Publicidade

No Agrimoney: Estimativas para o café robusta do Brasil estão "muito altas"

Publicado em 11/07/2016 11:48 308 exibições

Autoridades norte-americanas parecem estar otimistas demais com a safra de robusta do Brasil, mesmo apontando que ela possa ter uma baixa de sete anos nesta temporada. No entanto, envolvidos no mercado brasileiro acreditam que a queda na oferta ajudou os preços locais a retornar para mais de R$ 400,00 a saca de 60 kg.

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou há duas semanas, em um relatório muito esperado, que a safra brasileira de robusta pode atingir 12,1 milhões de sacas, com uma queda de 1,2 milhões de sacas de um ano para o outro. O declínio foi atribuído as "temperaturas acima da média e a estiagem prolongada no Espírito Santo", maior estado produtor da variedade no país.

"A escassez de água continua limitando a irrigação, prática comum no estado".

No entanto, o mesmo valor, que seria o mais baixo desde 2009, pode estar superestimado, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP).

USDA vs Conab

"Para o robusta, a maioria dos agentes consultados não acredita que o Brasil possa produzir 12,1 milhões de sacas, conforme estimado pelo USDA", disse o Cepea.

Para eles, "os números da Conab estão mais próximos da realidade", com a colheita brasileira em 9,4 milhões de sacas.

Os comentários demonstram uma inversão do pensamento típico do mercado, com muitos investidores visualizando que a Conab subestima consistentemente o tamanho da colheita, que prefere confiar em dados privados ou do USDA.

O Cepea disse ainda que a previsão de uma colheita de 43,9 milhões de sacas do USDA para o café arábica foi bem recebida pelo mercado. A Conab estima a produção da variedade em 40,3 milhões de sacas.

'Baixa qualidade'

Publicidade

As preocupações com a produção de café robusta do Brasil vêm no final de uma colheita que já iniciou com a qualidade "prejudicada", além de volumes menores, disse o Cepea.

"O tempo seco no Espírito Santo reduziu a produção", disse o Instituto, acrescentando que, em Rondônia, "a qualidade dos grãos colhidos foi baixa".

Também há algumas preocupações de que a seca prolongada possa afetar a colheita de 2017, já que reduziu o crescimento vegetativo.

Haroldo Bonfá, da Pharos Consultoria, disse que "toda" a cultura de robusta do Brasil "pode ​​ser comprometida" se as chuvas não chegarem ao cinturão produtivo no segundo semestre de 2016.

Arábica vs robusta

Os preços do café robusta no Brasil tiveram na última terça-feira (5) um aumento de R$ 0,58, para R$ 400,27 a saca, de acordo com o Indicador do Cepea, retornando acima de R$ 400 pela primeira vez desde fevereiro.

Um ano atrás, o robusta estava sendo vendido a R$ 301,18 a saca.

No sentido inverso, os valores do café arábica diminuíram 0,2%, para R$ 500,88 a saca, embora permaneçam 23% maiores de um ano para o outro.

O Cepea reporta que os produtores de arábica têm vendido "lentamente" a produção da safra nova, que está 45% colhida, "com a maioria dos cafeicultores preparando e colocando os grãos de lado para atender os contratos com entrega já programada".

Tradução: Jhonatas Simião

Fonte:
Agrimoney

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário