Café: Mercado continua altas em NY e sobe mais de 100 pts nesta 4ª feira

Publicado em 12/11/2014 08:23 e atualizado em 12/11/2014 17:55 154 exibições

Na manhã desta quarta-feira (12), os preços do café continuam operando em campo positivo na Bolsa de Nova York. Por volta das 9h10 (horário de Brasília), os dois primeiros vencimentos subiam pouco mais de 150 pontos, com o dezembro/14 valendo 189,15 centavos de dólar por libra-peso e o março/15 a 190,25 cents. 

O mercado dá continuidade ao movimento positivo registrado na sessão anterior, quando as principais posições fecharam o dia subindo mais de 200 pontos estimuladas por movimentos de recompras técnicas e com as chuvas perdendo força no cinturão produtivo brasileiro. 

Veja como fechou o mercado nesta terça-feira:

Café: NY fecha em alta nesta terça-feira com recompras técnicas e chuva perdendo força no cinturão produtivo

Por Jhonatas Simião

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica encerrou esta terça-feira (11) com alta. Durante quatro sessões seguidas as cotações ficaram no campo negativo com chuvas e a floração do café em algumas cidades produtoras.

O vencimento dezembro/14 registrou 183,85 cents de dólar por libra peso com alta de 245 pontos, o março/15 anotou 188,75 cents/lb com avanço de 305 pontos, o maio/15 teve 191,20 cents/lb e o julho/15 encerrou a sessão com 193,40 cents/lb, ambos com valorização de 295 pontos.

Segundo o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, os investidores continuam monitorando o clima no Brasil e seus desdobramentos nas lavouras. No entanto, mesmo com a alta as oscilações ainda são curtas.

“O mercado no curtíssimo prazo, nas bolsas, não consegue decolar. Enquanto o setor especulador não tiver a real dimensão das recentes chuvas e sua respectiva abrangência, dificilmente, as cotações nos terminais conseguirão esboçar reação positiva em suas volatilidades”, afirma o analista.

Com relação ao cenário climático, Magalhães afirma que mais uma vez a moldura da chuva vem cedendo lugar ao calor e tempo seco. “A previsão é de que a segunda quinzena de novembro volte a sofrer com a estiagem e isso, poderá dar as cotações vigentes em futuro de curtíssimo e curto prazo uma sobrevida bem interessante”, diz.

De acordo com mapas climáticos da Somar Meteorologia, uma frente fria atua na Bahia e deve trazer chuvas concentradas para a Zona da Mata. A partir de amanhã, pancadas de chuva mais abrangentes cobrem São Paulo e Minas Gerais. No entanto, na sexta-feira essas precipitações voltam a se concentrar sobre a parte norte do Sudeste. Mais ao sul, o tempo abre e devemos ter um período de tempo mais seco nos próximos dias.

As chuvas que induziram a florada do café, principalmente em Minas Gerais, não tiveram boa distribuição, mas ainda assim contribuíram muito para a última florada e devem beneficiar a formação dos chumbinhos. É o que afirma o fisiologista da Universidade Federal de Viçosa, Alemar Braga Rena. “As chuvas de agora vão salvar os chumbinhos. Mas o grande problema é a má uniformidade da floração, algumas cidades ainda não tiveram a florada. Então teremos uma colheita atrapalhada”, explica. A colheita desuniforme gera custo maior para o produtor.

Mercado interno

O mercado continua travado pelos mesmos fatores, o produtor se nega a vender o café pelo preço ofertado. “No lado interno a sensação é de férias coletivas. Não há liquidez nas praças de comercialização deixando os preços vigentes independente de dólar ou bolsa, firmes e praticamente, sem negócios”, diz Marcus Magalhães.

O Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou baixa de 0,36% na segunda-feira (11) e está cotado a R$ 449,46 a saca de 60 kg.

O tipo cereja descascado teve maior valor de negociação na cidade de Guaxupé-SP, onde a saca está cotada a R$ 550,00 com valorização de 1,85%. O tipo 4/5 de café arábica também anotou maior na cidade com R$ 540,00 a saca e alta de 1,89%. O tipo 6 duro também teve maior valor de negociação em Guaxupé-MG com R$ 487,00 a saca de 60 kg e alta de 2,10% em relação ao dia anterior.

Tipo 4/5 registra campo misto na BM&F

As cotações do café arábica tipo 4/5 fecharam no campo misto na BM&F Bovespa. O vencimento dezembro/14 encerrou o dia com US$ 216,90 a saca de 60 kg e alta de 0,79%, o março/15 anotou US$ 219,90 e valorização de 0,71% e o setembro/15 teve baixa de 0,52% cotado a US$ 231,80 a saca. Para o tipo 6/7 não houve negócios.

Robusta fecha no campo misto

As cotações do café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) fecharam no campo misto nesta terça. O contrato novembro/14, mais próximo, está cotado a US$ 2.017,00 por tonelada com desvalorização de US$ 5 por tonelada e o janeiro/15 teve US$ 2.031,00 por tonelada com alta de US$ 8 por tonelada em relação à sessão anterior.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário