Café: sequência de três dias positivos para o arábica em Nova Iorque

Publicado em 25/07/2014 16:14 670 exibições

O mercado de café arábico dá sequência aos movimentos de alta dos dois últimos dias na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US). O vencimento setembro apresentou 179,15 centavos de dólar por libra-peso. Os contratos com entrega para dezembro fecharam em 182,80 cents/libra-peso. Março/2015 cresceu 85 pontos, para cravar 186,00 cents/libra-peso e maio/2015 registrou 187,85 cetns/libra-peso.

As reações seguidas na Bolsa de NY podem estar apoiadas em fatores climáticos nas regiões cafeeiras do Brasil. Até as 8h (horário de Brasília) desta sexta-feira, a cidade do Sul de Minas Gerais Cabo Verde havia tido 19,8 milímetros de chuva. Alfenas registrou 15,5 milímetros. As precipitações da região do Cerrado Mineiro foram ainda maiores: Monte Carmelo anotou 30,8mm e Rio Paranaíba teve 31,8mm. No estado de São Paulo também choveu: em Caconde foram 22mm e São José do Rio Pardo, 30,4 mm. A previsão é de que as chuvas continuem até o próximo domingo (27).

De acordo com esse cenário, pesquisadores indicam que uma florada extemporânea pode ocorrer. “Para abrir florada é preciso que ocorra o amadurecimento das gemas e como o período de estiagem foi grande, esse amadurecimento foi mais rápido. Sendo assim, depois que a chuva acontece, as flores abrem”, detalhou o pesquisador Roberto Tomaziello, do Instituto Agrônomo de Campinas (IAC).

O engenheiro agrônomo da Cooxupé, Éder Ribeiro, também explica que “para a florada abrir é preciso que a lavoura acumule 350ml de água contando a partir de 1º de abril, porém para algumas plantações novas ou podadas, esse acúmulo pode iniciar no mês de fevereiro, sendo assim, são as mais propensas abrir florada”. 

Essa florada extemporânea, se confirmada, pode trazer prejuízos para os produtores. Em época de colheita é bem provável que a flor caia no processo. Mesmo as produções com a colheita já finalizada podem ter problemas, porque a flor pode abortar ou caso a florada seja muito distante uma da outra, a probabilidade da desuniformização é grande. “Além disso, nesse panorama, a incidência de broca no café é maior e também é maior a dificuldade no controle”, frisa Éder. 

Apesar disso, os pesquisadores acreditam ser cedo ainda para uma preocupação. “Tudo vai depender dessas próximas chuvas. Caso sejam confirmadas, os cafeicultores podem ter a florada antecipada de forma abrangente”, analisou Gladston Carvalho, pesquisador da Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais).

O engenheiro agrônomo da Cooxupé concorda: “Teremos um melhor panorama dessa situação na semana que vem, depois que totalizarmos o volume de chuva nas regiões cafeeiras”. 

 

Tags:
Por:
Talita Benegra
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário