Nespresso e SOS Mata Atlântica se unem para restaurar a floresta

Publicado em 05/11/2019 13:56
199 exibições
Primeira fase do projeto irá plantar 50 mil mudas de árvores nativas

Em parceria inédita com a Fundação SOS Mata Atlântica, a companhia pioneira em cafés porcionados Nespresso iniciou um projeto de recuperação de paisagem da região da bacia do Rio Pardo, no município de São Sebastião da Grama (SP). A região, da qual advém grande parte dos cafés de alta qualidade adquiridos pela marca e que, por muito tempo, teve sua gestão produtiva desvinculada de responsabilidade ambiental, ganhará em breve novas paisagens.  

O projeto prevê ao longo de quatro anos a restauração de 277 hectares de Mata Atlântica em fazendas de café. Com investimento inicial de US$ 100.000 (cerca de R$ 400.000) da Nespresso será possível plantar 25 mil mudas em 10 hectares. Esse plantio começa ainda em 2019 e segue até março de 2020 com alta diversidade de espécies nativas da região - como trema, ipês, jequitibá, palmito-jussara, louro-pardo, angico, cereja-do-rio-grande, quaresmeira, ingá, aroeira-pimenteira, jatobá, entre outras. Para cada muda patrocinada pela Nespresso, a SOS Mata Atlântica doa outra muda. Com isso, será possível chegar em 50 mil mudas, alcançando 20 hectares. E, até o final do próximo ano, a previsão é plantar 120 mil mudas, totalizando 48 hectares. 

“Investimos para que toda nossa cadeia aconteça em favor do meio ambiente. A Nespresso ajuda parceiros a destinar corretamente a matéria-prima, atuando de forma responsável com o meio e de acordo com cada país em que opera”, explica Guilherme Amado, gerente de café verde da Nespresso Brasil. 

Aretha Medina, engenheira florestal e coordenadora na Fundação SOS Mata Atlântica, pontua que a restauração florestal vai muito além do plantio de mudas de espécies nativas da região. “Queremos reproduzir, de fato, um ambiente funcional, com a presença da biodiversidade regional e que exerça serviços ecossistêmicos - como sequestro de carbono, melhoria da qualidade e quantidade de água e recuperação de paisagens naturais, como a floresta exercia em seu estado original. Por isso é essencial estabelecer parcerias com os proprietários rurais e a iniciativa privada para viabilizar financeiramente essa adequação”.  

No site Aqui Tem Mata, que utiliza dados da ONG e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), mostra que São Sebastião da Grama tem somente 6,75% de remanescentes de Mata Atlântica atualmente. A iniciativa vai permitir criar corredores ecológicos para unir os fragmentos e recuperar a mata na margem de rios e nascentes.  

A Nespresso investe mais de R$ 150 milhões por ano em ações de sustentabilidade como o Nespresso AAA de Qualidade Sustentável™, programa lançado em 2003 em colaboração com a Rainforest Alliance – ONG que busca aprimorar atividades agrícolas sustentáveis e o bem-estar dos agricultores –, que fornece aos produtores conhecimentos e técnicas que os apoiem na produção de café, a partir de atitudes ecológicas e que também melhorem sua qualidade de vida.  

“Buscamos transparência em nossas ações, medindo tudo o que fazemos em todo processo de produção dos nossos cafés. Queremos engajar produtores, consumidores, fornecedores, sempre estimulando que todo o mercado acompanhe essa mudança positiva e sustentável na qual a iniciativa privada tem grande poder de articulação”, diz Amado.  

Tags:
Fonte: Nespresso

0 comentário