Café: Com suporte do câmbio, Bolsa de Nova York opera com leve alta nesta tarde de 3ª feira

Publicado em 02/08/2016 12:45 e atualizado em 02/08/2016 17:59
111 exibições

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com alta próxima de 50 pontos nesta tarde de terça-feira (02) e consolidam o patamar de US$ 1,45 por libra-peso nos vencimentos mais próximos. O mercado tem suporte do câmbio durante toda a sessão, mas os operadores externos continuam atentos ao avanço da colheita no Brasil, o que limita ganhos mais expressivos. 

Por volta das 12h16, o contrato setembro/16 anotava 143,85 cents/lb com 40 pontos de alta e o dezembro/16 registrava 147,35 cents/lb com 60 pontos de avanço. Já o vencimento março/17 estava cotado a 150,25 cents/lb e o maio/17 tinha 151,95 cents/lb, ambos com 55 pontos de avanço.

O mercado recupera na sessão desta terça parte das perdas registradas na véspera, que foram de cerca de 300 pontos. No entanto, os ganhos ainda são pouco expressivos. "As bolsas para o café operam em estreitas margens em consolidação do atual espaço de trabalho. Leves altas prevalecem", explica o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

O câmbio é o principal fator de suporte para o mercado nesta terça-feira. Às 12h, o dólar comercial recuava 0,46%, vendido a R$ 3,2568. Mas chegou a recuar quase 1% durante a manhã. A moeda estrangeira mais valorizada ante o real acaba desencorajando as exportações da commodity e os preços externos tendem a esboçar reação.

Em todo o mês de julho (21 dias úteis), as exportações de café em grão do Brasil totalizaram 1,73 milhões de sacas, com receita de US$ 271,4 milhões. O número representa uma queda de 30,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (1º) pela Secex (Secretaria de Comércio Exterior), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

» Café: Exportações do Brasil em julho recuam 30,8% ante o mesmo período de 2015; receita cai mais de 33%

De acordo com agências internacionais, alguns fatores baixistas contribuem para que o mercado não esboce valorizações mais expressivas. O clima tem contribuído para o avanço da colheita da safra 2016/17 do Brasil e ainda há incertezas em relação ao potencial produtivo da safra 2017/18 do país.

A semana começa no cinturão produtivo com tempo seco e temperaturas em elevação na maior parte das áreas. No Norte do Espírito Santo e Sul da Bahia, podem ocorreram chuvas fracas e dispersas. As informações são da Somar Meteorologia.

Nas praças de comercialização do Brasil, seguem lentos os negócios com café. "Mercado interno do café deverá ter dia lento e com negócios isolados", afirma Marcus Magalhães. Ainda assim, os preços apresentam curtas oscilações. Na segunda-feira (1º), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 489,81 com queda de 0,89%.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por Jhonatas Simião
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário