Café finaliza com estabilidade para o arábica, mas conilon sobe de maneira expressiva nesta 3ª

Publicado em 27/10/2020 16:43 430 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica finalizou o pregão desta terça-feira (27) com poucas variações na Bolsa de Nova York (ICE Future US). Já o café tipo conilon encerrou com valorização para os principais contratos na Bolsa de Londres. "O café arábica recuperou-se com as chuvas abaixo do normal no Brasil, enquanto o risco de um tufão no Vietnã aumentou os preços do conilon", destacou o site internacional Barchart.

Dezembro/20 teve alta de 30 pontos, valendo 106,95 cents/lbp, março/21 subiu 20 pontos, valendo 109,55 cents/lbp, maio/21 teve alta de 20 pontos, valendo 111,25 cents/lbp e julho/21 teve alta de 20 pontos, valendo 112,80 cents/lbp.  

Ainda de acordo com a análise internacional, o mercado segue operando com cautela mesmo após novos dados serem divulgados no Brasil. "Os dados da Somar Meteorologia mostraram que Minas Gerais recebeu 18,9 mm de chuva na semana passada, ou apenas 62% da média histórica", afirmou a publicação. 

Fernando Maximiliano - analista de mercado da Stonex, destacou em entrevista ao Notícias Agrícolas, que neste momento o mercado anda de lado, acompanhando uma possível segunda onda de contágio do Coronavírus na Europa. A tendência é que nos próximos meses as exportações brasileiras para o principal consumidor de café voltem a ficar aquecida, cenário que pode trazer uma visão mais clara de como o consumo de café se comportará daqui pra frente. 

No Brasil, o mercado físico acompanhou o exterior e também finalizou com valorização nas principais praças produtoras do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 3,60% em Varginha/MG, estabelecendo os preços por R$ 575,00. Guaxupé/MG teve alta de 0,89%, valendo R$ 568,00, Patrocínio/MG teve valorização de 0,93%, negociado por R$ 545,00 e Franca/SP registrou valorização de 0,89%, negociado por R$ 565,00.

O tipo cereja descascado teve alta de 3,33% em Varginha/MG, valendo R$ 620,00, Patrocínio/MG registrou alta de 0,85%, negociado por R$ 595,00, Poços de Caldas/MG teve valorização de 0,91%, valendo R$ 554,00 e Guaxupé/MG registrou valorização de 0,83%, valendo R$ 610,00.

>>> Demanda de café nos Estados Unidos caiu 12,7% com o surto do Coronavírus, avalia Stonex

Preços do conilon explodem em Londres

Já o café tipo conilon teve valorização acima de US$ 30 por tonelada. Janeiro/21 teve alta de US$ 38 por tonelada, valendo US$ 1351, março/21 subiu US$ 36 por tonelada, negociado por US$ 1357, maio/21 teve valorização de US$ 30 por tonelada, valendo US$ 1367 e julho/21 subiu US$ 31 por tonelada, valendo US$ 1384.

Os preços voltaram a subir depois que o Centro Nacional de Previsão Hidro Meteorológica do Vietnã disse que Central Highland's, a maior região produtora de café do país, pode receber até 100-200 mm de chuva até 29 de outubro. Caso as chuvas continuem expressivas, podem atrasar até em um mês a colheita no Vietnã, impactando diretamente na qualidade do café. Vale lembrar que o mercado já trabalha com a expectativa de baixa de pelo menos 5% na produção do país asiático. 

 

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário