Café arábica volta a cair em NY com pressão do câmbio e dados da oferta nesta 4ª

Publicado em 16/10/2019 17:01
316 exibições

LOGO nalogo

Os contratos futuros do café arábica encerraram a sessão desta quarta-feira (16) com quedas próximas dos 100 pontos na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado repercute as oscilações do dólar ante o real e dados sobre a oferta global.

O vencimento dezembro/19 teve queda de 90 pontos, a 93,55 cents/lbp, e o março/20 anotou 97,05 cents/lbp com 90 pontos de perdas. O maio/20 perdeu 85 pontos, a 99,35 cents/lbp e o julho/20 teve baixa de 85 pontos, a 101,50 cents/lbp.

O mercado do arábica na ICE renovou as perdas da véspera na sessão desta quarta-feira ainda bastante atento com as oscilações do dólar ante o real, com impacto nas exportações, mas também seguiu dados sobre a oferta global do grão.

"Os suprimentos de café estão amplos, provocando a venda de fundos  no mercado futuro. A Associação de Café Verde dos EUA informou na terça-feira que os estoques de café verde no país subiram 14% de um ano para o outro, a 7,352 milhões de sacas", destacou o site internacional Barchart.

Jack Scoville, vice-presidente da Price Futures Group, também destaca que operadores estão de olho nas condições do tempo no Brasil. "O clima no Brasil melhorou e essa foi a principal razão para as negociações vistas nos mercados na semana passada", destacou.

Além dos fundamentos, as cotações no terminal externo também foram impactadas pela segunda sessão seguida pela valorização do dólar ante o real. Às 16h12, após o fechamento na ICE, o dólar comercial tinha queda de 0,02%, a R$ 4,164 na venda, com exterior, mas chegou a subir bastante no dia.

"As incertezas continuam, tanto sobre EUA e China quanto sobre o Brexit, o que traz bastante cautela para o mercado", afirmou à Reuters Ricardo Gomes da Silva, superintendente da Correparti Corretora. O dólar mais alto tende encorajar as exportações das commodities.

Segundo dados do Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil), as exportações do grão em setembro, café verde, solúvel e torrado & moído, tiveram o melhor resultado em cinco anos no período, totalizando 3,2 milhões de sacas de 60 kg.

Mercado interno

Os negócios com café no Brasil continuam lentos. "Os preços externos e internos do café arábica registraram forte queda nesta primeira quinzena de outubro, influenciados pela expectativa de oferta elevada depois da abertura da principal florada em importantes regiões produtoras do Brasil", destacou o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Guaxupé (MG) com saca a R$ 471,00 – estável. Não houve oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 430,00 – estável. Não houve oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca a R$ 440,00 – estável. Não houve oscilação no dia dentre as praças.

Na terça-feira (15), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 414,94 e alta de 0,01%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário