Café finaliza com movimentos técnicos em Nova York, Londres e Brasil; mercado acompanhando Covid fora do Brasil

Publicado em 04/11/2020 16:53 e atualizado em 04/11/2020 17:58

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica encerrou o pregão desta quarta-feira (4) com quedas técnicas para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Dezembro/20 teve queda de 45 pontos, valendo 103 cents/lbp, março/21 teve baixa de 40 pontos, valendo 105,66 cents/lbp, maio/21 registrou baixa de 45 pontos, negociado por 107,35 cents/lbp e julho/21 teve queda de 40 pontos, valendo 109,10 cents/lbp. 

De acordo com análise do site internacional Barchart, as preocupações com o consumo de café voltaram a pressionar os preços. "As preocupações com a demanda estão pesando sobre os preços do café, uma vez que o aumento das infecções pela Covid em todo o mundo levou os governos a impor novas restrições que reduzirão o consumo de café", destacou a análise. 

Ainda segundo a publicação, no sábado, o Reino Unido se juntou a outros países europeus, incluindo Alemanha, França, Espanha, Itália e outros, na imposição de bloqueios que irão desacelerar o crescimento econômico. 

Aqui no Brasil, analistas destacam que todo o setor cafeeiro segue aguardando para saber o real impacto da seca em Minas Gerais e também na Alta Mogiana/SP. A principal região produtora do país enfrentou em 2020 o maior déficit hídrico dos últimos anos. Apesar de ter chovido nos últimos dias, a Fundação Procafé destaca que as condições das lavouras brasileiras são críticas e os impactos serão grandes para a safra 21, que naturalmente já é de ciclo baixo para a produção brasileira. 

O mercado físico brasileiro acompanhou o exterior e encerrou com quedas em algumas das principais praças produtoras do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve queda de 1,94% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 505,00, Patrocínio/MG teve baixa de 0,93%, negociado por R$ 535,00 e Franca/SP teve queda de 2,35%, sendo negociado por R$ 550,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 568,00, Araguarí/MG manteve a estabilidade por R$ 560,00 e Varginha/MG manteve o valor por R$ 575,00.

O tipo cereja descascada teve queda de 1,77% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 555,00, Patrocínio/MG registrou queda de 0,85%, negociado por R$ 585,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 610,00, Varginha/MG manteve o valor de R$ 620,00 e Campos Gerais/MG manteve a estabilidade por R$ 608,00.

Para o café tipo conilon o dia também foi de baixas para as principais referências. Janeiro/21 teve queda de US$ 14 por tonelada, valendo US$ 1313, março/21 registrou queda de US$ 14 por tonelada, valendo US$ 1326, maio/21 teve baixa de US$ 13 por tonelada, negociado por US$ 1340 e julho/21 encerrou com queda de US$ 13 por tonelada, valendo US$ 1357.

 

Leia Mais:

+ Professor Flávio Meira Borém explica o processo de avaliação dos cafés especiais

+ Confira a premiação do Especialíssimo/2020, com o ranqueamento dos cafés especiais da Cooxupé

 

 

 

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário