Café termina 3ª feira sem grandes variações, mas previsão de geadas entram no radar do mercado

Publicado em 19/05/2020 16:24 822 exibições

LOGO nalogo

A terça-feira (19) termina com mais um dia sem grandes variações para o mercado futuro do café arábica. Os preços registraram altas no início da tarde na Bolsa de Nova York (ICE Future US), mas encerra o pregão com quedas técnicas. 

Julho/20 teve baixa de 70 pontos, valendo 107,05 cents/lbp, setembro/20 registrou baixa de 60 pontos, valendo 108,40 cents/lbp, dezembro/20 teve desvalorização de 65 pontos, negociado por 110,20 cents/lbp e março/21 encerrou com queda de 60 pontos, valendo 112,05 cents/lbp. 

Todo o setor cafeeiro segue acompanhando as movimentações de colheita no Brasil, iniciada há duas semanas no sul de Minas Gerais e segundo o site internacional Barchart, as altas do meio do pregão foram sustentadas com preocupações de geadas no sul de Minas Gerais na próxima semana.

"As preocupações com a geada no Brasil elevaram os preços do café arábica no início da terça-feira, depois que a Somar Meteorlogia informou que as ondas frias de 23 de maio e 1º de junho aumentam a possibilidade de geada em algumas áreas brasileiras de cultivo de café", afirmou em sua análise diária. 

As previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), também apontam a possibilidade de geadas no início da próxima semana para a região. Segundo o meteorologista do Inmet, Francisco de Assis Diniz, após a passagem de uma frente fria que começa atuar no Sul do Brasil na quinta-feira (21), as condições avançam para o Centro-Norte e posteriormente uma massa de ar polar pode atingir com grande intensidade a região do café. 

Ainda de acordo com análise, as altas só não foram mantidas por conta da desvalorização do real ante ao dólar. Em questões de fundamentos, é esperado pelo setor que o mercado futuro tenha quedas na Bolsa em dias de alta do dólar. Em contrapartida, o dólar valorizado tende a incentivar as exportações do café brasileiro. Além disso, a falta de café disponível no mercado pode dar suporte aos preços em Nova York. 

O mercado físico brasileiro acompanhou o exterior e finalizou a sessão com poucas variações 

O tipo 6 duro teve queda de 1,61% em Espírito Santo/SP, valendo R$ 610,00. Franca/SP teve queda de 1,67%, valendo R$ 590,00. Poços de Caldas/MG teve baixa de 0,84%, negociado por R$ 590,00. Varginha/MG registrou baixa de 0,83%, valendo R$ 595,00. Campos Gerais/MG teve baixa de 0,85%, valendo R$ 585,00. Guaxuope/MG manteve a estabilidade por R$ 602,00. Patrocínio/MG manteve o valor de R$ 595,00.

O tipo 4/5 teve queda de 1,64% em Franca/SP estabelecendo os preços por R$ 600,00. Varginha/MG registrou baixa de 0,82%, negociado por R$ 605,00 e Poços de Caldas/MG teve queda de 0,83%, valendo R$ 600,00.

O tipo cereja descascado teve queda de 0,90% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 660,00. Varginha/MG registrou queda de 0,79%, estabelecendo os preços por R$ 625,00. Campos Gerais/MG registrou baixa de 0,76%, valendo R$ 655,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 645,00. Patrocínio/MG manteve os preços por R$ 645,00.

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário