Café: Mercado em NY cai mais de 100 pts nesta 5ª feira com otimismo ante a oferta

Publicado em 05/09/2019 17:21
429 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica encerraram a sessão desta quinta-feira (05) com queda de mais de 100 pontos na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado voltou a repercutir informações mais positivas sobre a safra 2020/21 do Brasil.

Os lotes com vencimento para dezembro/19 encerrou o dia com queda de 120 pontos, a 95,40 cents/lb e o março/20 anotou 98,80 cents/lb e 125 pontos de perdas. O maio/20 anotou 101,10 cents/lb e 120 pontos de baixa e o julho/20 caiu 125 pontos, a 103,15 cents/lb.

O site internacional Barchart destacou que o café na ICE avançou nesta quinta-feira com perspectivas de oferta abundante com a safra 2020/21 depois da previsão de chuvas benéficas que podem beneficiar a florada em lavouras de Minas Gerais.

"Os preços do café também têm uma repercussão negativa desde quarta-feira (07) quando a OIC elevou sua estimativa global de superávit 2018/19 para 4,96 milhões de sacas, ante uma estimativa de agosto de 3,92 milhões de sacas", disse o Barchart.

Na véspera, o mercado do arábica teve alta de mais de 100 pontos acompanhando as oscilações do dólar ante o real, fator que impacta diretamente nas exportações. Ajustes técnicos também foram vistos na sessão desta quinta-feira na Bolsa de Nova York.

Depois de recuar em boa parte do dia, às 17h11, o dólar comercial registrava alta de 0,11%, cotado a R$ 4,11 na venda. O mercado acompanhava um maior otimismo no exterior diante de dados econômicos positivos e alívio das tensões com o Brexit.

"Apesar de serem acontecimentos mais marginais, quando somados aos dados mais positivos da China, eles ajudam a pintar um cenário mais positivo no mercado", disse para a Reuters pela manhã o economista da Tendências Consultoria, Silvio Campos Neto.

Mercado interno

As recentes altas externas favoreceram ganhos nos tipos de café nas praças de comercialização do Brasil e também aquecimento da demanda. "Apesar da maior liquidez, agentes apontam que o volume de café da safra 2019/20 nas mãos de produtores ainda é significativo", destaca o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP).

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Guaxupé (MG) com saca a R$ 474,00 – estável. A oscilação mais expressiva ocorreu em Varginha (MG) com queda de 4,08% e saca a R$ 470,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 430,00 – estável. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Varginha (MG) com saca a R$ 430,00 – estável. 

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com saca a R$ 426,00 – estável. A maior oscilação no dia ocorreu em Patrocínio (MG) com queda de 1,22% e saca a R$ 405,00.

Na quarta-feira (04), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 418,66 e alta de 0,45%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário