Café: Cotações do arábica em NY voltam ao campo positivo nesta manhã de 3ª feira

Publicado em 13/09/2016 09:06
179 exibições

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com leve alta nesta manhã de terça-feira (13) após registrarem queda por três sessões seguidas realizando ajustes técnicos e em meio às indicações de que os estoques nos países importadores do grão estão altos. Com esse novo avanço, os preços externos do grão voltam a ficar mais próximos do patamar de US$ 1,55 por libra-peso.

Por volta das 09h03, o contrato dezembro/16 registrava 151,60 cents/lb com 70 pontos de alta, o março/17 tinha 154,50 cents/lb com 40 pontos de avanço. Já o vencimento maio/17 estava cotado a 156,25 cents/lb com 25 pontos de valorização e o julho/17, mais distante, anotava 157,95 cents/lb com 20 pontos positivos.

» Clique e veja as cotações completas de café

Veja como fechou o mercado na segunda-feira:

Café: Bolsa de Nova York recua nesta 2ª com pressão do câmbio e alta nos estoques dos importadores

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) fecharam a sessão desta segunda-feira (12) com queda próxima de 50 pontos. O mercado segue realizando ajustes técnicos ante as recentes altas, mas também repercute as indicações de que os estoques dos países consumidores estão altos e o câmbio. Apesar da baixa, os principais vencimentos do grão no terminal externo continuam próximos do patamar de US$ 1,55 por libra-peso.

O contrato setembro/16 encerrou o pregão de hoje cotado a 149,70 cents/lb com 25 pontos de baixa, o dezembro/16 anotou 150,70 cents/lb com 45 pontos de desvalorização. Já o vencimento março/17 fechou o dia em 153,90 cents/lb também com 45 pontos de baixa e o maio/17 registrou 155,85 cents/lb com 40 pontos de queda.

De acordo com o analista de mercado João Santaella, apesar da realização de lucros vista hoje, após os recentes ganhos, o mercado conseguiu respeitar um importante suporte. "Apesar da queda, o dia foi importante porque os preços conseguiram respeitar o suporte de 148,00 cents/lb. Abaixo disso, eles poderiam voltar para 145,00 e 140,00 cents/lb", explica.

O mercado do café arábica conquistou no início da semana passada o patamar de US$ 1,60/lb com os investidores temerosos em relação ao potencial produtivo da safra 2017/18 do Brasil. No entanto, após oito altas seguidas, analistas já esperavam que os preços externos do grão pudessem realizar ajustes.

Além das questões técnicas, segundo agências internacionais, os operadores no mercado externo também estão bastante atentos as informações dos países importadores. "Embora os níveis de estoques nos países produtores estejam próximos das mínimas históricas, os níveis de estoques nos países consumidores estão altos o suficiente para suprimir os preços diante das perspectivas de produção aquém das expectativas", disse o analista do Société Générale, Rajesh Singla, ao site internacional Agrimoney.

Já o Rabobank, outro importante banco especializado em commodities, informou recentemente que os estoques de café "visíveis" – definidos como os da Europa, Japão e EUA, além de estoques não-agrícolas do Vietnã – "estão em níveis recordes".

O câmbio também acabou influenciando na queda dos preços externos do grão nesta segunda-feira. A moeda norte-americana caiu 0,94%, cotada a R$ 3,2490 na venda, com investidores repercutindo as indicações de que o Fed (Federal Reserve), banco central dos Estados Unidos, possa elevar os juros do país. "Essa conjugação de dólar no Brasil, em viés de alta, e a gordura especulativa em Nova York, pode indicar no curtíssimo prazo que teremos emoções no radar", explica o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

Mercado interno

Nas praças de comercialização do Brasil seguem lentos os negócios com café, apesar dos preços esboçarem reação e chegarem a mais R$ 500,00 a saca em algumas localidades do país. "No lado interno, a semana começa com preços sustentados e poucos negócios. O quadro climático em algumas regiões produtoras continua a complicar a vida do negócio café e isso vem inibindo o aumento da liquidez interna.", explica Marcus Magalhães.

O tipo cereja descascado fechou o dia com maior valor de negociação em Espírito Santo do Pinhal (SP) com R$ 590,00 a saca – estável. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Poços de Caldas (MG) com alta de 1,33% e saca a R$ 534,00.

O tipo 4/5 teve maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com R$ 583,00 a saca e alta de 0,34%. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Varginha (MG) com avanço de 0,97% e saca a R$ 520,00.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação na cidade de Araguari (MG) com R$ 525,00 a saca e queda de 0,94%. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Varginha (MG) com R$ 490,00 a saca e queda de 2,00%.

Na sexta-feira (9), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 499,16 e queda de 0,44%.

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário