Café despenca mais de 800 pontos na Bolsa de NY

Publicado em 27/06/2014 16:55 e atualizado em 27/06/2014 18:21 754 exibições

Fechamento surpreendente confirma alta volatilidade no mercado de café arábica. Quedas na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US) acima de 800 pontos para os contratos principais contrapõem as fortes altas registradas na quarta-feira (25), quando os contratos próximos encerraram 580 pontos acima. As máximas para o mês de setembro nesta sexta-feira (27) apresentaram 184,90 centavos de dólar por libra-peso, enquanto as mínimas ficaram em 171,60 cents/libra-peso, uma enorme diferença de 1330 pontos. 

Além desse cenário, a instabilidade pôde ser notada também ao longo do dia, já que o mercado abriu em alta, chegou a cerca de 400 pontos positivos e depois finalizou em grande baixa. 

“O mercado tem oscilado bastante, mas não há nada físico que justifique mudanças tão bruscas em uma mesma semana. Vendedores e compradores têm trabalhado muito para romper as sustentações e resistências de acordo com o interesse de cada um, por isso, o cenário está tão volátil”, explicou o analista Eduardo Carvalhaes. 

O vencimento julho não desceu o patamar dos 170, mas ficou próximo, registrou 170,45 centavos de dólar por libra-peso, 835 pontos abaixo. Os contratos de setembro e dezembro também tiveram forte queda de 830 pontos, para 172,55 cents/libra-peso e 176,05 centavos/libra-peso respectivamente. Já março/2015 também ficou abaixo do patamar de 180 e anotou 179,25 cents/libra-peso. 

Cenário Fisico
Nada muito diferente no cenário físico. Ainda há incertezas quanto ao volume do mercado brasileiro, mas algumas estimativas de quebra já vão sendo confirmadas com o avanço das colheitas que, inclusive, em muitas regiões estão adiantadas chegando a 60% concluída. 

As análises dos grãos comprovam que a quebra de muitas regiões se deve pelos cafés chochos, grãos mal formados e miúdos. Sendo assim, as peneiras também estão menores, o que influência diretamente na exportação. As peneiras indicam o tamanho do café e apenas os maiores servem para esse fim. 

O clima segue favorável. As temperaturas médias colaboram para que não haja mais quebras e o clima seco contribui para a maior qualidade do café. 

Tags:
Por:
Talita Benegra
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário