Mercado do boi gordo segue firme; Paraná registra queda de preço do suíno; Frango Vivo fecha estável

Publicado em 23/10/2015 06:13

Boi Gordo: Com alta média de 1,9% no último mês, preços do boi gordo estão sustentados

Poucas alterações nas referências. O mercado do boi gordo está com preços sustentados. 

Os preços subiram em São Paulo, com a referência para a praça de Araçatuba situada em R$147,50/@, à vista. Existem ofertas de compra acima deste patamar.

A escala média de abate não está necessariamente curta no estado, fato que pode limitar maiores altas em curto prazo. Há um bom volume de indústrias posicionadas próximas ao feriado do início de novembro.

De qualquer forma, a oferta (curta) ainda parece ser o principal fator de precificação do mercado.

Nos últimos trinta dias, a arroba teve alta de 1,9%, considerando a média de todas as praças pecuárias pesquisadas pela Scot Consultoria.

No mercado atacadista de carne bovina com osso, preços estáveis no fechamento desta quinta-feira.

Fonte: Scot Consultoria

Boi Gordo: Aumento das escalas e menor margem no atacado reduzem ritmo de alta da arroba

O aumento das programações de abate e o encolhimento das margens no atacado podem ter reduzido o ritmo da alta da arroba. Isto porque desde o final da semana anteiror, as ofertas de compra giram ao redor de R$147,50/@, à vista, em SP. Porém, vale ficar atento nas vendas do atacado da próxima semana, pois os estoques estão equilibrados. Indicador tem, nesta quinta-feira (22), R$ 148,17/@ à vista. 

Clique AQUI para ver a íntegra da análise do Haitong Bank.

Suíno Vivo: Mato Grosso e Paraná acompanham demais regiões e registram queda de preços nesta 5ª feira

Nesta quinta-feira (22), mais praças de comercialização registraram baixas de preços para o suíno vivo. Desta vez, Mato Grosso e Paraná  apresentaram redução nas referências para a semana. Em MT, a baixa foi de 2,50%, com referência em R$ 3,51 pelo quilo do vivo. Já em Paraná, a queda registrada foi maior, de 2,25% , e negócios a R$ 4,32. 

Nesta semana, São Paulo definiu a referência entre R$ 81 e R$ 83/@ - o equivalente a R$ 4,32 a 4,43/Kg. Já no Rio Grande do Sul, a pesquisa semanal realizada pela Acsurs (Associação dos Criadores de Suínos de Rio Grande do Sul) apontou para uma nova baixa no valor médio pago aos produtores independentes. Com isso, a referência passa de R$ 4,10/kg para R$ 4,05/kg. 


Em entrevista ao Notícias Agrícolas, direto do XVII Congresso da Abraves 2015, o presidente da Acsurs, Valdecir Folador, explicou que as baixas não eram esperadas para este período do ano e as expectativas para as próximas semanas são pessimistas. "Nós esperávamos uma demanda um pouco melhor nesses três últimos meses do ano, tanto para o mercado interno, quanto na exportação", afirma.
 
Informações do Cepea também aponta para demanda interna mais fraca como causa das queda de preços, devido as altas registradas nos últimos meses. "Diante das quedas no atacado, por sua vez, frigoríficos pressionam os valores pagos ao produtor.", explica o Cepea.
 
» Assista na íntegra a entrevista com o presidente da Acsurs, Valdecir Folador 

Além disto, os custos de produção são preocupação para o setor, que com aumento de insumos como farelo de soja e milho, além de energia elétrica, apresentam aumento significativo nos últimos meses. Dados da Embrapa Suínos e Aves apontam para uma alta de 11,53% no acumulado do ano no ICPSuíno/Embrapa. 

» Acesse as cotações na íntegra para o suíno vivo
 

Por: Sandy Quintans
 

Frango Vivo: Após altas registradas em SC e PR, mercado tem dia de estabilidade nesta 5ª feira

Nesta quinta-feira (22), os preços para o frango vivo fecharam estavéis nas principais praças de comercialização. Com a segunda quinzena do mês, novas altas são esperadas, mas em ritmo menor devido ao período de menor reposição do mercado.

Apesar disto, diversas altas foram registradas na semana, em Paraná e Santa Catarina. Na praça paranaense, o valor médio pago aos avicultores independentes passou de R$ 2,50/kg para R$ 2,52/kg. Já em Santa Catarina, a alta foi de 0,48%, com o vivo sendo negociado a R$ 2,09/kg. 

Segundo analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, com a situação econômica delicada no país, a proteína ainda é opção mais barata. “É importante lembrar que o setor dispõe do preço mais acessível ao consumidor em um momento no qual o país enfrenta um grande descontrole inflacionário, o que deve manter a demanda bem aquecida”, analisa.
 

» Acesse as cotações na íntegra para o frango vivo

Por: Sandy Quintans

 

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas/Scot/Haitong

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário