Em semana mais curta, café tem três altas consecutivas e finaliza sexta-feira com estabilidade

Publicado em 19/02/2021 14:01 e atualizado em 22/02/2021 08:56 358 exibições
Mercado atento aos estoques certificados e câmbio, que seguem ditando ritmo dos preços

LOGO nalogo

Em semana curta, o mercado futuro do café arábica finalizou as cotações desta sexta-feira (19) com estabilidade para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Março/21 teve queda de 10 pontos, valendo 127,50 cents/lbp, maio/21 registrou baixa de 15 pontos, negociado por 129,15 cents/lbp, julho/21 teve queda de 20 pontos, negociado por 131 cents/lbp e setembro/21 registrou baixa de 15 pontos, valendo 132,80 cents/lbp. 

A semana também finaliza com baixas técnicas para o café tipo conilon na Bolsa de Londres. Março/21 teve queda de US$ 9 por tonelada, valendo US$ 1343, maio/21 registrou queda de US$ 11 por tonelada, valendo US$ 1369, julho/21 teve queda de US$ 11 por tonelada, negociado por US$ 1383 e setembro/21 finalizou com baixa de US$ 12 por tonelada, valendo US$ 1397.

A semana foi mais curta, mas de valorização para o café. Os contratos voltaram a subir com otimismo de uma demanda mais aquecida no Estados Unidos, principal importador do café brasileiro. A Green Coffee Association (GCA) divulgou que os estoques de café verde dos EUA em janeiro caíram 12%, para 5,84 milhões de sacas. 

Cotações semanais café - CNC - 190221
Fonte: CNC

"Os contratos futuros do café subiram no acumulado da semana até ontem (18), nas bolsas internacionais, à medida que a oferta restrita e a resiliência na demanda vêm dando suporte, acima da pressão do mercado cambial", destacou a análise semanal do Conselho Nacional de Café (CNC). 

Em relação ao clima, o CNC destacou que há previsão de mais chuvas em Minas Gerais e Espírito Santo neste sábado (20). " Segundo a Somar Meteorologia, os acumulados prometem seguir elevados e com valores superiores a 80 milímetros nos Estados fluminense e capixaba e em parte do leste mineiro, região que deve ficar com chuvas fortes até o início de março", afirma. 

>>> Alta Mogiana: Crescimento da planta está com 30 dias de atraso e chuva daqui pra frente é determinante para safra de 22 de café

No Brasil, o mercado físico encerrou com estabilidade nas principais praças produtoras do país. Em relação à movimentação semanal, o CNC destacou que as cotações acompanharam a valorização internacional e também receberam suporte do avanço do dólar. Os negócios, contudo, seguiram calmos na semana, com retração vendedora e os feriados nos EUA e no Brasil.

O tipo 6 duro bica corrida teve queda de 0,75% em Poços de Caldas/MG, negociado por R$ 665,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 707,00, Patrocínio/MG manteve por R$ 700,00, Araguarí/MG por R$ 700, Varginha/MG manteve o valor de R$ 710,00 e Campos Gerais/MG manteve o valor de R$ 708,00.

O tipo cereja descascado teve queda de 0,68% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 725,00. Guaxupé/MG manteve o valor por R$ 750,00, Patrocínio/MG manteve a negociação por R$ 750,00, Varginha/MG também manteve por R$ 750,00 e Campos Gerais/MG manteve o valor de R$ 768,00.

Leia Mais:

+ CNC reforça ações parlamentares em defesa da cafeicultura

+ Conab: Estoques de café certificado em Nova Iorque estão em alta

+ MG: Agricultores familiares investem na produção sustentável de cafés especiais

 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário