Café sustentável e tecnológico recebe suporte do Incaper

Publicado em 01/12/2020 12:12 66 exibições

A produção de café conilon pelo cafeicultor Gerson Camiletti, em Sooretama, foi aperfeiçoada e transformada ao longo dos 20 anos de acompanhamento com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), se tornando sustentável e tecnológica. O produtor segue as diversas recomendações em sua propriedade de base familiar e acompanha as tecnologias orientadas pelos técnicos do Escritório Local de Desenvolvimento Rural (ELDR) do município. 

A implementação do manejo da vegetação nas entrelinhas do café possibilitou a redução de altas temperaturas no solo, aumento da atividade microbiana, incremento de matéria orgânica, entre outros benefícios. A técnica também traz economia de água e menor necessidade do uso de herbicida na lavoura. Recentemente, a propriedade adotou duas tecnologias para aumentar a eficiência da água aplicada na irrigação. Com o monitoramento, é possível saber o momento exato de irrigar e a quantidade de água correta, evitando desperdícios.

As tecnologias de produção orientadas pelos técnicos do Incaper tornam a agricultura mais sustentável e, somadas a isso, também estão as orientações relacionadas à qualidade do café, tais como colher com, no mínimo, 80% dos grãos maduros, melhorando não somente o sabor da bebida, mas também o rendimento em sacas.

Agricultor Gerson Camiletti, em sua lavoura de café, na propriedade localizada em Sooretama.

“Minha história com o Incaper começou há 20 anos, quando plantei café clonal e como não tinha muitos conhecimentos apareceram alguns problemas. Procurei o escritório de Sooretama e na época era o técnico Gilberto Altoé, hoje aposentado, responsável pelo escritório. Ele me atendeu muito bem e passou a me acompanhar. Minha produção cresceu e evoluiu muito. Me tornei até referência na minha região. A cada ano eu produzia bem e cada vez mais. Os técnicos do Incaper estão sempre presentes na propriedade, instruindo tecnologias e técnicas, orientando sempre para fazermos tudo certo. Me perguntavam o que eu fazia e a resposta era que não há segredo: é ter amor pela cultura e auxílio técnico do Incaper”, disse Gerson Camiletti. 

Um dos extensionistas do ELDR de Sooretama, Carlos Roberto Cândido, que realiza o atendimento ao produtor, destacou o exemplo de eficiência na propriedade, com a adoção do pacote tecnológico completo do Incaper. O cafeicultor cultiva as variedades de café Jequitibá e Diamante, produzidas e desenvolvidas pelo Instituto. Com a orientação técnica, o trabalho na lavoura é feito por meio do plantio em linha; poda programada de ciclo; manejo e conservação de solo e água; manejo das plantas daninhas nas entrelinhas, tensiometria e manejo da fertirrigação com extratores de solução do solo.

O engenheiro agrônomo e extensionista do ELDR de Sooretama, Lucas Calazans, destacou o empenho do cafeicultor em implementar as tecnologias ofertadas pelo Incaper ao longo de duas décadas. “Com a experiência do agricultor, é visível a continuidade da assistência técnica e extensão rural do Incaper, que iniciou com o colega Gilberto [Altoé] e hoje é realizada pelos atuais agentes de extensão. Esse é um exemplo de entrega do Instituto e seus parceiros para a sociedade capixaba”, destaca Calazans.

O Centro Regional de Desenvolvimento Rural (CRDR) Rio Doce elegeu como destaque a experiência do cafeicultor Gerson Camiletti. O coordenador do CRDR,  Wathaanderson de Souza Rocha, abordou o amplo leque da agricultura familiar, atendido pelos escritórios que compõe o regional. “Atendemos indígenas, quilombolas, pescadores, além dos agricultores tradicionais. Diante da cafeicultura como principal atividade na região, decidimos apresentar essa experiência colocando em destaque tudo que o Incaper disponibiliza aos agricultores”, conta Rocha.

Tags:
Fonte:
Incaper

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário