Café arábica encerra sessão desta 3ª com leves ganhos em NY diante de temores com oferta

Publicado em 01/10/2019 16:55 e atualizado em 02/10/2019 04:24
301 exibições

LOGO nalogo

Os futuros do café arábica encerraram a sessão desta terça-feira (01) com leves altas na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado externo chegou a oscilar dos dois lados da tabela durante o dia com o câmbio e informações da oferta global.

O vencimento dezembro/19 teve alta de 20 pontos, cotado a 101,35 cents/lb e o março/20 anotou 104,95 cents/lb com 25 pontos de ganhos. O maio/20 avançou 25 pontos, a 107,25 cents/lb e o julho/20 teve valorização de 25 pontos, a 109,35 cents/lb.

Diante das negociações na ICE, as cotações futuras da variedade oscilaram entre altas e baixas no dia. No entanto, o leve avanço acabou prevalecendo diante de informações mais pessimistas da oferta. O câmbio chegou a pressionar o mercado.

"O arábica subiu mais com apoio na oferta mais apertada depois que os estoques de café arábica monitorados pela ICE caíram para uma baixa de um ano com 2,272 milhões de sacas na terça-feira", destacou o site internacional Barchart.

Ainda de acordo com o site internacional, os preços externos do grão foram limitados pelas oscilações cambiais no dia, que impactam as exportações. Às 16h15, o dólar comercial tinha alta de 0,11%, cotado a R$ 4,16 na venda.

"Há uma certa cautela no mercado diante das preocupações com a saúde da economia global como um todo. Existe incertezas sobre as negociações comerciais, sobre o Brexit e uma porção de outras coisas que adicionam um sentimento de maior prudência", disse à Reuters Alessandro Faganello, operador da Advanced Corretora.

Apesar da baixa, operadores no terminal externo também acompanham as informações sobre as condições de produção para a safra 2019/20 de café do Brasil. Chuvas chegaram recentemente, mas lavouras estavam sem precipitação por meses.

"As floradas deverão abrir no início de outubro e no decorrer do mês os cafeicultores poderão observar o porcentual dessas flores que será perdido devido ao estado em que se encontram muitos cafezais após um longo período de seca e temperaturas acima do normal", destacou o Escritório Carvalhaes.

Outros países produtores enfrentam problemas com a condição climática no café. Na Colômbia, houve ajuste temporário no fator de rendimento básico do café. No Vietnã, produtores da principal província de café do país acompanham diminuição até do volume dos rios.

Mercado interno

A semana começou com preços estáveis na maioria das praças de comercialização de café arábica do Brasil. De acordo com o Escritório Carvalhaes, cafeicultores pelo Brasil não estão satisfeitos com os atuais patamares de preço e vendem o mínimo necessário no momento.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Guaxupé (MG) com saca a R$ 494,00 – estável. A maior oscilação ocorreu em Varginha (MG) com queda de 6,52% e saca a R$ 430,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 455,00 – estável. A oscilação mais expressiva no dia foi em Varginha (MG) com baixa de 3,41% e saca a R$ 425,00.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Araguari (MG) (estável), Patrocínio (MG) (estável) e Média Rio Grande do Sul (estável), ambas com saca a R$ 450,00. A maior oscilação foi em Varginha (MG) com baixa de 4,60% e saca a R$ 415,00.

Na segunda-feira (30), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 438,49 e queda de 0,44%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Carlos Rodrigues

    Quem manda é essa gente de NY ... ate podem dizer e afirmar que não há café, mas o que conta é o preço que eles fabricam diariamente ... há muito tempo que eles fazem bom negocio com isso ...

    0