Bolsonaro se junta a PT contra intervenção; é outra sua proposta antiviolência: ele quer os nossos Nikolas com acesso a fuzis

Publicado em 17/02/2018 20:50 5082 exibições
por REINALDO AZEVEDO

A reação dos petistas à intervenção na área de segurança pública do Rio é, sim, asquerosa. E, ainda assim, não chega aos pés da vigarice política do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), pré-candidato à Presidência. Criticou a medida — suponho que vá votar contra; também já anunciou sua oposição à reforma da Previdência… Grande liberal!!! — e ainda ousou se manifestar em nome dos militares. Bem, acho que não preciso dizer que o preclaro não consegue falar nem em nome das próprias ideias. Para tanto, seria preciso que as tivesse.

Eis aí. Bolsonaro é deputado pelo Rio desde 1990. O que ele fez mesmo em favor da segurança pública no Estado, além de vomitar indecências contra os direitos humanos e em favor do armamento? Resposta: nada! Aliás, tente achar um único projeto de sua autoria que tenha sido aprovado. A sua vida partidária, convenham, é expressão de sua coerência política e da solidez de suas ideias e convicções: está agora no PSL. É sua 9ª legenda. Já pertenceu ao PDB, PP, PPR, PPB, PTB, PFL, PP e PSC. É preciso saber reconhecer o mito quando diante de um.

Ah, não! Bolsonaro não quer saber de intervenção. Até porque ele tem propostas muitas efetivas nessa área:
– extinguir o Estatuto do Desarmamento;
– distribuir porte de armas a granel;
– facilitar o acesso do homem do campo a fuzis…

Coisa de gênio.

O candidato a pensador da família, o também deputado federal Eduardo Bolsonaro — ele fala sobre ideologia, esquerda e direita com a habilidade, a destreza e a bibliografia de um dragão de Komodo na Biblioteca Britânica — fez um vídeo no Youtube em que expele barbaridades em meio a um monte de fuzis, que, entende-se, ele gostaria que fossem vendidos no Brasil com a mesma facilidade com que Nikolas Cruz, o atirador da Flórida que matou 14 pessoas, comprou o seu numa loja de Coral Springs, cidade vizinha a Parkland, onde ocorreu o massacre.

A propósito: quando é que os jornalistas investigativos procurarão saber detalhes sobre o financiamento do lobby pró-armamento no Brasil?

E, como se sabe, Bolsonaro tem dois outros filhos na política: um vereador e um deputado estadual.

Assim, pode-se perguntar e responder: além de fazer “bolsonarinhos” e de acumular um patrimônio multimilionário em sua carreira política, o que Jair Bolsonaro fez pela segurança no Rio? Resposta: propõe multiplicar exponencialmente o número de armas no país. O bolsonarismo e seus acólitos acham que o Brasil estará mais seguro no dia em que os nossos Nikolas puderem comprar um AR-15 na esquina.

Aí o boçal de plantão, com pretensões a ter um pensamento, levanta as patinhas dianteiras do chão e tenta argumentar, antes de partir para o xingamento e o vomitório de sempre: “Ah, mas arma na mão de bandido pode, né?” Não! É claro que não pode. Ocorre que isso não implica que armar a população seja uma resposta ao crime. Todas as evidências apontam o contrário: a circulação de armas, mesmo entre “as pessoas de bem”, é fator de aumento dos atos criminosos. Comparem o número de homicídios por 100 mil habitantes dos EUA com o da Alemanha ou o do Japão, por exemplo, onde é proibido circular até com arma branca. A propósito: a população civil mais armada do mundo é a venezuelana… Caracas é hoje a capital mais violenta do planeta.

Eis aí…

A verdade é que o senhor Bolsonaro, que ainda esta tentando descobrir o que é e para que serve o tripé macroeconômico, não tem ideia nenhuma também na área de segurança. Para ele, o tema é motivo só de proselitismo político e pretexto para expelir reacionarismos e boçalidades.

E, como se nota, mais uma vez, nós o vemos junto com os petistas, todos contra a intervenção.

Já estiveram do mesmo lado contra a reforma trabalhista, contra a terceirização, contra as privatizações, contra a reforma da Previdência…

Gleisi ataca a intervenção; petistas dizem que votarão contra a medida. Certo! Para eles, Rogério 157 poderia ser um Lênin!!!

Os descontentes com a intervenção federal na área de segurança pública do Rio, vejam vocês, são os petistas e o deputado Jair Bolsonaro. Tudo muito explicável, não é mesmo? A senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente do PT, saiu-se com uma explicação muito original. Segundo a preclara, o presidente Michel Temer só tomou essa medida para reprimir os movimentos sociais.

Olhem aqui: esta senhora comanda um partido de oposição ao governo. É natural que seja crítica à administração. É próprio da democracia. Mas convenham: ela poderia sofisticar minimamente as burrices que diz. Os líderes petistas já anunciaram que o partido votará contra a matéria quando esta chegar ao Congresso.

Ótimo! Façam isso mesmo. Tudo o que eu espero de petistas é que revelem a sua real natureza, colocando-se contra os interesses da população. É o que fazem os valentes quando se opõem, por exemplo, à reforma da Previdência. Só que isso não fica evidente porque boa parte das pessoas considera, erroneamente, que a dita-cuja vai lhes trazer prejuízos, o que é falso na esmagadora maioria das vezes.

No caso da intervenção, é diferente. A população do Rio e, creio, a esmagadora maioria dos brasileiros apoiam a medida porque já não aguentam mais ver gente decente ser refém de bandidos.

Mas por que essa postura de petistas e de outros esquerdistas?

É que essas mentes perturbadas consideram que bandidos são revolucionários que acabaram se desviando da rota. O criminoso que escolheu o caminho errado vira Rogério 157. O criminoso que escolheu o caminho certo vira Lênin.

Bem, esse é o substrato ideológico da crítica.

E há também o puro e simples oportunismo, não é? Afinal, se é medida tomada pelo governo e se o governo não é petista, então os petistas são contra.

Lembram? Os petistas são aqueles que não aprendem nada nem esquecem nada.

É de uma supina burrice ou má-fé afirmar que intervenção é só manobra por causa da Previdência. Ou: Corticoide e febre amarela

De todas as boçalidades ditas sobre a intervenção na área de segurança pública do Rio, a mais assombrosa é a que sugere que, agora, o presidente Michel Temer tem uma boa desculpa para deixar de lado a reforma da Previdência, já que ela vem se afigurando difícil, talvez impossível de ser aprovada.

Mal sei por onde começar a tratar da burrice — ou da vigarice analítica. O próprio presidente abordou a questão na entrevista exclusive que concedeu a este escriba no programa “O É da Coisa” (está aqui). Vamos lá.

Segundo dispõe o Artigo 60 da Constituição, esta não pode ser emendada na vigência de intervenção federal num estado. Ora, como romper o que parece, então, um impasse? Afinal, o país precisa da reforma da Previdência; o Rio, por outro lado, vive um caos na segurança pública. Com efeito, o país não pode ficar paralisado por causa da crise no Estado, mas o Estado não pode ficar à mercê da bandidagem porque o país precisa da reforma.

Na entrevista, o presidente lembrou duas coisas importantes.  A Constituição proíbe aprovação de emenda durante a intervenção, mas não impede o Congresso de trabalhar em favor de uma proposta. Os debates não precisam ter fim. Que fale o presidente:

“Eles [Rodrigo Maia e Eunício Oliveira] vão examinar, ao longo desta semana, da outra semana, a possibilidade de votar a reforma da Previdência. Se chegarem, e chegarmos todos, à conclusão de que há os 308 votos necessários para aprovar a reforma da Previdência, o que é que eu faço? Eu faço cessar a intervenção. E aí, naturalmente, se retoma a possibilidade de votação da emenda à Constituição. A meu modo de ver, como a Constituição diz que ela não pode ser emendada durante a intervenção federal, não significa que não possa haver discussão. Emendar significa pôr um dispositivo novo na Constituição. Mas a discussão, as considerações a respeito disso, pode ser feita. O que não se pode é votar e depois colocar isso na Constituição. (…) Uma coisa não prejudica a outra. São duas coisas emergentes: a questão da reforma da Previdência, fundamental para o país, e a questão do Rio de Janeiro, igualmente emergente, porque tem repercussão não só no Rio, mas em todo o país. Então vamos conservar esses dois valores: de um lado, a intervenção; de outro lado, a possibilidade de continuar examinando [a reforma].”

Muito bem! Digamos que o governo consiga os 308 votos e que o presidente faça cessar a intervenção. Não se sabe quando isso pode acontecer. E se os problemas de segurança do Rio continuarem a pedir a intervenção. Bem, nada impede que ela seja decretada novamente, é claro, mas o presidente chamou a atenção para um outro aspecto de seu entendimento com o governador Luiz Fernando Pezão:
“Está combinado com o governador que, se eu cessar a intervenção em função da votação da Previdência, ele mantém a estrutura que foi montada pelo interventor e o próprio interventor. Então está combinadíssimo com o governador. Então eu acho que nós encontramos uma solução intermediária muito útil para o Rio de Janeiro e para o país”.

Tudo às claras
Como se vê, não há nada sendo escamoteado. Aprovar a reforma da Previdência não ficou nem mais fácil nem mais difícil com a intervenção. O ato impede a votação, mas não o trabalho político em favor da emenda. “Ah, se o presidente admite que, para votá-la, pode suspender a intervenção, então esta não era assim tão necessária”. Trata-se de um raciocínio asnal. Faz supor que uma necessidade elimine a outra.

Apelarei a medicina, com um caso em voga, para demonstrar a estupidez de tal raciocínio. Pacientes que estejam se tratando com corticoides não devem tomar a vacina contra a febre amarela. Digamos que um médico decida, por um tempo, suspender o tratamento com os corticoides para que o paciente seja devidamente imunizado. Mais tarde, oportunamente, retoma-se o tratamento com a droga se necessário. Segundo o raciocínio asinino, os corticoides, então, eram dispensáveis já que sua ministração foi suspensa para que o paciente pudesse tomar a vacina.

Não ocorre a esse raciocínio que tem os dois pés no chão e as duas mãos também que as duas coisas podem ser necessárias: os corticoides e a vacina — vale dizer: a reforma da Previdência e a intervenção federal. Ocorre que pode haver uma incompatibilidade temporal entre uma coisa e outra: a reforma e a intervenção (o corticoide e a vacina ). Faz parte da boa política e da boa medicina conciliar as necessidades, de sorte que não se precise abrir mão nem de uma coisa nem de outra.

 

Intervenção militar uma ova! A intervenção no Rio é civil porque feita nos termos da Constituição   

 

É espantoso que parte da imprensa chame de “intervenção militar” a ação do presidente Michel Temer no Rio. O fato de que será um general — Walter Souza Braga Netto — a responder pela segurança pública do Estado não torna a intervenção militar. Que parte da Constituição essa gente não entendeu? Então eu lembro:
“Art. 34. A União não intervirá nos Estados nem no Distrito Federal, exceto para:
(…)
III – pôr termo a grave comprometimento da ordem pública.”

E foi o que fez o presidente, para alívio do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, e da população do Estado.

Para que vocês saibam: Pezão foi a primeira pessoa com quem o presidente Michel Temer conversou sobre a intervenção. Ela foi pedida pelo governador. Suponho que o chefe do Executivo estadual tenha ciência da situação. Fez ver ao presidente que a situação havia, sim, saído do controle e que se fazia necessária uma medida extrema.

Só então Temer mobilizou o ministro da Defesa, Raul Jungmann; Sérgio Etchegoyen, da Segurança Institucional, e os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Eunício Oliveira.

Como é de seu feitio, Maia ameaçou espernear. Por alguma razão, achou que deveria ter sido consultado antes mesmo da conversa entre o presidente e o governador. E teve de ouvir do próprio Pezão que a intervenção era necessária. Passou, então, a elogiar a decisão.

A intervenção, Santo Cristo!, é civil porque feita nos termos da Constituição de 1988. O fato de que nunca se tenha recorrido a tal expediente desde a promulgação da Carta em nada altera a legalidade e a legitimidade do ato. É uma intervenção civil que será executada por um militar, sob o comando do presidente da República.

 

 

Tags:
Fonte:
Blog Reinaldo Azevedo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

16 comentários

  • NADIR TOMASINI JUNIOR Sarandi - RS

    Pelo amor acabem com a coluna deste comunista aqui no Notícias Agrícolas. Esse sujeito só denigre este sítio. Quem em sã consciência quer saber das estultices deste fanfarrão?

    5
  • Ronaldo Rego Petrópolis - RJ

    Se esse boletim Noticias Agrícolas continuar publicando esse "comentarista" político serei obrigado a suspender esse boletim de meus blogs.

    8
  • SALETE MACEDA ZANETTE São Miguel do Iguaçu - PR

    Bom, porque será que não elegemos o Reinaldo Azevedo para Presidente do Brasil? É um sabe tudo, resolve tudo, rsrsrs. Deixando o sarcasmo de fora, e falando a respeito da intervenção do Governo Federal no Rio, vem o lado cruel para todos os brasileiros, que tem que ajudar a pagar uma conta altíssima por conta do desmando de governos estaduais. Não sou muito simpática às colocações radicais de Bolsonaro. Mas, a autoridade e o governo estão sob o domínio do crime. Creio que se caso Bolsonaro se eleger, mudará um pouco o discurso, o palanque deverá abrandar o tom. E quanto ao porte de armas, não é só o Presidente que decide, todos sabemos. O freio estará no poder legislativo.

    2
  • Luiz Eriveltom Gomes Pentecoste - CE

    Olha aqui seu mentiroso de meia tijela, Jair Messias Bolsonaro votou a favor da intervenção... seu mentiroso, se desculpe aqui a ofensa, mas você é um facista espalhando mentiras pela internet.... se for pra ter um blog que seja com verdades e não com falácia. Sou nordestino, sou patriota, amo meu País, sou a favor da intervenção e se for por um país melhor é melhor Jair se acostumando porque no Nordeste já está no caminho certo.

    6
  • Deocleciano Pentello Goiânia - GO

    Reinaldo quando fala mal dos petistas é aplaudido, quando critica o reacionário e populista barato do Bolsonaro, é defenestrado. Reinaldo não pediu pra ser publicado no Notícias Agrícolas, não concordo com tudo que diz mas ao menos é coerente..., além de boa vontade é preciso de tutano pra entender o panorama político atual.

    46
    • Tiago Gomes Goiânia - GO

      Continuo acompanhando Reinaldo Azevedo, basta termos discernimento para extrair o que há de bom e expurgar o que é balela de um politiqueiro. Ele tem lado, isso não é segredo. Aquele aguerrido Reinaldo que vomitava raivoso em cima do PT some quando se trata de PMDB e PSDB, quando é para tratar desses dois últimos sabe ponderar e tem parsimonia. Mas cá para nós, ele reflete a maioria dos brasileiros antipetistas que ocuparam as ruas pela saída da Dilma. Muita raiva, ódio doentio insandescido contra o PT e mais tranquilidade ao tratar de PSDB, PMDM e companhia.

      16
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Tiago e Deoclesiano, na mesma linha de raciosimio de vocês, que usam de muita ponderação, sem ódio doentio nem ensandecido, é com e, e com uma excelente lógica de auto avaliação excepcional, perfeita, enquanto todos os outros são uma merda. Passar pela cabeça oca de vocês que muitos que respondem negativamente às matérias do RA não estão defendendo pessoas e sim valores, por que é isso que está no imaginário dos eleitores do Bolsonaro, ele é uma pessoa de valor e com valores. Mas para vocês isso é apenas frescura burguesa, não é mesmo?

      3
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      E mais Deoclesiano, que moral você tem para criticar aqueles que querem dar uma oportunidade ao Bolsonaro de ser presidente, depois de ter elegido uma incompentente que pagou só em 2014, metade da arrecadação federal em juros e rolagem da divida pública atingindo a cifra astronomica de quase 1 trilhão de reais? Esse tipo de moral torta, invertida, é que os eleitores do Bolsonaro abominam. Se ele chegar lá e não cumprir com o que fala será retirado do poder pelas próprias pessoas que o colocaram lá..., Dilma, essa sim é populista e demagoga, além de incompetente. Bolsonaro merece uma chance.

      2
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Nao faz vinte anos que o PT desfraldava o lema Tiago você lembra disso???------Quando Lula ganhou , a direita desapareceu,, o PSDB ficou quetinho no seu canto ,, e FHC nunca veio a publico para defender Serra etc---Tudo ficou AMOR e PAZ, os baderneiros nao precisavam protestar, e aqueles que haviam votado contra, diziam a si mesmo ...

      0
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Verdade Sr. Meloni, oposição de "direita" faz de conta. Mas eles insistem em polarizar colocando o PT como esquerda e o PSDB como direita. Ninguém acredita mais nisso.

      1
    • Tiago Gomes Goiânia - GO

      Para Reinaldo Azevedo: Após a queda de Dilma, haveria um cenário favorável para seu amigo Aecio Neves ou se não fosse o caso para Geraldo Alkimin, as coisas se assentariam e o Brasil voltaria a normalidade da conveniencia.

      Aecio tomaria a dianteira nas pesquisas eleitorais, com Lula atrás e Bolsonaro com seus 7% sem oferecer grandes riscos. O Brasil voltaria para o status quo mantido pelo PMDB e sua turma.

      No entanto, deu errado, seu pupilo Aecio neves foi ladeira abaixo, Bolsonaro apresentou grande crescimento e se tornou um potencial vencedor e até Lula superou suas expectativas se mantendo mais vivo do que nunca.

      Talvez ele contasse que a mesma histeria coletiva que ele tanto incentivou para a queda de Dilma fosse perpetuar. E não é que perpetuou?

      3
    • Tiago Gomes Goiânia - GO

      Após a queda de Dilma, Reinaldo passou a falar exacerbadamente sobre um tal "Estado Democrático de Direito" e sobre uma tal de histeria coletiva. Até então ele praticamente não falava nisso, tudo era válido, mas de repente essas palavras e expressões apareceram em seu vocabulário. Por conveniência é claro. Mas repito não há nenhum problema em jornalista ser parcial, cabe a nós ter discernimento em entender a mensagem dele.

      0
  • Alexandre Reis Itapirapuã - GO

    Já fui seu seguidor, mas hoje, se o artigo é do pêessedêbista Reinaldo Azevêdo, eu nem leio!

    3
  • EDEGAR PORSCH canarana - MT

    COLOCAR AQUI UM COMENTÁRIO DESTE REINALDO AZEVEDO É MUITA BURRICE.... NÃO ADMITO UM CARA DESTES ESPALHAR TANTO ÓDIO PARA TODOS E PARA TUDO. NOTICIAS AGRÍCOLAS, ME DESCULPEM MAS VOU EXCLUIR VOCÊS DE MEUS CONTATOS... REINALDO AZEVEDO, AÍ FOI FORTE DEMAIS.... NÃO DO CONTA DESTE CARA....

    2
    • Ronaldo Rego Petrópolis - RJ

      FRancamente: fonte Arruinaldo Azêdo? Assim não farei comentário. Upff!

      3
  • Elton Szweryda Santos Paulinia - SP

    Reinaldo, O porta voz do MDB, e de todos idiotas que por algum motivo estão apoiando o centrão da corrupção, todos sabem que na intervenção que se pretende, o exercito não terá poder de policia, é só pra propaganda do Temer, e vai acabar por denigrir a imagem dos militares, então que se libere o poder de policia, igual no Haiti!!

    2
  • Angelo Miquelão Filho Apucarana - PR

    Você, Reinaldo Azevedo, já não fala por nós há muito tempo, é um vira-casaca, um boçal.

    Eu sou a favor da intervenção, mas ouvindo quem entende, quem conhece o papel do exército, também fiquei com muitas dúvidas a respeito dos resultados. Os soldados não são preparados para fazer o trabalho da polícia, eles estão preparados para a guerra, o confronto armado, eles não perguntam antes, eles atiram primeiro, são trinados para isso. O exército é feito para dizimar o inimigo, não para discutir quem está certo ou errado, para eles só existe dois lados, diferentemente da ação da policia onde a corregedoria tira a arma do policial quando este atira contra o bandido, no exército o soldado recebe honrarias, medalhas e não reprimendas. Eu não conheço nada sobre direitos e deveres, mas também não sou idiota a ponto de achar que os nossos soldados irão conseguir fazer o que a segurança pública não fez. Bolsonaro defende um maior poder a polícia, defende também o nosso direito de defesa, direito a propriedade, direito a defender a nossa família, pois quem atenta contra os direitos dos outros, abre mão dos seus, até o de viver. Você já era, acabou, está fadado ao anonimato se continuar nesta linha torta de raciocínio...

    3
  • Bruno D'Angelo Belo Horizonte - MG

    "Fonte: Blog Reinaldo Azevedo" Rapaz, ainda tem boçal que ler e compartilha material do Frangonalda Sadia? O blogueiro que foi pego falando mau de "colegas" de trabalho na veja, que nunca coloca o dedo na ferida dos Tucanalhas e agora é usado pelo pmdb de temer... insignificante as opiniões do cabeça gravida do Dá-Ré!

    7
  • Marco Rego

    Arruinaldo azevedo, bloqueia comentário de quem discorda das suas mentiras! Fora seu tucanão misturado com pinócchio

    7
  • Marco Rego

    Cria vergonha na cara tucanão!!

    https://www.youtube.com/watch?v=4ziBnrLOIEk

    7
  • Marco Rego

    Arruinaldo Azevedo, tucanão mentiroso fake news!!!

    https://www.youtube.com/watch?v=efRp4bJL9iQ

    7
  • Marco Rego

    Só podia ser o jornaleiro Arruinaldo Azevedo. Você é da mesma laia do Professor Apolinho, ou seja, você arruinaldo azevedo é um montão de merda crua. Você é asqueroso, você é um vigarista! Não é a toa que te puseram para correr da jovem pan. Qualquer pessoa entende muito bem o que BOlsonaro quer dizer quando se posiciona contra a intervenção! Quem não entende ou é burro ou é um mau carater da pior espécie. Bolsonaro apontou os erris de como esta intervenção esta sendo feita. Temer ja criou um ministerio para cuidar da tal intervenção, parou a votação da previdência, justamente para distribuir mais alguns cargos com o novo ministério e garantir a aprovação do que lhe interessa! Só um idiota para não ver essa manobra. O Exército vai subir o morro mas com ordem ´para não atirar. É UMA PIADA MESMO!!!

    Cria vergonha na sua cara seu tucanão.

    6
  • Aloysio Neto

    Texto fracco do Arruinaldo. Com a palavra...

    https://www.facebook.com/jairmessias.bolsonaro/videos/1014685988680387/

    6
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Todos dizem que essa reforma da previdencia é um tema espinhoso e tal... E todos escondem o fato de que o dinheiro da previdencia sumiu. Um trabalhador da ativa hoje não paga pela própria previdencia, no sistema atual ele paga os que estão aposentados hoje!!! Então quem irá pagar as aposentadorias dos que estão na ativa hoje será a próxima geração de trabalhadores. Ademais Rodrigo Maia já falou que não se pode votar a intervenção em um dia e suspender uma semana depois. Sobre Bolsonaro o que há para comentar são apenas os adjetivos e uma grande mentira, a de que Bolsonaro é contra a intervenção, não, ele é contra a forma com que vai ser feita e certamente existe uma parte significativa de oficiais que tem a mesma opinião do deputado. Já não basta a dificuldade em contornar todas as posições das correntes ideológicas, que no objetivo são a mesma, dentro dos diferentes partidos, e devido às denuncias de crimes cometidos por Temer e sua turma que também estão dentro do espectro politico esquerdista, a dificuldade em mostrar à população o que realmente ocorre no Brasil. Temos Reinaldo Azevedo mentindo sobre a Venezuela, sobre Bolsonaro, que é contra a forma da intervenção e da reforma da previdencia. Podem acreditar amigos, a reforma da previdencia e o aumento do preço dos combustiveis são hoje as duas maiores bandeiras da esquerda radical, e são duas coisas que tem forte apelo politico e eleitoral. Outra posição politica muito forte que está começando a surgir é a de que só os petistas vão para a cadeia, psdebistas não, sendo que estes ultimos estão unidos ao PMDB. Basta ver quantos caciques do PSDB sairam livres do STF por prescrição dos crimes, não é pouca coisa isso. Ademais, intervenção militar no Rio é como um band aid para tratar um cancer.

    3
    • elcio sakai vianópolis - GO

      formidável comentário rodrigo.

      1
    • Dalzir Vitoria Uberlândia - MG

      Rodrigo...santo ninguém e.,.mas que o Bolsonaro nada fez e vive de galho em galho pulando de partido...e a meu ver não tem qualidades nem pra prefeito de canelinha ou são João batista....

      30
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      Sr. Dalzir, diante de tudo o que vivemos até então com estes Políticos viciados e não vendo nenhuma opção que possa colocar o País nos trilhos pelo menos na área de segurança , saúde educação , vejo com tranquilidade e confiança que o Jair Bolsonaro é hoje a melhor opção, sim...

      Respeito a opinião de cada um mas Sr. Dalzir é preciso pulso firme , dizer sim e não quando precisa ser dito .

      O que me preocupa é toda está Situação política que hoje aí está e pior do dia p noite vem FHC. Querendo achar alguém ( como o Dono da Riachuelo ) isto são sinais do desespero pois não querem ninguém que possa por no ventilador toda as cacas que estão debaixo do tapete .

      Incluindo o resto que o PT juntamente com o PMDB e demais continuam a fazer.

      Exemplo de. DALZIR , É o Rio de Janeiro que hoje precisou o Exército tomar conta .

      Bolsonaro segue a mesma linha é por aí.

      Até que tenhamos u grande empresário que se disponha vamos com esta receita . Punho firme .....

      5
    • Dalzir Vitoria Uberlândia - MG

      Edmilson tenho lido seus comentários só longo do tempo....sempre com coerência...sobre suas colocações concordo com todas..menos a que o bolsonaro tem qualidades pelo que fez e faz para ser presidente...ao meu ver e uma péssima opção...um presidente para fazer o que prega precisa de uma base de apoio e ele não tem...me parece um xerox do Collor...o caçador de marajás...fala o que o povo gosta de ouvir...mas nada factível..

      11
    • Ronaldo Rego Petrópolis - RJ

      Arruinaldo Azedo flutua de acordo com a correnteza. Uma forma de sobrevivência na selva que é o mundo mediático. Não gosta do Bolsonaro ? Por que será? Com certeza não gosta da cor verde dos uniformes. Prefere a cor vermelha, questão de gosto. Mas, entende tanto de política como minha avó de física quântica.Ahrr!

      0