Estimativa de quebra na safra 21 do Brasil volta a sondar mercado e NY sobe mais de 300 pts

Publicado em 13/01/2021 16:26 e atualizado em 13/01/2021 17:27 480 exibições
Março/21 encerrou com valorização de 385 pontos, valendo 125,25 cents/lbp

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica encerrou o pregão desta quarta-feira (13) com altas acima dos 300 pontos para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). "Os preços do café na quarta-feira subiram acentuadamente com o arábica em uma alta de 1 semana, com a valorização do real em relação ao dólar empurrando o arábica para cima", destacou a análise do site internacional Barchart. 

Março/21 encerrou com valorização de 385 pontos, valendo 125,25 cents/lbp, maio/21 teve alta de 380 pontos, negociado por 127,25 cents/lbp, julho/21 teve alta de 380 pontos, valendo 129,15 cents/lbp e setembro/21 também teve alta de 380 pontos, valendo 130,95 cents/lbp. 

Os preços voltaram a subir depois que a Montesanto Tavares divulgou estimativa de quebra em 37% na produção do café arábica neste ano. "O Brasil, maior produtor e exportador de café do mundo, deverá produzir 52,9 milhões de sacas de 60 kg em 2021, 23% abaixo do recorde de 68,21 milhões de sacas visto em 2020, disse o Grupo Montesanto Tavares", divulgou a Reuters. 

De acordo com as estimativas da companhia exportadora, a produção brasileira de café arábica vai recuar 37%, para 31,23 milhões de sacas, enquanto a safra de robusta deve registrar alta de 17%, a 21,67 milhões de sacas. Voltou a chover na principal região produtora do país em dezembro e, apesar dos bons volumes, as precipitações não recuperam os danos na planta, apenas iniciam o processo de recuperação. 

O dia também foi de valorização para os principais contratos do café tipo conilon, na Bolsa de Londres. Março/21 teve alta de US$ 30 por tonelada, valendo US$ 1332, maio/21 registrou valorização de US$ 31 por tonelada, valendo US$ 1343, julho/21 subiu US$ 29 por tonelada, valendo US$ 1357 e setembro/21 finalizou com alta de US$ 28 por tonelada, valendo US$ 1375.

No Brasil, o mercado físico encerrou com valorização nas principais praças produtoras do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 1,25% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 648,00, Patrocínio/MG teve alta de 1,59%, negociado por R$ 640,00, Varginha/MG teve alta de 3,08%, negociado por R$ 670,00 e Campos Gerais/MG registrou alta de 1,55%, valendo R$ 657,00. 

O tipo cereja descascado teve alta de 1,14% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 708,00, Patrocínio/MG registrou valorização de 1,47%, valendo R$ 690,00, Varginha/MG subiu 1,43%, negociado por R$ 710,00 e Campos Gerais/MG encerrou com alta de 1,43%, valendo R$ 707,00.

>>> Veja mais cotações aqui

 

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário