Eleição tem tudo para ser um plebiscito sobre o lulopetismo (o que ajuda Bolsonaro)

Publicado em 11/09/2018 10:41
1409 exibições
por RODRIGO CONSTANTINO, na GAZETA DO POVO

"A julgar pelas novas pesquisas – e lembrando que elas não são tão confiáveis assim, pois sempre dão um jeito de ajudar os esquerdistas – Fernando Haddad está mesmo conseguindo absorver votos de Lula, enquanto Ciro, Marina e Alckmin seguem empacados. Isso embola todo o meio de campo para definir quem estará no segundo turno com Bolsonaro, que por sua vez apresenta um índice de rejeição elevado.

Aqueles que apostavam numa velha disputa entre PT e PSDB estão se dando conta de que isso será um quadro improvável. A máquina do establishment tem muito poder, mas ele é limitado. O fenômeno novo é justamente a demanda por outsiders, por alguém de fora dessa patota, sem medo de falar o que pensa, sem o freio do politicamente correto, sem ceder às pressões da mídia “progressista”.

Em outras palavras, só há espaço para um do establishment, e o outro deverá ser mesmo Jair Bolsonaro. O candidato que mais tem a cara (e o corpo) do establishment é, sem dúvida, Geraldo Alckmin. Mas o chuchu parece um besouro e não consegue voar. A prisão de Beto Richa no Paraná, o “Piloto” da planilha de propinas da Odebrecht, em nada ajuda o “Santo”. Alckmin parece fadado a permanecer nessa zona dos 10%.

Ciro Gomes, o destemperado desenvolvimentista, e Marina Silva, a monótona ambientalista “paz e amor”, parecem ter atingido seus respectivos tetos também. O único, portanto, com condições de continuar crescendo é Haddad, o novo “poste” de Lula, o presidiário. As denúncias de Palocci, de que Lula agiu “diretamente” em pedido de propina na compra de caças suecos, não deveria ajuda-lo. Mas sabemos como esses eleitores operam: ignorando qualquer aspecto ético. Ou são ignorantes demais que só lembram da fase melhor quando Lula era presidente, ou são cúmplices no butim e lutam pela manutenção das tetas estatais.

E eis que chegamos ao cenário que vai se desenhando como mais provável: Haddad x Bolsonaro no segundo turno. Se ficar claro que é esse o caso, muitos eleitores vão, em minha opinião, optar pelo voto útil já no primeiro turno, até porque, com a alta rejeição, pode ser suicídio correr o risco de derrota para o PT. Seria o caos, o dólar acima de R$ 6, a Venezuela batendo à porta.

Esquerdistas moderados, como Demétrio Magnoli, podem alimentar a esperança de que Haddad no poder se afastaria do velho lulopetismo. Mas isso não passa de uma perigosa ilusão. O PT viria com sede de vingança, seria Lula no comando, naturalmente, e o Brasil afundaria de vez. Não há qualquer possibilidade de Haddad se descolar de seu mestre. Basta ver o grau de submissão e humilhação a que ele se presta durante a campanha. Quem manda é um só: o capo, direto da prisão.

O povo sabe disso, não é tão trouxa como certos sociólogos ou antropólogos. A classe média trabalhadora entende bem o que significaria uma vitória do PT. E se o filme for se desenrolando nessa direção mesmo, então a eleição será um plebiscito sobre o lulopetismo. De um lado, aqueles que não ligam para todos os crimes cometidos pela quadrilha, que não conseguem associar causa e efeito entre trapalhadas petistas e mega crise econômica, que viram as costas para nossas instituições e nossa Justiça, enfim, os defensores do modelo venezuelano. Do outro lado, aqueles que rejeitam tudo isso, independentemente de considerarem Bolsonaro um bom nome ou não. 

Claro, ainda há outro aspecto nesse quadro: após a facada que quase lhe tirou a vida, Bolsonaro pode se reinventar como um estadista mais humano, como alguém que é vítima, em vez de um terrível machista homofóbico autoritário, como a mídia o pinta faz tempo (com alguma ajuda do próprio). Se ele fizer isso com sucesso, vai reduzir a rejeição, principalmente entre o público feminino. Até porque convenhamos: chega a ser ridículo acusar Bolsonaro de “radical” quando ele está concorrendo com uma marionete de um bandido condenado e preso que deseja transformar o Brasil numa Venezuela! 

Juntando tudo, se ficar mais evidente que a disputa será entre Haddad e Bolsonaro, e que há um risco intolerável de o PT voltar ao poder em 2019, acredito que muitos vão abandonar suas escolhas primárias e migrar o voto para o capitão, como um grito desesperado contra o lulopetismo. Aquele mais de centro que pretendia votar em Alckmin pode mudar. Aquele mais liberal encantado com o novo pode mudar. E sabemos do tal “voto envergonhado” também, pois muitos têm receio de admitir o voto no “mito”, já que em determinados círculos isso é sinônimo de declarar que enforca gays em praça pública. 

O resumo da ópera é que, se aumentaram as chances de Haddad passar para o segundo turno, também aumentaram as chances de uma vitória já no primeiro turno de Bolsonaro. Confesso que nunca acreditei nessa hipótese, até por conta da grande fragmentação, com muitos candidatos concorrendo. Mas essa imagem de um retorno da máfia petista ao poder é forte demais, aterrorizante, e muitos vão simplesmente perguntar: quem tem mais chance de derrotar o PT? A resposta é clara: Jair Bolsonaro. 

Rodrigo Constantino 
  • Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino.

Maioria está à direita (em O Antagonista)

Jair Bolsonaro, no segundo turno, perde contra todos os outros candidatos, diz o Datafolha.

Ao mesmo tempo, a pesquisa mostra que o bloco de centro-direita é amplamente majoritário, quando se somam os votos do candidato do PSL (24%) àqueles de Geraldo Alckmin (10%), João Amoêdo (3%), Alvaro Dias (3%) e Henrique Meirelles (3%).

Se Jair Bolsonaro parar de assustar esses eleitores, ele pode derrotar o candidato do lulismo.

Os dez dias do poste "Andrade"

Fernando Haddad, depois de dez dias de propaganda ilegal, grudado parasitariamente em Lula, chegou a 9% no Datafolha.

A meta do PT, agora, é destruir Ciro Gomes e Marina Silva, porque só assim o poste pode ganhar uma vaga no segundo turno.

Quem conhece o poste não vota nele

Fernando Haddad tem 7% dos votos em São Paulo, diz o Ibope.

Ele foi prefeito da capital.

É o retrato de seu fracasso. Quem conhece o poste não vota nele.

Bolsonaro lidera entre as mulheres

Jair Bolsonaro está em primeiro lugar entre as mulheres.

Ele tem 17% do eleitorado feminino, segundo o Datafolha, e derrota Ciro Gomes, com 12%.

Marina Silva, que apostou todas as fichas no voto das mulheres, despencou de 19% para apenas 12%.

As pesquisas mostram que Jair Bolsonaro é muito mais rejeitado por mulheres do que por homens. Mas ele tem margem para crescer no voto feminino.

Ele é carioca

Em São Paulo, Jair Bolsonaro ganhou apenas um ponto, de acordo com o Ibope.

Ao mesmo tempo, ele subiu oito pontos no Rio de Janeiro, passando de 25% dos votos para 33%.

Uma das duas pesquisas está errada. A disparidade é grande demais.

Bolsonaro ganha 5 pontos na pesquisa

Jair Bolsonaro ganhou 5 pontos na pesquisa espontânea do Datafolha. Ele passou de 15% dos votos para 20%.

Esse é seu novo piso.

Os comentaristas da imprensa comemoraram o fato de que o candidato do PSL permaneceu estagnado depois de sofrer uma tentativa de assassinato. Mas seus eleitores, que já eram os mais entusiasmados, tornaram-se ainda mais convictos: 74% deles não admitem mudar de candidato.

Lula 9%

Lula despencou na pesquisa espontânea do Datafolha.

Ele passou de 20% dos votos para 9%.

O número anterior estava claramente inflado. E o número atual revela que seu favoritismo nas pesquisas era apenas recall. Os eleitores citavam seu nome porque era o único que conheciam. O criminoso condenado pela Lava Jato é o passado.

Tags:
Fonte: Blog Rodrigo Constantino

2 comentários

  • Luiz de Santana Junior Aracaju - SE

    Gustavo, o fanatismo de voces está levando o Brasil à derrocada, com invasões de terra para nada produzir, educação quase zero, com professores que nada ensinam e só fazem politica em salas de aulas e aqueles professores apartidários impedidos, coagidos ou desestimulados a ensinar; industrias sucateadas e cada vez ficando absoletas, estradas perigosas e mal tratadas (exceto a maioria das privatizadas), sem contar segurança, saúde e prisões superlotadas (porque caprichosamente não foram construidas novas (verba tinha) e um total desrespeito às leis do país, protelando uma decisão que já está decidida e diga-se de passagem, muito bem decidida pelo honrado Sérgio Moro, resultado, ném direito a votar ele vai ter, se o povão gosta de lula, tudo bem, o povo sem é massa de manobra, desde os primórdios dos tempos, Barrabas foi solto, Cristo condenado. Mas ainda temos Juizes em Brasília...

    2
  • Gustavo Ferreira

    Somente os fanáticos vão acreditar nesses comentarios. A melhor pesquisa é a da XP/ Ipespe, onde mostra a transferencia de votos do Lula para Haddad, esse comentario está errado sobre Marina. Falam mal do Lula, isso indica medo !

    66
    • adegildo moreira lima presidente medici - SC

      Gustavo, onde vc vive? Em um país de analfabetos, mais violento que países com guerra civil, sem saúde, educação , segurança e infraestrutura, com uma sequência de larápios no poder, miséria dentro de um território riquíssimo, vamos ter medo do que ???

      0
    • Petter Zanotti Assis - SP

      Fanáticos são os eleitores do bandido preso e condenado que diante de todas as evidências ainda idolatram esse pulha! Dia 7/10 está aí para o Brasil do bem mostrar que nossa bandeira nunca será vermelha!

      1
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Quando o meliante é protegido pelo Estado, só resta a sociedade ter o sentimento de "medo"!... ... Mas, isso é passageiro, pois na história da humanidade o bem sempre venceu o mal e, nesse caso não vai ser diferente... ... O destino de toda a petralhada vai ser ...CADEIA !!! ... ...

      1
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      Gustavo , não ser fanático como você julga e mais alguns , é o fato de acreditarmos em mudanças . Falar bem do Lula seria impossível , um cara que está preso condenado pela justiça , este tem alguma moral?

      Marina Silva sem as mínimas condições técnicas , morais , você dizer que os votos do Lula se transferem para Haddad, porque ele perdeu as eleições em São Paulo , reduto do PT ?.

      Não é mais como vocês do PT pensam . A população está no limite não podemos mais perder tempo ou nós perderemos o Brasil .

      Hoje será a vez da mudança e está mudança é Bolsonaro .

      E quem vivia ou vive de enganação e vida fácil com dinheiro público Acabou...

      2