Argentina conta com plano para financiar a compra de gado; crescimento deve ser de 15% na produção

Publicado em 17/10/2016 10:37
101 exibições

O primeiro plano econômico para financiar a compra de gado na Argentina foi lançado por uma empresa que oferecerá planos de até 50 meses, sem juros, destinados a financiar compras de até duas gaiolas de gado, abrindo a possibilidade de um crescimento de até 15% no volume do mercado de carnes, segundo prevê Ricardo Negri, secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca.

"Com este tipo de sistema e tecnologia vamos alcançar um crescimento em todos os tipos de carne em 3 anos e meio. Já que não podemos fazer isso por meio do estado, nós geramos as condições ou criamos o ambiente para que essas coisas aconteçam", considera Negri, ao referir-se a esta nova ferramenta financeira para o setor. "O financiamento dentro desta grande oportunidade significa, na cadeia de carne, uma necessidade absoluta para que as coisas aconteçam. Sem financiamento, os processos são muito mais lentos e erráticos", acrescentou.

Negri ressaltou a importância da cadeia de carne no sistema produtivo argentino e a sua capacidade de agregar valor à produção, ao mesmo tempo em que destacou a importância de fazer com que ela seja mais transparente e que se produza também uma "inovação tecnológica" no setor.

"O plano é original porque oferece financiamento a longo prazo, sem juros e ajustado ao valor do produto. Este sistema tem mais de 50 anos de eficácia comprovada em outros setores (automotivos, eletrodomésticos etc.), portanto, adaptamos ele ao nosso e oferecemos uma alternativa financeira onde não há", disse o sócio-fundador do empreendimento, Martín Edo.

O programa, chamado Circulo Ganadero, é de responsabilidade da empresa de capitais nacionais Gradale S.A. As opções são para que os produtores adquiram uma gaiola (18 toneladas) ou duas (36 toneladas). O preço médio mensal do quilo será obtido a partir da comercialização diária do Mercado de Liniers.

Por: Izadora Pimenta, com informações do TodoElCampo.com.uy
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário