, e a própria Justiça foi alvo de duros ataques, principalmente o ministro Joaquim Barbosa. O PT fez sua escolha oficial: José Dirceu é o “guerreiro do povo brasileiro”, e Barbosa o “inimigo do povo”. Agora, com o “petrolão”, tudo já indica que a postura do PT será a mesma.

No epicentro do escândalo, acusado com várias evidências de ser o operador do PT dentro do esquema de desvio na Petrobras, está o tesoureiro do partido, João Vaccari Neto. E qual a reação do partido diante disso? Cobra investigações? Pede punições caso comprovados os desvios? Só rindo. O partido recebe o suspeito com aplausos efusivos. Isso mesmo: Vaccari foiovacionado em evento do PT:

Um dos alvos da Operação Lava-Jato, que investiga desvios bilionários na Petrobras, o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, foi blindado pelo partido e ovacionado pelos integrantes do Diretório Nacional, nesta sexta-feira, durante reunião em Fortaleza. O desagravo e as palmas, puxadas pelo presidente do PT, Rui Falcão, aconteceram no encontro que, mais tarde, teve a participação da presidente Dilma Rousseff.

Ao falar sobre as finanças do PT, em encontro fechado em um hotel de Fortaleza, Vaccari se disse injustiçado e aproveitou para se defender das acusações de que seria um dos beneficiários do esquema de recebimento de propinas da Petrobras e de empreiteiras que mantêm negócios com a estatal.

O tesoureiro afirmou aos integrantes do Diretório Nacional: “Nunca fiz nada de errado”. Vaccari disse não ter “nada a temer” e alegou que vem sendo alvo sistemático de “injustiças”. Ele explicou aos petistas que seus sigilos bancário, fiscal e telefônico estão abertos desde 2000 e que nunca ninguém encontrou nada que o desabonasse.

Ou seja, fez aquilo que os petistas mais fazem: apelou para a vitimização, colocou-se como um pobre injustiçado, alvo de calúnias. Pelo visto, os membros do partido ali presentes, a começar por seu presidente, Rui Falcão, ficaram muito satisfeitos com as “explicações”, e ponto final. O homem é um herói nacional, praticamente um santo, e por suas virtudes é atacado por golpistas da oposição.

Com esse tipo de postura, partindo do próprio comando do PT, ninguém poderá reclamar depois quando os petistas forem acusados de cúmplices. Não há mais como sustentar a ignorância. O PT não tem mais membros por afinidade ideológica, apenas parceiros do crime, sócios do butim, cúmplices que aceitam os métodos obscuros e corruptos como legítimos.

Gente que valoriza princípios iria cobrar investigações e lutar para expurgar do partido os criminosos. Mas o único princípio do PT é não ter princípios. É possível dizer sem medo de errar: o PT não é mais sequer um partido, e sim um ajuntamento mafioso que toma a corrupção dos seus como um método aceitável para seu fim “nobre”, qual seja, a eterna permanência no poder. São todos coniventes!

Rodrigo Constantino

Tags:
Fonte:
Folha + VEJA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

2 comentários

  • wilfredo belmonte fialho porto alegre - RS

    Eu fico pensando como que certas coisas de repente caem no nosso colo sem se saber daonde vem. Moro no Rio Grande do Sul, me considero bem informado, mas de repente surgiu no governo

    do estado a Sra. Dilma, nunca tinha ouvido falar, nunca soube que fosse candidata a alguma coisa, até mesmo para síndica de algum Condomínio e, de repente esta pessoa surge no governo do estado do Rio Grande do Sul, se não me falha a memória na Secretaria de Minas e energia e, de repente esta pessoa está em Brasília e, mais do que de repente o Lula a elege sua sucessora e aí,

    a M..... começa. Nunca soube qual o currículo desta pessoa, qual a sua formação técnica, tanto que

    ocupou cargo no "Conselho da Petrobrás" e, também deu M.. na compra de uma refinaria sucateada em que os otários do povo brasileiro foram obrigados a pagar, porque os "experts do Conselho de Administração" acharam por bem confirmar o negócio. Quem erá a expert na Presidencia deste Conselho, o meteoro catapultado a Brasilia a Sra.Dilma e, aí a M.... fedeu e está

    fedendo. O PT investiu "milhões não sei da onde saiu" mas pelo que se confirma na "operação lava jato" para reeleger a Sra. Dilma e, teremos que aguentar "no osso do peito" todas as ca.... feitas.

    e continuarão a ser maquiadas por mais quatro anos. Estou com 58 anos e não aguento mais esperar pelo Brasil do futuro. Eu até acho por amar demais o Brasil terei que deixá-lo pois vou acabar morrendo infartado dos sustos e das Me.. e Cag....que o governo tem feito para atrasar o

    desenvolvimento do país. Perdemos até para países africanos. Somos a chacota do mundo, em

    termos de empresa estatal a Petrobrás é a piada do momento. Eu morro de vergonha.

    0
  • wilfredo belmonte fialho porto alegre - RS

    Eu fico pensando como que certas coisas de repente caem no nosso colo sem se saber daonde vem. Moro no Rio Grande do Sul, me considero bem informado, mas de repente surgiu no governo

    do estado a Sra. Dilma, nunca tinha ouvido falar, nunca soube que fosse candidata a alguma coisa, até mesmo para síndica de algum Condomínio e, de repente esta pessoa surge no governo do estado do Rio Grande do Sul, se não me falha a memória na Secretaria de Minas e energia e, de repente esta pessoa está em Brasília e, mais do que de repente o Lula a elege sua sucessora e aí,

    a M..... começa. Nunca soube qual o currículo desta pessoa, qual a sua formação técnica, tanto que

    ocupou cargo no "Conselho da Petrobrás" e, também deu M.. na compra de uma refinaria sucateada em que os otários do povo brasileiro foram obrigados a pagar, porque os "experts do Conselho de Administração" acharam por bem confirmar o negócio. Quem erá a expert na Presidencia deste Conselho, o meteoro catapultado a Brasilia a Sra.Dilma e, aí a M.... fedeu e está

    fedendo. O PT investiu "milhões não sei da onde saiu" mas pelo que se confirma na "operação lava jato" para reeleger a Sra. Dilma e, teremos que aguentar "no osso do peito" todas as ca.... feitas.

    e continuarão a ser maquiadas por mais quatro anos. Estou com 58 anos e não aguento mais esperar pelo Brasil do futuro. Eu até acho por amar demais o Brasil terei que deixá-lo pois vou acabar morrendo infartado dos sustos e das Me.. e Cag....que o governo tem feito para atrasar o

    desenvolvimento do país. Perdemos até para países africanos. Somos a chacota do mundo, em

    termos de empresa estatal a Petrobrás é a piada do momento. Eu morro de vergonha.

    0