Café arábica testa reação nesta 5ª feira na Bolsa de NY com câmbio e dados do Rabobank

Publicado em 28/03/2019 17:24
465 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica encerraram a sessão desta quinta-feira (28) com leve alta na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado externo do grão voltou a ter suporte após queda registrada na véspera e também seguiu a baixa do dólar e dados do Rabobank.

O vencimento maio/19 encerrou o dia com alta de 15 pontos, a 94,00 cents/lb e o julho/19 anotou 96,60 cents/lb com 15 pontos de perdas. O setembro/19 anotou 99,35 cents/lb com 15 pontos positivos e o dezembro/19 registrou 103,25 cents/lb com valorização de 15 pontos.

"Os preços do café arábica em Nova York receberam nesta quinta-feira  certo apoio da forte recuperação do real após a queda de na quarta-feira com preocupações sobre a política brasileira", destacou o site internacional Barchart em referência ao fechamento.

Às 17h02, o dólar comercial registrava queda de 0,94%, cotado a R$ 3,917 na venda, acompanhando as tensões políticas entre Executivo e Legislativo. "O real mais forte em relação ao dólar desencoraja as vendas de café dos produtores brasileiros", disse o Barchart. 

Além do movimento técnico, o mercado da variedade na ICE também negocia com a divulgação do Rabobank de que a safra global de café 2019/20 pode ter um déficit de 2,3 milhões de sacas de 60 kg. A previsão anterior apontava um déficit de 1,2 milhão de sacas.

"Mesmo que 2019/20 seja um ano de déficit, a grande quantidade de café vindo na safra 2019/20 do Brasil ainda precisa ser fixada. E a perspectiva de outra safra recorde de arábica em 2020/21 está no horizonte para o Brasil", disse o banco.

Leia mais:
» Rabobank amplia estimativa de déficit na safra de café 2019/20 a 2,3 mi sacas

Mercado interno

Os negócios no mercado brasileiro seguem isolados com os preços ainda aquém da necessidade do produtor. Acompanhando o dólar, as cotações internas dos tipos de café arábica mais negociados caíram ou ficaram estáveis nas praças verificadas pelo Notícias Agrícolas.

"Levantamento do Cepea aponta que com as recentes e contínuas quedas nos preços, as médias mensais atuais são as mais baixas desde janeiro de 2014 para o arábica e de dezembro de 2013 para o robusta, em termos reais", disse o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Guaxupé (MG) com saca a R$ 423,00 e queda de 0,47%. A maior oscilação no dia foi registrada em Guaxupé (MG) e Poços de Caldas (MG) (426,00 a saca), ambas com queda de 0,47%.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 405,00 – estável. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Poços de Caldas (MG) com baixa de 0,50%.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 - estável. A oscilação mais expressiva foi verificada em Poços de Caldas (MG) com queda de 0,52% e saca a R$ 386,00.

Na quarta-feira (27), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 394,11 e alta de 0,32%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Carlos Rodrigues -

    Só mesmo na cabeça dos fundos de investimento e especulação é que existe nova safra recorde ... é bom quando venham dar um passeio pelo campo no Brasil fazerem bem as contas...

    0