Café: Bolsa de Nova York busca direcionamento na manhã desta 2ª feira

Publicado em 14/11/2016 08:45 135 exibições

Na manhã desta segunda-feira (14), as cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam buscando direcionamento nos principais vencimentos, após fechar a semana anterior com perdas significativas. O cenário de incertezas trazidas pela vitória de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos pressionou as cotações do café no mercado internacional, assim como a forte alta do dólar no Brasil.

Às 9h34 – em Brasília –, o vencimento dezembro/16 operava com perdas de 30 pontos e trabalhava a 159,10 cents/lb. O vencimento março/17 perdia 45 pontos e era cotado a 162,62 cents/lb, enquanto que maio/17 caia 50 pontos com negócios a 164,90 cents/lb. Já julho/17 registrava baixas de 55 pontos, valendo 166,85 cents/lb.

Além das incertezas, o mercado trabalhava com o movimento de realização de lucros, após as fortes altas acumuladas nas cotações do arábica em Nova York. Com isso, os principais vencimentos chegaram a registrar desvalorização de quase 7% na semana anterior.

No boletim semanal, o diretor de commodities do Banco Société Générale, Rodrigo Costa, apontam que novas perdas devam ser registradas nos próximos dias. “O fechamento na semana foi negativo para os preços apontando tecnicamente para mais quedas, embora deva haver um bom interesse de compra daqueles que conseguiram não se desesperar e correr para comprar futuros nos últimos dias”, aponta.

No mercado físico, por volta das 10h, o tipo 6 duro era negociado a R$ 560,00 por saca em Espírito Santo do Pinhal (SP), com valorização de 3,70% em relação à última sexta-feira (11). Já em Guaxupé (MG), a saca anotava ganhos de 0,35% e negociação de R$ 581,00, enquanto que em Varginha (MG) a cotação era de R$ 590,00/sc e alta de 0,85%.

» Clique e veja as cotações completas de café

Veja como fechou o mercado de café na sexta-feira:

» Café: Preços do arábica recuam quase 700 pontos nesta 3ª feira com realização de lucros e eleições nos EUA

Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário