Café: Bolsa de Nova York volta a subir nesta tarde de 5ª feira e recupera parte das perdas da véspera

Publicado em 25/08/2016 12:46 e atualizado em 25/08/2016 17:51
169 exibições

O mercado do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) voltou ao campo positivo nesta tarde de quinta-feira (25) após iniciar o dia estendendo as perdas registradas na sessão anterior em ajustes técnicos. Os operadores seguem atentos ao clima no Brasil e ao câmbio, que impacta diretamente nas exportações da commodity.

Por volta das 12h25, o contrato setembro/16 registrava 143,20 cents/lb com 105 pontos de alta, o dezembro/16 tinha 143,75 cents/lb com 65 pontos de avanço. Já o vencimento março/17 estava cotado a 146,90 cents/lb com 60 pontos de valorização e o maio/17 anotava 148,85 cents/lb com 65 pontos de valorização.

De acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, as bolsas para o café operam lateralizadas em acomodação especulativa. "O mercado cafeeiro opera sem força ou convicção tanto no interno como no externo", explica.

O diretor de commodities do Banco Société Générale, Rodrigo Costa, reportou em seu informativo semanal que os operadores na Bolsa de Nova York estão monitorando as chuvas no Brasil e as floradas.  "Aparentemente são esses os fatores que poderão tirar o mercado de arábica do intervalo entre 125 cents e 155 cents", disse.

Mapas climáticos mostram que as temperaturas tendem a subir nas áreas produtoras de café nos próximos dias. Porém, no Espírito Santo, Zona da Mata de Minas Gerais e Sul da Bahia chuvas fracas e dispersas não estão descartadas.

Nas praças de comercialização do Brasil seguem lentos os negócios com café. Cientes da possibilidade de valorização dos preços nos próximos meses, os cafeicultores brasileiros esperam por melhores patamares. Na quarta-feira (24), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 471,89 com queda de 3,23%.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário