Gigante da indústria de carnes atravessa intermediários e eleva negócios com agricultores

Publicado em 03/01/2017 09:25
3271 exibições
Americana Smithfield Food já vem cancelando contratos desde 2010

LOGO REUTERS 3.0

CHICAGO (Reuters) - A Smithfield Food, maior produtora de carne suína do mundo, está adquirindo mais grãos diretamente de produtores, uma medida que afeta as tradings de commodities agrícolas nos Estados Unidos, maior produtor global de soja e milho.

A companhia, com sede no Estado de Virgínia (EUA), investiu neste ano em estruturas de armazenagem e transporte. Com isso, pela primeira vez, ela poderá embarcar grãos diretamente de Ohio para alimentar suínos que abate em sua unidade de Tar Heel, na Carolina do Norte --a maior do mundo.

A Smithfield agora compra 65 por cento de sua ração animal diretamente de agricultores, em comparação com 10 por cento de ração comprada diretamente em 2010.

A estratégia de comprar diretamente visa reduzir os custos de ração e pode fornecer um modelo para outras grandes empresas de carne que ainda dependem de operadores comerciais de grãos.

Os grãos respondem por até 60 por cento dos custos da Smithfield. Os gastos da companhia em 2015 totalizaram 4,67 bilhões de dólares.

Em 2014, a Smithfield cancelou um contrato de operação de grãos com a CHS, a maior cooperativa agrícola dos EUA, que havia anteriormente abastecido uma unidade de ração da Smithfield em Yuma, no Colorado.

A Smithfield cancelou contratos com outras operadoras menores de grãos desde 2010.

A empresa também almeja trabalhar diretamente com produtores para influenciar o gerenciamento dos campos, desde a rotação de lavouras até aplicações de fertilizantes e fungicidas que poderiam resultar em grãos de maior qualidade, o que agiliza o ganho de peso das criações.

(Por Michael Hirtzer)

Tags:
Fonte:
Reuters

1 comentário

  • Paulo Adame Filho Adame Cascavel - PR

    Medida importante para diminuir os atravessadores... ("Gigante americana da indústria de carnes de suínos atravessa intermediários e eleva negócios com agricultores"),,, Aqui no Brasil o produtor de carnes pagou pela saca de milho para alimentar seus animais R$ 55,00 a R$60,00 nas Cerealistas e Cooperativas, enquanto o produtor de milho vendia para os mesmos atravessadores no valor de R$ 30,00 reais a saca de milho de 60 Kg. Portanto, aqui no Brasil seria importante uma medida dessas, para mudar o atual sistema onde o atravessador é o maior beneficiado, a parte que mais lucra e o que menos riscos corre.

    4
    • Nivaldo Porfirio Alvorada do Sul - PR

      Concordo plenamente com o Paulo Adamec

      0
    • Nivaldo Porfirio Alvorada do Sul - PR

      As " cooperativas " são na verdade empresas privadas, cujos maiores beneficiários , tal como na nossa classe política, são os detentores da presidência das mesmas, e invariavelmente seus parentes nomeados para exercer funções chaves dentro da corporação. .... Para comprovar isso, basta colocar uma empresa de auditoria séria na investigação das contas da maioria das cooperativas no país.

      2
    • LUIS ALBERTO GROHE Assis Chateaubriand - PR

      Paulo e Nivaldo, penso que vcs "pegaram pesado" neste início de 2017. Labutei muitos anos em cooperativas e/ou cerealistas e conheço um pouco a realidade dos comentários, antes realizados. Entendo que as cooperativas, principalmente, foram e são muito importantes, basta acompanhar os frutos do sistema cooperativista no nosso estado (desenvolvimento das regiões, empregos, renda, impostos gerados, etc). Existem defeitos, obviamente, mas colocá-las no mesmo balaio das "instituições e instâncias políticas" é ser um pouco injusto (Nivaldo). Quanto ao aspecto do "atravessador", já imaginou se não existisse a concorrência, das próprias cooperativas, no meio destas "tradings" ávidas por lucro, apenas para seus acionistas. Oportunamente, espero que possamos visualizar uma luz, após a "pinguela da transição política e econômica do país" e, quem sabe, nas presidências, quase perpétuas, de algumas cooperativas. Abração a ambos.

      12
    • Carlos William Nascimento Campo Mourão - PR

      Cooperativa paga menos por nossos produtos e cobra mais pelos insumos do que revenda pequena. Explica isso. Mesma diretoria a 40 anos. Não tem renovação.

      4
    • Nivaldo Porfirio Alvorada do Sul - PR

      Bem colocado Sr Carlos W. Nascimento....as cooperativas recebem incentivos fiscais do governo, negados as revendas particulares, mas os preços de insumos praticados são sempre superiores aos concorrentes ( eu faco cotação ha anos). ... Quanto a venda dos graos ali entregues pelos "cooperados", eles revendem com um lucro liquido de mais de 30% sobre o valor que repassam para o produtor, livre dos impostos que ficam por conta de quem produz......Lembrando ainda que na entrega dos graos , as cooperativas ja praticam um desconto de 10% a 15% a titulo de descontos de impureza e umidade. Sabemos que esta " impureza" passa a ser embarcada na carga aos exportadores ao preço do dia, em dolar...... A verdadeira cooperativa ,aquela que negocia lotes de venda com a participação dos produtores, NAO EXISTE

      3