Café: Após três altas seguidas, Bolsa de Nova York cai mais de 300 pts nesta tarde de 5ª feira

Publicado em 15/12/2016 10:45
125 exibições

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com queda próxima de 300 pontos nesta tarde de quinta-feira (15) e perdem parte dos ganhos registrados nas últimas três sessões, quando o mercado realizou ajustes técnicos após quase perder o patamar de US$ 1,40 por libra-peso nos vencimentos mais próximos. Essa queda nos preços externos da variedade é motivada pelo otimismo dos operadores com a safra 2017/18 do Brasil, maior produtor e exportador da commodity no mundo. O câmbio também pressiona os preços.

Com essa nova queda, as cotações do arábica na ICE já estão mais distantes do patamar de US$ 1,45/lb. Por volta das 11h20, horário de Brasília, o contrato março/17 estava cotado a 141,75 cents/lb com queda de 240 pontos, o maio/17 caía 230 pontos valendo 144,10 cents/lb. Já o vencimento julho/17 também perdia 230 pontos e estava sendo negociado a 146,30 cents/lb e o setembro/17, mais distante, anotava queda de 210 pontos e cotado a 148,40 cents/lb.

Nas últimas três sessões, os preços externos do café arábica subiram em ajustes técnicos. "Os preços do café arábica na Bolsa de Nova York fecharam em alta pelo terceiro pregão consecutivo. Em um dia dominado novamente por fatores técnicos sem novidades fundamentais no quadro fundamental, as cotações fecharam com alta de 130 pontos", explicou ontem (14) o analista de mercado da Origem Corretora, Anilton Machado.

Para ele, a instabilidade nos preços externos do café está ligada ao movimento dos especuladores na Bolsa. O mercado "fica muito na mão de especuladores e fundos", dessa forma não sabe se estes continuarão liquidando suas posições ou se irão retomar as suas carteiras. Os fundos de investimento têm atuado bastante nos últimos dias no mercado.

O câmbio também contribui para a queda nas cotações futuras do café arábica. Por volta das 10h59, o dólar comercial subia 1,61%, cotado a R$ 3,3869 na venda. As oscilações no câmbio impactam diretamente nas exportações da commodity. Em novembro, as exportações de café do Brasil somaram 3,07 milhões de sacas de 60 kg, segundo reportou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil). Em comparação com o mesmo período de 2015, houve uma queda de 12,2%.

No lado fundamental, os operadores seguem bastante otimistas com a próxima safra do Brasil diante das melhores condições climáticas no cinturão produtivo do país nos últimos dias e isso diminuiu os temores com desabastecimento em 2017. Institutos meteorológicos reportaram que até quinta-feira áreas produtoras do grão podem receber precipitações acumuladas de 70 milímetros. Espírito Santo e Zona da Mata de Minas Gerais serão as principais regiões beneficiadas.

No mercado físico, os negócios com café seguem isolados. Os produtores brasileiros, segundo analistas, só devem retomar os negócios mais ativamente em 2017. Por volta das 09h53, o tipo 6 duro era negociado a R$ 520,00 pela saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP), em Guaxupé (MG) os preços também seguiam estáveis em R$ 495,00 por saca e em Poços de Caldas (MG) a R$ 525,00.

 » Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário