Café encerra com valorização em Nova York e mercado físico acompanha preços em alta

Publicado em 24/03/2020 17:39
616 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica vem registrando altas na Bolsa de Nova York (ICE Future US), apesar da pandemia do Coronavírus derrubar algumas commodities agrícolas. Analista destaca altas são motivadas não apenas por preocupações com embarque, mas principalmente pela falta de café de qualidade no mercado. O mercado físico brasileiro também acompanha as altas do exterior, encerrando o segundo pregão com valorização. 

Nesta terça-feira (24) maio/20 encerrou com altas de 435 pontos, valendo 125,60 cent/lbp, julho/20 teve valorização de 340 pontos, negociado por 125,40 cents/lbp, setembro subiu 300 pontos, valendo 125,45 cents/lbp e dezembro/20 subiu 255 pontos, negociado por 125,60 cents/lbp.

Segundo Eduardo Carvalhaes, analista do Escritório Carvalhaes, o mercado ainda caminha esperando por notícias concretas, mas a falta de café de qualidade no mercado e o próprio Coronavírus têm sustentado os preços em Nova York. "Nós vamos colher uma safra de ciclo alto agora, mas também há muita divergência do tanto que vai ser colhido e a safra que vem é de ciclo baixo", destaca. 

Eduardo confirma que a preocupação com as embarcações de fato existem no mercado, mas destaca que a situação nos portos do Brasil no momento funciona dentro da normalidade. Vale lembrar que uma série de medidas protetivas vem sendo tomadas nos últimos dias para impedir que o vírus se espalhe, mas também para garantir os abastecimentos não sofra os impactos. 

>>> Falta de café de qualidade sustenta preços em Nova York; embarcações seguem sem problemas no Brasil

"Os preços do café têm suporte das notícias da semana passada de que a pandemia de coronavírus interrompeu a classificação em armazéns aprovados pelo ICE, o que levou a ICE Exchange a dizer que não pode mais garantir que o processo de amostragem e classificação seja concluído a tempo da expiração do Contratos futuros de café de maio', destaca o site Barchart em sua análise diária. 

Confira como fecharam as cotações no mercado interno: 

O tipo 6 duro teve alta de 4,39% em Guaxupé/MG, valendo R$ 595,00. Poços de Caldas/MG registrou valorização de 0,86%, negociado por R$ 585,00.Araguarí/MG teve valorização de 5,36%, estabelecendo os preços por R$ 590,00. Varginha/MG teve alta de 1,77%, valendo R$ 575,00. 

O tipo cereja descascado subiu 4,92% em Guaxupé/MG, valendo R$ 640,00. Patrocínio/MG teve alta de 4,17%, valendo R$ 625,00. Poços de Caldas/MG registrou valorização de 1,54%, valendo R$ 660,00. 

O tipo 4/5 teve valorização de 0,85% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 595,00. Varginha/MG subiu 1,74%, negociado por R$ 585,00 e Franca/SP manteve a estabilidade por R$ 620,00.  

>>> Veja mais cotações aqui

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário