Café: Bolsa de Nova York recua cerca de 300 pts nesta 5ª e setembro/16 perde patamar de US$ 1,40/lb

Publicado em 04/08/2016 12:37
103 exibições

Ainda realizando ajustes técnicos, as cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) registram queda de cerca de 300 pontos nesta tarde de quinta-feira (4). Com isso, o vencimento mais próximo da variedade no terminal externo já perde o patamar de US$ 1,40 por libra-peso. Na véspera, o mercado recuou cerca de 100 pontos também em movimento técnico.

Às 12h15, o vencimento setembro/16 registrava 137,55 cents/lb com 285 pontos de queda, o dezembro/16 tinha 141,10 cents/lb com 275 pontos de recuo. Já o contrato março/17 estava cotado a 144,15 cents/lb com 280 pontos negativos e o maio/17 anotava 146,05 cents/lb com 270 pontos de desvalorização.

De acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, tudo indica que os ajustes técnicos nas bolsas de café nesta quinta-feira são passageiros. As cotações externas do arábica operam do lado vermelho da tabela pela quarta sessão consecutiva e perderam hoje o patamar de US$ 1,40/lb, que vinha sendo mantido nos últimos dias.

O câmbio, que tem dado pressão aos preços externos do café arábica nos últimos dias, opera praticamente estável nesta quinta. Às 11h40, o dólar comercial recuava 0,76% em relação ao real, cotada a R$ 3,2161. As oscilações da moeda estrangeira impactam diretamente nas exportações da commodity.

No Brasil, a colheita avança nas principais origens produtoras com o clima favorecendo os trabalhos no campo. Segundo estimativa da Safras & Mercado, a brasileira 2016/17 foi indicada em 76% até 2 de agosto, uma evolução de 6% em relação à semana anterior. É apontado que já foram colhidas 41,47 milhões de sacas.

» Café: Safras & Mercado estima colheita 2016/17 no Brasil em 76% até 2/08

Apesar do avanço na colheita, poucas amostras de qualidade chegam ao mercado e a liquidez segue baixa nas praças de comercialização. "Muitos produtores têm optado por negociar o grão de qualidade inferior, que está com preço mais atrativo. Muitas torrefadoras nacionais, inclusive, entram no mercado buscando café arábica de menor qualidade, já que a oferta de robusta é baixa – produtores seguem retraídos, impulsionando ainda mais os preços da variedade", reportou o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da ESALQ/USP).

Na quarta-feira (3), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 486,70 com queda de 0,68%.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário