Café: Bolsa de Nova York recua cerca de 300 pts com operadores atentos às chuvas no cinturão do Brasil

Publicado em 03/10/2016 12:15
167 exibições

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com queda próxima de 300 pontos nesta tarde de segunda-feira (3) em ajustes técnicos após fecharem a sessão anterior com alta moderada. Os preços externos do grão já perdem o patamar de US$ 1,55 por libra-peso nos vencimentos mais próximos. Os operadores seguem atentos às informações sobre a safra 2017/18 e ao câmbio, que impacta diretamente nas exportações da commodity.

Pelo horário de Brasília, às 09h24, o vencimento dezembro/16 estava cotado a 148,40 cents/lb com 315 pontos de queda, o março/17 registrava 151,85 cents/lb com 305 pontos de recuo. Já o contrato maio/17 estava sendo negociado a 153,70 cents/lb com 300 pontos de baixa e o julho/17, mais distante, caía 260 pontos a 155,85 cents/lb. No início da semana passada, os preços externos do grão estavam próximos de US$ 1,60/lb.

Além dos ajustes técnicos, a possibilidade de precipitações no cinturão produtivo de café do Brasil trouxe expectativas positivas sobre a próxima safra do Brasil, que aguarda o desenvolvimento das floradas no início de outubro. Segundo relatos de especialistas, poucas lavouras receberam floradas no país e isso deve aumentar no decorrer desta semana com o clima mais instável nos próximos dias.

O analista de mercado e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville, aponta que com essas previsões houve certo desinteresse por parte de investidores visto que o cenário até o momento era de clima mais seco para o cinturão produtivo no Brasil. Chuvas neste momento promoveria uma boa floração para a próxima safra, ressalta o analista.

De acordo com mapas climáticos, a semana começa com chuvas fortes sobre o cinturão produtivo de café do Brasil. O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) aponta que entre terça e quarta-feira choverá mais de 40 milímetros no Sul de Minas Gerais e Cerrado Mineiro e entre 20 e 30 milímetros no Espírito Santo, Alta Mogiana e em parte do Sul da Bahia. No Paraná, Oeste de São Paulo e Baixa Mogiana a chuva deve ser mais fraca.

O câmbio, que impacta diretamente nas exportações da commodity, opera com leve baixa nesta manhã de segunda. Às 11h19, a moeda norte-americana caía 0,62%, cotada a R$ 3,2314, repercutindo o exterior e o resultado das eleições municipais no Brasil, que pode ajudar na aprovação das medidas de ajuste fiscal, segundo envolvidos no mercado.

No Brasil, ainda seguem lentos os negócios com café, mesmo com os preços em alta nos últimos dias. O produtor brasileiro aguarda por melhores patamares para voltar a ofertar mais ativamente suas produções nas praças de comercialização. "O mercado interno do café deverá ter dia lento e negócios isolados", explica o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

Na sexta-feira (30), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 503,07 e valorização de 0,12%. 

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário