Volume exportado de carne bovina segue forte e expectativa do mercado é de recorde para novembro

Publicado em 16/11/2020 18:51 1093 exibições
As projeções apontam que o mês deve encerrar com 210,1 mil toneladas embarcadas.

LOGO nalogo

Nesta segunda-feira (16), a Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços (SECEX) divulgou que o volume embarcado de carne bovina in natura atingiu 86,9 mil toneladas na segunda semana de novembro, sendo que no ano passado o total exportado em todo mês de novembro foi de 155,5 mil toneladas.

Segundo o Analista da Safras & Mercados, Fernando Henrique Iglesias, os compradores chineses estão adotando a estratégia de adquirir mais proteína animal para o feriado de ano novo lunar. “As exportações devem ultrapassar o volume exportado no ano passado e também bater recorde no total embarcado”, informou.

A média diária embarcada na primeira semana ficou em 9,6 mil toneladas e teve um aumento de 24,28% se comparado com os dados observados em novembro do ano passado, que registrou uma média exportada de 7,77 mil toneladas. A média diária exportada registrou uma queda de 8,57% frente aos números divulgados na semana anterior, em que a média ficou em 10,5 mil toneladas.

De acordo com o Analista da Agrifatto Consultoria, Yago Travagini, os números neste mês têm chamado bastante atenção por uma média diária bastante elevada. “Os chineses estão aproveitando para comprar neste período, pois leva um tempo para o produto chegar na China. É importante destacar que os asiáticos foram responsáveis por comprar 84 mil toneladas de carne em outubro”, comentou.

A XP investimentos divulgou as projeções para o mês de novembro em que o volume exportado deve encerrar com 210,1 mil toneladas, ou seja, se confirmado seria um aumento de 35,11% frente o total embarcado em novembro do ano de 2019.

Exportações de carne bovina segunda semana de novembro

Os preços médios na segunda semana de novembro ficaram próximos de US$ 4.391,7 mil por tonelada, na qual teve uma queda de 9,24% frente aos dados divulgados em novembro de 2019 que registrou um valor médio de US$ 4.838,7 mil por tonelada. “ Se comparar os preços atuais com os vistos em outubro, percebemos uma leve recuperação com as indústrias  tentando renegociar preços com os compradores chineses já que o boi gordo está mais elevado aqui no Brasil”, apontou.  

O valor negociado para o produto foi US$ 382,008,0 milhões na segunda semana de novembro deste ano, tendo em vista que o preço comercializado durante o mês de novembro do ano anterior foi de US$ 752,587,8 milhões. A média diária ficou em US$ 42,445,3 milhões e registrou um avanço de 12,80%, frente ao observado no mês de novembro do ano passado, que registrou um valor de US$ 37,629,4 milhões.

Na última sexta-feira (13), a cidade chinesa de Wuhan comunicou que detectou o novo coronavírus em embalagem de um lote de carne bovina de um carregamento de agosto. Essa informação não comprometeu o volume exportado na segunda semana de novembro, mas é preciso acompanhar os próximos relatórios para saber se isso vai comprometer. "Eu acredito que isso não vai comprometer no volume exportado já que a China precisa atender a demanda do consumidor, mas eles devem ficar mais atentos aos lotes que chegam lá", reportou Travagini. 

Leia Mais:

+ China encontra coronavírus na embalagem da carne bovina brasileira

+ Notificação da China de coronavírus em embalagem não assusta mercado do boi, que segue firme

Tags:
Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário