Secadores na produção de café especial

Publicado em 23/04/2020 14:46 384 exibições

Após a colheita do café com pelo menos 80% dos frutos maduros, a escolha do método de secagem é importante para obter um café de qualidade. A seca do grão propriamente dito (endosperma) compreende a migração da umidade do seu interior, no chamado ponto-frio (água fortemente retida e mais difícil de ser evaporada), para as camadas mais externas, e daí para o ambiente, de forma gradativa.

Secadores solares são alternativas eficientes viáveis e sustentáveis para que os produtores possam secar o café em suas propriedades, mantendo o controle da qualidade com temperaturas ideais de 35° a 45° C. Nestas estruturas, o tempo de secagem varia de acordo com o clima e o processamento: para frutos naturais pode levar de 7 a 10 dias, já para os descascados, desmucilados e despolpados o tempo ideal pode ser de 4 a 7 dias. Os secadores solares são recomendados para produtores familiares ou empresariais, que querem produzir cafés especiais.

Terreiro suspenso

Simples e de baixo custo de produção, realiza um processo lento de secagem e é referência na produção de cafés especiais.

Terreiro estufa

Também de baixo custo, proporciona um ambiente de secagem apropriado para grãos, mas as temperaturas no ambiente interno podem ser incomodas ao produtor no momento do manejo dos frutos e grãos.

Barcaça Seca Café

Alternativa tecnicamente viável e que proporciona uma secagem homogênea. Além da praticidade para carregar e descarregar os cafés, possibilita o controle do ambiente de secagem pela facilidade na abertura e fechamento da cobertura. Seu custo de aquisição é um pouco maior.

Secador Solar Rotativo

Ganhou adeptos em Rondônia. Seu diferencial é o sistema mecânico que movimenta os cafés, tornando o trabalho mais prático e diminuindo a mão de obra.

Tags:
Fonte:
Embrapa Rondônia

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário