Café: Londres, Nova York e mercado físico têm dia tranquilo e finalizam próximo da estabilidade

Publicado em 16/09/2020 17:51 371 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica encerrou as cotações desta quarta-feira (16) com quedas técnicas para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). "Os preços do café na quarta-feira estabilizaram mistos, consolidando-se modestamente acima das baixas de 4 semanas de segunda-feira", destacou o site internacional Barchart em sua análise diária. 

Dezembro/20 teve queda de 195 pontos, valendo 119,85 cents/lbp, março/21 registrou baixa de 175 pontos, negociado por 121,55 cents/lbp, maio/21 teve baixa de 165 pontos, valendo 122,90 cents/lbp e julho/20 encerrou valendo 124,20 cents/lbp, com desvalorização de 160 pontos.

No Brasil, o mercado físico acompanhou o exterior e finalizou com baixas nas principais regiões produtoras do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve queda de 6,78% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 550,00, Guaxupé/MG registrou queda de 1,75%, valendo R$ 562,00. Patrocínio/MG teve desvalorização de 1,79%, negociado por R$ 550,00, Araguarí/MG encerrou com baixa de 1,75%, negociado por R$ 560,00. Franca/SP terminou com estabilidade, valendo R$ 550,00.

O tipo cereja descascado teve baixa de 6,25% em Poços de Caldas/MG, negociado por R$ 600,00. Guaxupé/MG encerrou com queda de 1,63%, valendo R$ 605,00, Patrocínio/MG teve baixa de 1,64%, valendo R$ 600,00. Varginha/MG manteve a estabilidade por R$ 650,00 e Campos Gerais/MG também finalizou sem variações, valendo R$ 627,00.

A análise destacou ainda que os números da Green Coffe Associatin (GCA) podem voltar a movimentar o mercado nos próximos dias, tendo em vista que os estoques tiveram redução de 309 mil sacas durante o mês de agosto.

As condições do clima em Minas Gerais ainda geram preocupações ao setor. Em entrevista ao Notícias Agrícolas, nesta quarta-feira, Juliana Paulino de Costa Mello, destacou que as chuvas precisam acontecer o quanto antes no sul mineiro, para garantir a produção esperada para a próxima safra.

>>> "Não há mais prazo para esperar as chuvas e situação é muito preocupante", alerta Associação dos Cafeicultores do Sul de MG

Do lado mais positivo para o cenário, ainda de acordo com o Barchart, a Somar Meteorologia disse nesta quarta-feira (16) que chuvas benéficas a partir de 21 de setembro em Minas Gerais levarão ao florescimento generalizado do café. As condições do tempo no Brasil chamam atenção do mercado em um momento em que a maior região produtora do país enfrenta uma grande seca. 

O café tipo conilon também finalizou o dia próximo da estabilidade na Bolsa de Londres. Novembro/20 teve alta de US$ 1 por tonelada, valendo US$ 1392, janeiro/21 subiu US$ 3 por tonelada, negociado por US$ 1408, março/21 teve alta de US$ 2 por tonelada, valendo US$ 1422 e julho/21 encerrou com valorização de US$ 2 por tonelada, valendo US$ 1450.

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário