Café: Bolsa de Nova York trabalha sem direcionamento definido nesta tarde de 6ª feira ainda seguindo fundamentos

Publicado em 09/12/2016 11:32
120 exibições

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) estendem as perdas dos últimos dias nesta tarde de sexta-feira (9), mas não esboçam direcionamento definido, pois já chegaram a subir durante a manhã. Esse movimento corretivo também foi visto nos últimos dias. Sempre que as cotações se aproximam de perder o patamar de US$ 1,45 por libra-peso, leves ajustes são realizados.

Por volta das 12h20, horário de Brasília, o vencimento março/17 anotava 141,25 cents/lb com queda de 15 pontos, o maio/17 registrava 143,55 cents/lb com 20 pontos de recuo. Já o contrato julho/17 estava sendo negociado a 145,75 cents/lb também com desvalorização de 20 pontos e o setembro/17, mais distante, valia 147,75 cents/lb com 25 pontos negativos.

O mercado do arábica completa nesta sexta a quinta sessão consecutiva de baixa. Os operadores na Bolsa de Nova York repercutem com força a redução nos temores com o desabastecimento do grão no próximo ano diante da melhora climática no cinturão produtivo do Brasil, que é o maior produtor e exportador da commodity no mundo. O câmbio e a movimentação dos fundos também contribuem para as perdas.

Por volta das 11h, o dólar comercial subia 0,59%, cotado a R$ 3,4030 na venda. As oscilações na moeda estrangeira impactam diretamente nas exportações da commodity e tendem a influenciar diretamente os preços do grão interna e externamente.

Segundo o analista e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville, diante desses fatores o mercado do café não apresenta sinais de recuperação tão cedo. "A venda parece implacável, mas o problema é que não há realmente uma boa razão para comprar agora", disse Scoville ao site internacional Agrimoney.

Já o Rabobank, acredita que a queda nos preços do café pode ser reduzida à frente uma vez que há uma demanda "surpreendentemente elevada" no mercado, embora não seja o bastante para abastecer os valores novamente em alta.

No mercado físico brasileiro, acontecem poucos negócios. O produtor está reticente à venda diante das recentes quedas nos preços do grão e do cenário político e econômico complicado no país. Também por volta das 09h36, o tipo 6 duro estava sendo negociado a R$ 530,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP) – estável, na cidade de Guaxupé (MG) o café estava cotado a R$ 506,00 a saca – estável. Já em Varginha (MG) estava sendo negociado a R$ 525,00 a saca – estável.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário