Café: Contratos futuros iniciam sessão com altas na Bolsa de Nova York

Publicado em 23/01/2020 09:20
194 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica iniciou a sessão desta quinta-feira (23) com altas na Bolsa de Nova York (ICE Future US) e por volta das 09h18 (horário de Brasília) os principais contratos tinham altas de 135 pontos. 

Março/20 tinha alta de 120 pontos, negociado a 112,20 cents/lbp, maio/20 registrava alta de 120 pontos, cotado a 114,45 cents/lbp, julho/20 valorizava 135 pontos, valendo 116,85 cents/lbp e setembro/20 também registrava alta de 135 pontos, sendo negociado por 118,90 cents/lbp. 

Os contratos voltam a registrar altas após encerrar a última sessão com poucas variações em Nova York. 

Segundo o analista de mercado Rodrigo Costa, Diretor de Trading do Grupo do Comexim, o mercado ainda está vivendo um pouco do reflexo do movimento de alta expressivas que marcaram o final do ano passado, quando altas expressivas foram registradas na Bolsa de Nova York.

"Basicamente essa recuperação que tivemos nos preços foi técnica, não teve um fundamento para dar um apoio e sequência, então o mercado tem devolvido uma parcela desses ganhos neste começo de ano", afima. 

No Brasil, o mercado interno acompanhou Nova York e registrou algumas variações nas principais praças produtoras do país. 

O tipo 6 duro registrou baixa de 1,04% em Poços de Caldas/MG, cotado a R$ 475,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 495,00. Patrocínio/MG também manteve o valor de R$ 480,00. Araguarí/MG manteve os preços por R$ 490,00, assim como Varginha/MG que manteve o valor de R$ 500,00. 

O tipo 4/5 registrou baixa de 1,02% em Poços de Caldas/MG, cotado a R$ 485,00. Varginha/MG manteve a estabilidade por R$ 505,00, assim como Franca/SP que não registrou variações, mantendo o valor de R$ 495,00. 

O tipo cereja descascado teve baixa apenas em Poços de Caldas/MG, com recuo de 0,92%, cotado a R$ 540,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 535,00. Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 530,00. 

>>> Veja mais cotações aqui

Tags:
Por: Virgínia Alves
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário